Sérgio Conceição e o primeiro lugar: «Não é missão impossível»

Pelo que já viu no passado e pela crença do grupo, vai acreditar enquanto a matemática o permitir

• Foto: José Gageiro/Movephoto

O cenário no campeonato complica-se a cada jornada que passa para o FC Porto, mas Sérgio Conceição mantém firme a convicção de que enquanto for matematicamente possível toda a gente no grupo vai lutar pelo título. O futebol já proporcionou muitas surpresas e a própria equipa já experimentou essas sensações num passado recente.

“Vamos à procura dos três pontos em cada jogo do campeonato, que é o nosso principal objetivo, e no final faremos as contas. Não há nada perdido, matematicamente é possível, temos um grupo de jogadores em que muitos deles percebem o que é correr atrás de um rival que tem alguma distância para o segundo e terceiro classificados. Compete-nos a nós ter essa força interior, essa ambição e essa determinação muito grande para ir à procura dos três pontos em cada jogo. Não é uma missão impossível. A partir do momento em que a vitória passou a valer três pontos e o empate um, acho que tudo é possível. Já vi tanta coisa no futebol, por isso acreditamos. Acredito e estou convicto de que vamos dar luta”, assegurou o técnico, de 46 anos, admitindo que a sua visão passou a ser essa depois da quebra da equipa.

“O meu discurso foi sempre esse, a partir do momento em que nos distanciámos da frente com os empates que tivemos frente ao Boavista, Belenenses SAD e Sp. Braga. Um por culpa própria e dois nem tanto, mas não vale a pena estar a recordar as incidências desses dois jogos. Ficámos a uma distância importante no campeonato, temos de assumir isso e correr atrás do prejuízo”, reconheceu Sérgio Conceição, assumindo que, apesar de o objetivo principal ser a conquista do bicampeonato, a missão imediata é chegar ao segundo lugar.

“Sem qualquer género de prepotência da minha parte, olhamos para o primeiro lugar, porque é possível matematicamente, mas claro que agora temos de olhar para o segundo lugar, e esse é o mais importante neste momento, porque está lá o Sp. Braga, sem dúvida nenhuma, mas isso faz parte do trajeto, da nossa caminhada”, apontou o técnico, não escondendo alguma tristeza pelo facto de as pessoas muitas vezes “não olharem para o processo, para o trabalho, e só olharem para os resultados, e eles nem sempre são os desejados”.

Taça para refletir

A última imagem que ficou da equipa não foi nada boa, com a exibição frente ao Sp. Braga a ser muito criticada. Sérgio Conceição foi o primeiro a assumir a desilusão e já o fez ver aos jogadores.

“O jogo da Taça foi muito mau para nós, não teve nada a ver com o que somos como equipa, estive até às 3 da manhã a picar o jogo todo, porque vamos para estágio e quero discutir muito do que não fizemos com os meus jogadores. Já o fiz e vou voltar a fazer, é um jogo que não é para esquecer, é para lembrar, é um jogo onde não vamos levantar a cabeça e pensar no próximo, é baixar a cabeça, olhar para o que não fizemos bem. Não é possível numa meia-final cometer os erros que cometemos”, referiu Conceição, garantindo que não é por falta de motivação que os seus jogadores vão falhar: “Se para os motivar tiver que fazer o pino, faço o pino, se tiver que me despir... quero é que eles entrem bem nos jogos.”

"É difícil não fazer melhor neste jogo"

A derrota que custou a eliminação na Taça de Portugal provocou mossa, mas Sérgio Conceição não vê razões para que se coloque em causa todo o trabalho feito até aqui, designadamente nas Taças.

“Nestas quatro épocas fizemos 26 jogos na Taça de Portugal, com 24 vitórias, estivemos em duas finais e duas meias-finais, conseguimos mais do que o FC Porto fez nas seis épocas anteriores. Não podemos dizer que estava tudo bem, porque não estava, nem está tudo mal agora, porque não está. Há que refletir, trabalhar por cima dos erros individuais e coletivos, olhar para o próximo jogo e fazer bem melhor. Também vos posso dizer que é difícil não fazer melhor do que fizemos frente ao Sp. Braga”, garantiu o técnico, lembrando que assume sempre as “responsabilidades quando as coisas não correm bem”.

Conceição recordou que a eliminação na Taça não apaga o que este grupo de jogadores conquistou há pouco tempo: “Não podemos esquecer o que estes jogadores já fizeram, também me custou muito ser eliminado da Taça, porque não gosto de perder nem a feijões. Somos muito competitivos, mas às vezes as coisas não correm bem e o adversário também tem mérito.”

Por Rui Sousa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.