Insulares têm "três nomes em cima da mesa" para futuro treinador

Presidente do clube e a sucessão a Carlos Pinto

• Foto: DR Record

O presidente do Santa Clara admitiu esta segunda-feira existirem "três nomes" em cima da mesa, de onde poderá sair o próximo treinador dos insulares, depois de ter sido anunciada, esta segunda-feira, a saída do técnico Carlos Pinto.

"Existem três nomes em cima da mesa, vamos auscultar diretamente estes treinadores e certamente que muito em breve teremos novidades, porque já há uma próxima época desportiva para planear e isso tem de ser feito com o novo treinador", afirmou Rui Cordeiro.

O presidente falava aos jornalistas, após a receção que foi feita ao clube no salão nobre, na Câmara Municipal de Ponta Delgada, onde recusou revelar a identidade dos treinadores quando confrontado se os nomes de José Peseiro e José Couceiro eram uma possibilidade, sendo que os treinadores estão livres contratualmente.

"Os três nomes estão em cima da minha secretária e quando tiver mais novidades com certeza que irei passar à comunicação social, porque nós temos que preparar a próxima época com cabeça, tronco e membros e é um projeto que queremos começar já a delinear", sublinhou.

Rui Cordeiro fez questão ainda de "desejar as maiores felicidades" ao técnico Carlos Pinto que está de saída do Santa Clara, depois de ter assegurado a subida da formação açoriana à Liga NOS.

"Só tenho que elogiar aquilo que o Carlos Pinto fez pelo Santa Clara, há três anos pegou num clube para não descer de divisão e em três anos levou o Santa Clara à primeira divisão, é um treinador que ficará para a história do clube pela sua dedicação, pela sua competência, pela sua seriedade e por ser um ser humano fantástico", realçou.

Quanto à contratação de jogadores, o presidente do clube confirma que o clube vai manter cerca de 15 jogadores do plantel, sem para já desvendar nomes, porque existem jogadores "com contrato e outros não".

"Em termos de renovações vamos começar a trabalhar nisso a partir de amanhã [terça-feira], sendo que o objetivo passa por manter uma espinha dorsal de 14/15 jogadores, manter o núcleo duro", disse.

Com vista à preparação da equipa para a época 2018/2019, a direção do Santa Clara aguarda ainda o agendamento de uma reunião de trabalho com Vasco Cordeiro, presidente do Governo Regional dos Açores, na qual serão abordadas as "necessidades do clube" para ingressar na I Liga de futebol.

"Tempo útil há se começarmos a trabalhar já porque o Estádio de São Miguel precisa de um conjunto de infraestruturas básicas em termos de estacionamento, lugares sentados, de apoio à comunicação social, sanitários, de acessibilidades e de luminosidade, ou seja, há muito trabalho pela frente, é um trabalho que tem de ser feito com rigor e a tempo da vistoria da Liga que é a 30 de junho", confessou.

Rui Cordeiro quer ainda abordar com o Governo Regional dos Açores, a necessidade de o clube ter "mais um campo de apoio", porque o nível competitivo é agora "completamente diferente" e comporta outras exigências.

"O nosso objetivo passa para que o Governo nos possa libertar um terreno que está contíguo ao Estádio de São Miguel para que nós possamos, aí, porque não com o apoio da autarquia de Ponta Delgada, ter mais um relvado ou um sintético de apoio que possa servir o futebol profissional durante o dia e a formação durante a noite", sublinhou.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Santa Clara

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0