Sindicato dos Jogadores critica direção do P. Ferreira e defende Caetano

Organismo fala em "promessas incumpridas" ao jogador

Caetano criticou e desmentiu, esta quarta-feira, as declarações de Paulo Meneses, presidente do P. Ferreira, que disse recentemente que não havia assinado um contrato com o jogador no passado. A situação gerou muito desagrado ao jogador, que diz passar "a pior fase da carreira", e motivou uma tomada de posição do Sindicato dos Jogadores, que saiu em defesa do avançado e apontou "promessas incumpridas" por parte da direção pacense.

Segundo o organismo, o jogador terá mesmo assinado um vínculo "desportivo" depois de um convite "do presidente" para regressar ao clube "na época 2019/20", rejeitando "todas as demais propostas que lhe foram apresentadas". No entanto, e de acordo com a mesma nota oficial do Sindicato, "durante mais de seis meses, o jogador Rui Caetano aguardou que a administração do Paços de Ferreira se dignasse a proceder à conclusão dos aspetos formais de celebração do contrato e enviá-lo para registo na Liga Portugal, bem como a indicação do dia e hora para integrar os trabalhos da equipa", algo que não se terá verificado.

Por essa razão, a associação liderada por Joaquim Evangelista garante que irá "apoiar o seu associado Rui Caetano a recorrer a todas as vias legais à sua disposição, exigindo o ressarcimento dos danos que lhe foram causados".

Eis o comunicado na íntegra:

"Face às declarações públicas do presidente do Paços de Ferreira, a propósito do futebolista Caetano, invocando que "nunca houve qualquer contrato assinado" com o jogador, vem o Sindicato dos Jogadores, em defesa do seu associado, esclarecer e afirmar o seguinte:

1. O jogador Rui Caetano foi convidado pelo Paços de Ferreira, na pessoa do seu presidente, para regressar ao clube na época desportiva 2019/20.

2. Após negociação desenvolvida com os representantes do Paços de Ferreira, o jogador Rui Caetano assinou contrato de trabalho desportivo e confirmou o seu compromisso para com o clube, rejeitando todas as demais propostas que lhe foram apresentadas na pré-época 2019/20.

3. Durante mais de seis meses, o jogador Rui Caetano aguardou que a administração do Paços de Ferreira se dignasse a proceder à conclusão dos aspetos formais de celebração do contrato e enviá-lo para registo na Liga Portugal, bem como a indicação do dia e hora para integrar os trabalhos da equipa.

4. Semana após semana, numa absoluta falta de respeito, foi-lhe pedida paciência, pois iria ser jogador do Paços e começar a trabalhar logo que possível.

5. Face a incontáveis e sucessivas promessas, todas incumpridas, em absoluto desespero e com prejuízos pessoais e profissionais que vão muito para além do valor do contrato que foi negociado e firmado pelo jogador, vem agora o Paços de Ferreira, através do seu presidente, negar tudo o que resultou de meses de espera e, em especial, negar a existência do contrato de trabalho.

6. Face a esta situação, perante toda a prova existente e inequívoca, o Sindicato dos Jogadores irá apoiar o seu associado Rui Caetano a recorrer a todas as vias legais à sua disposição, exigindo o ressarcimento dos danos que lhe foram causados.

7. Por fim, o Sindicato dos Jogadores vem a pedido do associado Rui Caetano, deixar uma mensagem de agradecimentos aos sócios e simpatizantes do Paços de Ferreira, aquele que é o clube pelo qual é apaixonado e que muito orgulho lhe daria voltar a representar, pelo apoio incansável que tem sentido nas últimas semanas."

Por Pedro Morais
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de P. Ferreira

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.