Carlos Pereira: «É bom pensarmos na extinção da Liga»

Presidente do Marítimo não perdoa multas injustas

Carlos Pereira
Carlos Pereira • Foto: Hélder Santos

O presidente do Marítimo insurgiu-se este sábado, na entrega de um conjunto de bolsas resultantes da receita do Portugal-Suécia, contra a Liga de clubes, sobretudo depois do seu clube ter sido penalizado com multas que considera injustas. E defende mesmo o fim do organismo.

"Não faz sentido os clubes estarem a trabalhar arduamente, com tantas dificuldades, e estejam a ser penalizados com decisões dúbias, situações que em minha opinião não são verdadeiras. Se calhar é bom pensarmos atempadamente na extinção da própria Liga e a criação de um departamento de futebol profissional na FPF", salientou Carlos Pereira.

Na sua ótica, o excesso de multas deriva do "aumento dos custos fixos da Liga, que obriga a que apareçam receitas de qualquer forma, dado que a Liga não tem capacidade de angariação de sponsorização". E pormenoriza: "Quando a Liga começa a fazer deslocações de comissões de inquérito de delegados, de norte para sul e sul a norte, cada vez mais os custos vão crescer".

Mais uma vez, Carlos Pereira penaliza-se por ter apoiado a eleição de Pedro Proença e garante estar na linha da frente para a extinção do organismo. "Já não faz sentido haver Liga, contra as expetativas criadas e que eu próprio ajudei a criar. Mas é melhor emendar o erro do que persistir nele", frisou.

Por Gonçalo Vasconcelos
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Marítimo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.