Costinha: «Eu reparto o favoritismo porque jogo em casa»

Treinador pretende uma equipa inteligente frente ao Benfica

• Foto: Miguel Barreira
PUB

O treinador do Nacional, Costinha, destacou este sábado o fator casa para repartir o favoritismo com o Benfica e disse pretender uma equipa inteligente na partida de domingo, na Choupana, da quarta jornada da Liga NOS.

"Eu reparto o favoritismo porque jogo em casa, onde normalmente as equipas têm de fazer a sua fortaleza e, se calhar, têm mais possibilidades de vencer do que fora. A minha equipa não vai jogar para empatar porque é sabido que quem joga assim perde quase sempre. Nós vamos tentar vencer o jogo, o Benfica também, mas temos a noção de que vamos encontrar uma equipa muito forte", referiu o técnico, na conferência de imprensa de antevisão do encontro marcado para as 18:30.

O histórico dá conta de que o último triunfo dos alvinegros diante do Benfica foi há oito anos (2-1, em 21 de agosto de 2010) e que nos últimos 16 jogos, três dos quais para a Taça da Liga, o melhor que o Nacional conseguiu foi um empate, tendo perdido as 11 partidas anteriores, o que não desanima Costinha.

"Vamos tentar encontrar uma solução para um rumo diferente, mas temos a noção de que vamos jogar contra uma grande equipa, que tem grandes jogadores e que não foi à toa que ganhou quatro campeonatos nos últimos cinco anos. Temos de ser rigorosos, ambiciosos, temos que ter entusiasmo e, acima de tudo, temos de ser inteligentes", vincou.

A formação madeirense estreou-se a vencer no campeonato na jornada anterior, ao vencer no terreno do Vitória de Setúbal, por 2-1, e o técnico abordou a possibilidade de realizar algumas mudanças na equipa.

"Todos os jogos têm uma estratégia diferente e uma história diferente. Por norma, não sou um treinador de mudar muito, mas se entender que devo ajustar a equipa para uma dinâmica diferente, vou fazê-lo porque tenho muitos jogadores, que estão à procura da sua oportunidade e estes jogos dão uma motivação extra aos jogadores. Amanhã [domingo], vocês terão a oportunidade de ver que não vai ser uma equipa muito diferente", referiu.

Os encarnados também estão motivados, mas porque conseguiram a qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões, mas Costinha promete uma resposta à altura e não acredita que o cansaço do calendário pesado do adversário seja um fator importante.

"O cansaço não é uma situação que eu dê enfoque porque os plantéis têm muitos jogadores e há muito por onde escolher pelo treinador. Poderão haver alguns mais cansados, mas também há outros que estão frescos e que estão à espera de uma oportunidade para demonstrar que são opção", afirmou.

O Nacional, 13.º classificado com três pontos, recebe o Benfica, segundo com sete, no domingo, a partir das 18:30.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
PUB