Folha mantém confiança

Treinador aponta exigência do calendário e problemas de adaptação para justificar mau ciclo

• Foto: Filipe Farinha

O Portimonense somou apenas um ponto nos últimos cinco encontros da Liga e vai em três derrotas consecutivas em casa mas o treinador António Folha confia em melhores dias.

"Confio muito naquilo que faço", garante o responsável dos alvinegros, de 48 anos, enquanto aponta causas que, na sua opinião, justificam o mau arranque. "Queremos sempre ganhar todos os jogos e quando entramos em campo é com esse propósito, mas não sou louco e sabíamos que isso poderia não acontecer nesta fase inicial do campeonato, atendendo ao calendário, pois recebemos Sporting, FC Porto e Sp. Braga e em breve iremos defrontar o Benfica, na Luz", assinala Folha, falando num primeiro terço "de elevado grau de dificuldade em casa". "Olhando para o que fizemos, justificava-se a conquista de mais um ou outro ponto", acrescentou.

Neste ciclo - o segundo pior de António Folha nos algarvios, depois de na época passada ter somado um ponto em seis jogos, entre o fim de janeiro e o início de março - o treinador reconhece que "algumas peças não estiveram ao seu nível e mostraram algum acanhamento".

O treinador quer que a equipa "faça o que tem a fazer, sem esperar que as coisas aconteçam" e alude à necessidade de uma melhor adaptação de jogadores que chegaram da América do Sul. "Aqui a intensidade é mais alta, a pressão mais forte... E mesmo alguns craques contratados pelos principais clubes da Europa demoram a ambientar-se", conclui o técnico.

Por Armando Alves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Portimonense

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.