Roderick na melhor hora com Capela fora de ação

Eixo defensivo tem sofrido uma curiosa e inusitada mexida em função de infortúnios

• Foto: Simao Freitas

O eixo defensivo do Rio Ave tem sofrido uma curiosa e inusitada mexida em função de infortúnios aproveitados por outros. Como se já não bastasse o azar de Marcelo, que esteve quase oito meses sem jogar, o plantel sofreu mais um revés esta época, com a saída de Aníbal Capela das contas do treinador a partir de janeiro, por força de uma lesão no tendão de Aquiles esquerdo que vai deixar o central de 24 anos fora de ação até ao final da época.

Disso se aproveitou Roderick, que está a viver o melhor momento da carreira em Vila do Conde, concluído na última jornada com o golo da vitória sobre o Marítimo e que deixa a equipa com mais hipóteses de assegurar o tão desejado lugar europeu.

Também com 24 anos, Roderick pegou de estaca no onze precisamente quando Capela saiu, por via das constantes dores que uma ausência anterior de dois meses não serviu para amenizar. Roderick foi pela primeira vez titular esta época no campeonato no empate em pleno Estádio do Dragão, dia 6 de janeiro, e desde aí apenas falhou a deslocação ao Bessa, envolvido na criteriosa gestão de Pedro Martins, tendo em vista o jogo da 2ª mão da meia-final da Taça de Portugal, frente ao Sp. Braga.

A verdade é que Roderick já leva 12 jogos a titular, superando a regularidade que chegou a ter na época passada, com influência interrompida precisamente em janeiro devido a uma rotura do tendão de Aquiles...

Chaves na agenda

Com o plantel limitado devido à abertura da competição às seleções, destaque para o golo de ontem de Kayembe no triunfo dos sub-21 belgas, na Moldávia, por 2-0 – através das redes sociais, o extremo dedicou o seu tento às vítimas do recente atentado terrorista em Bruxelas.

Por António Mendes
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Rio Ave

Notícias

Notícias Mais Vistas