Paysandu reclama dinheiro por Pablo

Marítimo ainda não recebeu qualquer valor referente à venda do passe

• Foto: Hélder Santos

A imprensa brasileira deu ontem voz a uma reclamação do Paysandu. Os responsáveis do clube da Série B alegam ainda não ter recebido qualquer verba relativa à venda de Pablo Santos por parte do Marítimo ao Sp. Braga, uma vez que o antigo emblema do central teria direito a 20 por cento do valor da transação.

Recorde-se que essa mudança ocorreu em julho deste ano e Alexandre Pires, vice-presidente de operações do Paysandu, revelou que o clube já tentou obter uma explicação junto dos madeirenses. "Realmente ainda não nos pagaram. Já enviámos um ofício para o Marítimo, requerendo informações sobre os valores, mas a resposta foi insuficiente. Já estamos a conversar com advogados em Portugal para fazer o litígio por lá, pois a transação ocorreu entre dois clubes portugueses", explicou o dirigente à imprensa do seu país, ameaçando mesmo recorrer à FIFA: " Esgotando este processo em Portugal, podemos pensar em acionar a FIFA."

Record sabe que os responsáveis maritimistas ainda não receberam qualquer valor referente à venda do passe de Pablo Santos para os Guerreiros do Minho. Esse facto está a implicar o atraso na liquidação do pagamento em falta ao emblema brasileiro. O presidente dos insulares, Carlos Pereira, já terá dialogado com o seu homólogo minhoto, António Salvador, no sentido de perceber quando receberá o pagamento faseado que estava acordado entre os clubes.

Refira-se ainda que os bracarenses só há bem pouco tempo liquidaram uma verba em falta relativa à transferência do central Raúl Silva.

Por João Manuel Fernandes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Marítimo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.