Carlos Pereira critica Governo por 39 milhões em atraso

De forma contundente

• Foto: Hélder Santos

Carlos Pereira criticou ontem, de forma contundente, o Governo madeirense pelos atrasos nos diversos contratos-programa, que incluem a conclusão dos Barreiros. Uma obra que, acredita, será finalizada na próxima época.

"Contamos que o Governo Regional honre a sua palavra e cumpra o contrato-programa, que contempla 88 por cento do valor da obra", disse o presidente dos madeirenses ao programa ‘Marítimo na TSF’, lamentando depois o que chama de desigualdade de tratamento nos diversos apoios. "Não queremos ser beneficiados em nada, mas também não queremos ser prejudicados. Fizemos as contas e são à volta de 39 milhões de euros em atraso. É lamentável!", revelou. E foi mais longe: "Se o grande problema se chama Carlos Pereira, é fácil resolver. Se o problema é institucional, então terá de ser a massa humana do Marítimo a resolver."

Quanto ao impasse em torno do treinador, Carlos Pereira espera uma resolução rápida. "Daniel Ramos demonstrou vontade de abraçar um novo projeto, depois de dois anos felizes. É legítimo pensar dessa forma, mas também pensar que o Marítimo formou e colocou esse treinador na montra e quer ser ressarcido pelo que investiu quando apostou nele", notou, reconhecendo "não ser possível prolongar muito mais esta indefinição".

De resto, o dirigente assegura que a próxima época está estruturada. "Quase todo o plantel tem contrato. Haverá 4 ou 5 saídas, que estão mais ou menos preenchidas", confirmou.

Por Gonçalo Vasconcelos
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Marítimo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.