Daniel Ramos e a nova temporada: «Sei que o principal objetivo é a manutenção»

Treinador do Santa Clara quer época tranquila na Liga NOS

• Foto: Facebook Santa Clara

O treinador do Santa Clara, Daniel Ramos, referiu esta quarta-feira que o "objetivo" da equipa é andar em "posições confortáveis" na Liga NOS,  frisando não sentir pressão extra devido à classificação histórica da época passada.

"Eu sei o que clube quer. Não me baseio nada em relação àquilo que foi o passado. Não dou grande importância. O que sei é o que são as metas do clube. Sei que o principal objetivo é a manutenção, fugir das aflições, andar o máximo possível em posições confortáveis", disse Daniel Ramos.

O treinador respondia a uma pergunta da Lusa sobre a pressão para a temporada 2020/21, depois da equipa ter atingido a melhor classificação de sempre na última edição do campeonato (nono lugar), sob o comando técnico de João Henriques.

O treinador acrescentou ainda à lista de objetivos "ir o mais longe possível" na Taça de Portugal e na Taça da Liga, reiterando que não sente "de forma alguma" responsabilidade extra pelos feitos alcançados pela equipa no passado.

Daniel Ramos falava aos jornalistas, no complexo do Lajedo, em Ponta Delgada, na semana em que o grupo regressou aos Açores, depois de um estágio no norte do país.

Nos dez dias do estágio, os açorianos realizaram cinco jogos, em que obtiveram três vitórias (Penafiel, Nacional, Moreirense) e duas derrotas (diante de Vizela e Sporting de Braga).

O treinador realçou que o estágio foi "bastante proveitoso", quer para "conhecer o grupo de trabalho", quer para o plantel "assimilar ideias" de jogo.

"Os indicadores de jogo demonstrados pelos jogadores, quer a nível tático quer a nível físico, tiveram resultado bastante satisfatório. Por isso mesmo regressamos com a convicção de que estamos no caminho certo", apontou.

Sobre a constituição da equipa, Daniel Ramos reconheceu que existe "alguma indefinição", mas frisou que o mercado de transferências só irá fechar a 05 de outubro.

"Alguma indefinição, mas é uma indefinição propositada, porque estamos a ser cautelosos nos reforços que temos de trazer. Há um jogador em trânsito, que é um avançado e há um central que está a ser equacionado", avançou.

Daniel Ramos assinalou ainda que a vinda de jogadores de craveira internacional para clubes que não os designados três grandes constituem "indicadores de vitalidade" do futebol português.

"Os nomes e a capacidade de resposta de alguns clubes parece-me surpreendente atendendo também ao momento que estamos a viver e às dificuldades financeiras. O que é certo é que o futebol português está a dar indicadores de vitalidade", afirmou.

Nas últimas semanas, foram anunciadas as contratações de Quaresma para o V. Guimarães, de Javi Garcia para o Boavista e de Nico Gaitán para o Sp. Braga.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Santa Clara

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.