Record

SAD quer acordo com Batista

Rui Cordeiro diz que basta de guerras

• Foto: Hugo Ferreira
O tribunal de Ponta Delgada suspendeu, ontem, o processo que pretendia clarificar quem é o legítimo proprietário de 47,6 por cento das ações da SAD do Santa Clara. O juiz do tribunal de Ponta Delgada suspendeu o processo pelo prazo de 60 dias porque existe a possibilidade de efetuar um acordo extrajudicial entre a SAD, liderada por Rui Cordeiro, e Mário Batista, antigo presidente da SAD.

O processo remonta a 2016, quando Mário Batista viu os acionistas votarem a favor da sua destituição, sendo as ações posteriormente vendidas à empresa Azul Internacional, que pertence ao investidor Lau Lian Sen, natural de Singapura. Rui Cordeiro afirmou que "basta de guerras internas e batalhas judiciais", salientando que "o objetivo deste Santa Clara é unir e pacificar todos os santaclarenses à volta deste projeto".

Quem está inconformado com um eventual acordo entre Mário Batista e a SAD do Santa Clara é um investidor turco, Ismail Uzun, que entregou 190 mil euros ao antigo presidente da SAD do clube açoriano para comprar 46,6 por cento das ações. "Vou apresentar uma queixa na justiça e espero que estes dois senhores sejam presos", declarou.

Entretanto, os açorianos iniciaram um estágio em Quiaios para preparar o jogo de sexta-feira em Vila do Conde, com o Rio Ave. O médio Osama Rashid faz hoje um exame ao joelho direito para avaliar a gravidade da lesão contraída com o Boavista.
Por Luís Pedro Silva
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Santa Clara

Notícias

Notícias Mais Vistas