A duração do contrato era conhecida, a cláusula de rescisão que o protege é que não. O vínculo de Óliver Torres ao FC Porto, que se estende até junho de 2021, está blindado por uma cláusula de rescisão de 50 milhões de euros. O valor foi assumido pelo próprio médio, de 23 anos, em entrevista à rádio Marca. A verba mais do que dobra o investimento feito na aquisição de 85 por cento do seu passe, em setembro de 2016, por 20 milhões de euros. No entanto, face à sua reduzida utilização ao longo da temporada, é pouco provável que Óliver Torres venha a ser um protagonista do mercado de verão, pelo que o valor da cláusula de rescisão serve apenas de referência.

Autor: Rui Sousa