José Gomes espera um Boavista forte nos duelos

Técnico maritimista quer sair dos lugares perigosos rapidamente e acredita no seu trabalho

• Foto: Hélder Santos

O Marítimo na "era José Gomes" ainda não conheceu o sabor da vitória, continuando nos lugares perigosos, ocupando o 15º lugar, numa altura em que soma seis embates na Liga NOS, sem vencer. A receção ao Boavista, este sábado, assume grande importância para um" click" que tarde em surgir. Pela frente estará um conjunto bem organizado e bem classificado para as aspirações iniciais dos boavisteiros.

O treinador verde-rubro começou por ser claro na abordagem a mais uma partida: "Independentemente do resultado anterior e do nome do adversário, o objetivo do Marítimo passa sempre por disputar os três pontos e tentar ganhar. Este jogo não foge à regra e isso é acentuado se olharmos para a tabela classificativa, é realmente importante sair dos lugares que ocupamos e devolver ao Marítimo os lugares que lhe são merecidos pelos seu palmarés e prestigio".

Questionado sobre o facto de sentir necessidade de alterar as suas ideias ao nível da forma de jogar maritimista: "A ideia é nós continuarmos a mostrar o que somos capazes de fazer e qual é a nossa ideia de jogo, jogando o máximo tempo possível dentro daquilo que é o nosso processo. Sabemos que os adversários são todos diferentes e que criam problemas diferentes. Não vamos mudar o nosso processo na totalidade dependendo do tipo de opositor que encontramos, temos de perceber que cada um terá os seus pontos fracos e os seus pontos fortes, tendo cuidado com isso, sem fugir do nosso processo. Vamos tentar corrigir os erros que tivemos no último encontro, em vários momentos a falta de profundidade e ligar o passe frontal, para estarmos mais próximos da baliza adversária. Por vezes perdemos a bola sem que o adversário nos obrigasse a tal e teremos de ter cuidado com esta equipa forte, bem organizada ofensivamente e muito forte nos duelos defensivos, que é o Boavista. Têm um ataque muito rápido e estão claramente tralhados para defender com as linhas baixas e agressivos nos duelos, saindo muito rápido em contra-ataque".

Mudanças no onze

Por lesões ou por opções, o líder dos madeirenses assume que irá modificar o onze que irá defrontar os boavisteiros no Caldeirão, nos Barreiros. "Há mudanças no onze. Primeiro porque o Edgar Costa está fora dos convocados por lesão e depois iremos fazer algumas alterações face à análise que vamos fazendo do que os jogadores vão mostrando nos treinos, de forma a retirar mais partido das suas características, em função do que esperamos encontrar contra o Boavista", revelou.

Questionado sobre o que ainda falta mudar na sua equipa, para esta ficar à sua imagem, foi direto: "Temos de ter mais velocidade na circulação de bola e paciência, mas não confundir com lentidão, temos de circular mais rápido a bola, mas ser pacientes. Todos querem jogar para marcar golos, mas o jogo direto não encaixa na nossa forma de pensar, nem no plantel que temos. Sempre procurando o passe frontal para criar desequilíbrios nos adversários, deixando os nossos jogadores isolados e em posição de fazer golo. E claro, conseguir ganhar".

Depois, defendeu os atuais jogadores com que trabalha, embora admitindo que é necessário conseguir reforços no mercado de Inverno. "É urgente render o máximo com os jogadores que temos. Com o Boavista temos estes jogadores e não outros, Paralelamente a isso, obviamente, o clube está a ver as possibilidades que existem de forma no futuro melhorar o plantel, indo ao encontro das nossas ideias. Mas o mais importante é encarar a partida com o Boavista com a máxima concentração e são estes jogadores, eventualmente, alguns deles até poderiam estar numa pequena lista de indesejados, tendo oportunidade de mostrar as suas capacidades ao serviço do Marítimo e por vezes as opiniões alteram-se e o futuro de cada um também e pode alterar. O que interessa é conseguir os 3 pontos com o Boavista e jogar bem", afirmou.

Sem medo da falta de tempo

José Gomes foi contratado para retirar o Marítimo de uma posição intranquila na tabela classificativa. Mas até ao momento, ainda não venceu. No entanto, não sente o seu lugar em perigo. "Qualquer treinador, em qualquer clube e em qualquer circunstância, à medida que o tempo vai passando tem menos tempo perante os resultados. Se tivesse medo disso teria de mudar de profissão. Estou aqui com a boa intenção, motivadíssimo, feliz como já disse, a trabalhar com estes jogadores, num clube histórico que representa muito bem o futebol português. Vejo que é possível melhorar mesmo só com estes jogadores e isso faz-me passar várias horas no clube, dedicando-me ao máximo e estudando o que se passa nos treinos de forma a ajudar os jogadores. Quando sentir que esse escassear do tempo como referiu, já não é suficiente ou não estou feliz a trabalhar no Marítimo, serei eu a dizer que vou sair. Acabei de chegar. Isto nem é pré-época fiz se fosse numa situação normal. Todos querem ganhar e bem, com um clube com a exigência como é o Marítimo. Mas estou motivado, com energia e sinto alegria dos jogadores a trabalhar, por isso, não motivo de preocupação", afirmou este técnico de 49 anos de idade e que acredita ser capaz de devolver o clube aos lugares mais honrosos da tabela classificativa da liga portuguesa.

Por último, não quis tecer qualquer comentário aos acontecimentos protagonizados entre dois colegas de profissão: Sérgio Conceição (FC Porto) e Pedro Ribeiro (Belenenses SAD). "Concordo consigo, pois o tempo é o bem mais precioso que temos na vida. Não o posso desperdiçar com os problemas que acontecem com os outros. Tenho de aproveitar o tempo para resolver os problemas do Marítimo", finalizou.

Por João Manuel Fernandes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Marítimo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.