Pasinato e a continuidade no Moreirense: «Se o clube quer é porque acredita em mim»

Guarda-redes brasileiro já sabe que o clube vai exercer a opção para a compra definitiva do seu passe

• Foto: Carlos Gonçalves

Mateus Pasinato, guarda-redes do Moreirense, esteve esta tarde à conversa com os jornalistas. O brasileiro de 27 anos falou naturalmente sobre uma série de assuntos, começando por revelar como está a sua situação contratual.

Já se sabe que Moreirense avançará para a compra em definitivo do seu passe. Já o informaram disso?
"Há essa clausula do meu contrato, que o Moreirense pode exercer no fim desta época. Se o clube quer exercer é porque está a acreditar no meu trabalho e eu tenho correspondido. O Moreirense está a crescer, oferece todas as condições que precisamos, está a construir a academia desportiva e a procurar boas classificações. Quando vim para cá, um fator que pesou foi o facto do presidente Vítor Magalhães ser uma pessoa que honra os seus compromissos, é uma pessoa correta. Temos feito um bom trabalho. Sendo bom para os dois, é bom para os dois."

Um mês e meio depois da paragem dos campeonatos, a ansiedade do regresso é cada vez maior?
"Claro que sim, é cada vez maior. É difícil ficar longe dos relvados, dos treinos, de estar com a malta no balneário. No máximo temos um mês de férias, agora já estamos há um mês e meio parados. É algo superior a nós, esperamos que possa passar o quanto antes, para que possamos voltar à nossa rotina."

É o guarda-redes da Liga com mais defesas, o que representa para si?
"Tem um lado bom, porque é o nosso nome que fica em evidência, mas também mostra que temos muito trabalho. É um dado bom, significa que ajudo o Moreirense. Ter mais ou menos defesas fica abaixo do objetivo do clube. Temos é de dar o nosso melhor para ajudar o clube. O mais importante é ter os objetivos do clube conquistados."

Para um guarda-redes é sempre mais difícil treinar. Como tem sido treinar em casa?
"O Moreirense deixou-nos os materiais para os treinos, mas não é mais do que uma manutenção, não é a mesma coisa que o treino de guarda-redes. Nós, os guarda-redes, somos os que mais vamos precisar de tempo para nos readaptar. O guarda-redes tem de ter contacto com a bola, com o relvado, temos de nos adaptar e quando a Liga definir o que vai ser feito voltaremos aos treinos. Temos a esperança que de possamos voltar o mais cedo possível."

Como tem sido viver esta pandemia em Portugal, longe do Brasil?
"Estou com a minha esposa e os filhos, mas dá sempre aquela saudade do Brasil, principalmente da família. É normal, faz parte da vida de jogador porque estou aqui por um objetivo maior e tudo vai valer a pena."

Estava à espera de se impor nesta primeira época no Moreirense?
"Temos de alimentar sempre os pensamentos mais otimistas. Cheguei para superar a saída do Jhonatan, vinha preparado para isso. Sabia que tanto podia jogar, como não, o que é normal. Fico contente por ser totalista da Liga, o guarda-redes com mais defesas, o que mostra que o trabalho tem sido bem feito. Só motiva para fazer uma grande época no Moreirense."

Entende que ainda tem de melhorar o jogo com os pés?
"O futebol português exige muito mais taticamente de todos, seja do guarda-redes ou dos avançados. O jogo de pés é mais colocado em prática em Portugal, vai de cada treinador. Estou sempre a trabalhar para melhorar em todos os aspetos. É uma grande aprendizagem em Portugal."

O que pode fazer o Moreirense nas 10 jornadas que faltam disputar?
"O nosso principal objetivo é garantir a permanência. Queremos dar o nosso melhor, ajudando o Moreirense a alcançar a melhor classificação possível na Liga. No ano passado, o Moreirense foi 6.º, queremos sempre melhorar, mas a classificação para a Liga Europa não é um objetivo que deva ser colocado a qualquer custo. O futebol é muito relativo. Queremos é dar o melhor pelo Moreirense."

Essa questão da classificação para a Liga Europa, quer esclarecer o que disse no início da semana?
"Almejamos a melhor classificação do Moreirense na Liga. Na época passada o Moreirense foi sexto, agora uma posição melhor do que essa dá o acesso à Liga Europa. Não é um fardo, um peso ou um objetivo traçado. Isso não nos é cobrado. É uma ideia de todos, estarmos sempre a melhorar. Temos de ter objetivos para ajudar o Moreirense a ser cada vez maior. Não nos podemos martirizar ou matar se não melhorarmos a última classificação?"

Por Bruno Freitas
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Moreirense

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0