«O Paços de Ferreira não pode assumir e transformar o infortúnio de terceiros num problema seu»

Emblema pacense reage, em comunicado, à polémica tentativa de adiamento do jogo com o Moreirense

O Paços de Ferreira reagiu, esta sexta-feira, à polémica tentativa de adiamento do jogo a contar para a 7.ª jornada da Liga NOS, inicialmente agendado para este sábado (15h30), proposta pelo Moreirense, afirmando que o clube pacense "não pode assumir e transformar o infortúnio de terceiros num problema seu".

Recorde-se que os cónegos têm cerca de 25 pessoas, entre jogadores, membros do staff técnico e da direção, infetadas pela Covid-19.

Leia o comunicado na íntegra:

"O F.C. Paços de Ferreira, Sduq, Lda. (FCPF), vem pelo presente informar que na passada 2ª feira, dia 2 do corrente mês, foi contatado na pessoa do seu Presidente, com vista ao eventual reagendamento do jogo com a Moreirense Futebol Clube – Futebol SAD, previamente marcado para o próximo dia 7, amanhã.

Prontamente demonstrou a sua disponibilidade desde que as consequências daí decorrentes não viessem a prejudicar desportivamente o FCPF, designadamente em momentos em que se pudesse verificar a ausência de atletas, em intervalos entre jogos e micro-ciclos programados.

Mais deu conhecimento que seria necessário um entendimento durante esse mesmo dia de forma a não afetar a programação da atividade da equipa de futebol profissional.

Durante todo o restante dia, não foi possível encontrar soluções consensuais entre os clubes.
Não obstante, ultrapassado o prazo estipulado, o FCPF voltou apenas a ser contatado na pessoa do seu Presidente no dia 4/11/2020, tendo o mesmo sugerido que a Moreirense SAD solicitasse à Liga Portugal uma reunião entre as partes, para que de forma célere e eficaz se encontrassem soluções para o necessário reagendamento do jogo.

Ainda nesse dia, no final da noite, o FCPF foi convocado para a realização de uma reunião nas instalações da Liga Portugal, no dia 5/11/2020, à qual compareceu juntamente com o representante da Moreirense SAD.

Discutido o tema juntamente com a Liga Portugal, o FCPF transmitiu a disponibilidade para o reagendamento e teve nessa reunião conhecimento do alegado elevado número de infetados pela Covid-19.

Esclareceu as condicionantes para a designação da nova data, designadamente a participação de atletas seus em jogos de seleção e a necessidade de realização da 7ª e 8ª jornadas da Liga NOS em tempo útil, de modo a permitir que o FCPF, possa, legitimamente aspirar à participação da fase final da Taça da Liga.

Para que se cumprissem as condicionantes tornar-se-ia a concordância de outras sociedades desportivas para que se evitasse a sobreposição de datas nas jornadas subsequentes, o mesmo sucedendo com a necessidade de aceitação por parte do operador televisivo quanto às datas a designar e jogos a alterar.

Assumiu a Moreirense SAD o compromisso de diligenciar pela obtenção da anuência destes intervenientes para datas que inclusivamente, ficaram pré-definidas nessa reunião.
Mais foi assumido o envio à Liga Portugal da lista dos atletas impedidos de comparecer no jogo designado.

Finalmente, ficou acertado que tudo deveria estar esclarecido e solucionado durante a tarde do dia 5/11/2020.

Uma vez que até às 18h, o FCPF não havia sido contatado por nenhuma entidade, designadamente a Moreirense SAD, dando conta da possibilidade ou impossibilidade das entidades envolvidas no pretendido reagendamento, transmitiu que uma vez que não se encontravam verificadas as condições consensualmente assumidas, tornar-se-ia imperativo a realização do jogo designado para o dia 7/11/2020.

Desde a reunião ocorrida pelas 11:30 na sede da Liga Portugal, o FCPF não voltou a ser contatado direta ou indiretamente pela Moreirense SAD, crendo que não lhe foi possível obter as necessárias concordâncias dos demais intervenientes.

O FCPF tomou conhecimento do comunicado da Moreirense SAD, e sem equacionar a veracidade dos factos e motivos aí invocados, não pode assumir e transformar o infortúnio de terceiros num problema seu.

O FCPF tem toda a legitimidade para lamentar todo este processo, tanto mais que foi voz ativa e permanente durante a paragem do campeonato na época 2019/2020, de que haveria necessidade de criar regras, mesmo com carater excecional, para situações desta natureza, sendo que essa sua pretensão não mereceu o acolhimento devido.

Apesar disso, e sem que tenha qualquer garantia de que numa situação idêntica teria a compreensão de uma outra qualquer sociedade desportiva, tudo fez que de si dependia para encontrar uma solução consensual.

A Liga Portugal terá com certeza uma posição formal sobre todo este processo que não será ímpar e a quem compete a aplicação dos Regulamentos que as sociedades desportivas aprovaram (infelizmente) em prejuízo próprio.

Sabemos que esta é uma situação que pode afetar todas as sociedades desportivas, mas importa minimizar riscos e é por essa razão que o FCPF implementou regras rígidas e despende milhares de euros mensalmente no cumprimento dessas regras e na realização de testes, com afetação grave do seu orçamento.

Desejamos a todos aqueles que possam estar a viver as consequências desta pandemia um rápido restabelecimento", pode ler-se.

Por Record
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de P. Ferreira

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.