Ajustar a estratégia sem perder a identidade

Rio Ave pode igualar a melhor série de jogos sem derrotas da história do clube no embate com o FC Porto

• Foto: José Reis / Movephoto

A viver a fase mais positiva da temporada, o Rio Ave pode igualar a melhor série de jogos sem derrotas da história do clube no embate de amanhã com o FC Porto. Apesar de ter o recorde em vista, Carlos Carvalhal assume estar à espera de "muitas dificuldades" no Estádio do Dragão. "Jogar com o FC Porto no 1º lugar torna o jogo mais difícil. As equipas que estão na frente têm uma motivação extra. Gostaria de jogar com o FC Porto de há um mês e meio, como, se calhar, também gostava de jogar com o Benfica numa fase em que está menos bem. O FC Porto é uma equipa muito bem organizada e o Sérgio Conceição, com os recursos que tem, tem feito um excelente trabalho. Em casa, o FC Porto é a equipa mais forte do campeonato, ainda só perdeu um jogo", começou por referir o técnico dos rio-avistas .

Carlos Carvalhal destacou ainda que o conjunto azul e branco tem "poucas fragilidades" e assumiu que a superioridade que os dragões normalmente exibem em casa pode obrigar a sua equipa a fazer pequenos ajustes na forma de encarar a partida: "Queremos disputar todos os jogos para vencer, independentemente do adversário. Se vamos jogar predominantemente no meio-campo ofensivo e ter mais posse de bola? Será extremamente difícil, mas queremos respeitar a nossa identidade. Gostamos de jogar em ataque organizado, mas, se o FC Porto nos obrigar a jogar sem bola, vamos tentar ser perigosos no momento da transição."

O treinador concluiu traçando os objetivos do Rio Ave para o que falta jogar do campeonato. "Estamos a perseguir os 25 pontos que fizemos na 1ª volta. Temos apresentado um bom futebol desde o jogo com o Marítimo, estamos num período de maturação e queremos ir ao Estádio do Dragão conquistar pontos", rematou.

Ausências não preocupam

O Rio Ave vai apresentar-se no Estádio do Dragão sem os castigados Matheus Reis e Filipe Augusto e sem o lesionado Jambor. Para além destes, Lucas Piazón, Diego Lopes e Al Musrati estão a contas com problemas físicos e em dúvida para o embate com o FC Porto.

Apesar disso, Carlos Carvalhal não se mostrou excessivamente preocupado com a situação e assegurou que a sua equipa vai conseguir dar uma boa resposta. "Os bons jogadores fazem sempre falta. O nosso plantel é muito curto e temos três sub-23 [Vitó, Leandro Silva e Rúben Gonçalves] a trabalhar connosco. Isso foi uma opção nossa, não valia a pena termos uma equipa de sub-23 se tivéssemos um plantel de 26/27 jogadores; assim abrimos a janela de oportunidades a alguns miúdos. Temos alguns problemas no meio-campo, mas sou treinador para arranjar soluções. Não temos problemas em colocar sub-23 a jogar e vamos ser competitivos", salientou o técnico dos vila-condenses.

Por Diogo Matos
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Rio Ave

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.