A antecipação deu resultado

Primeiro objetivo do defeso era garantir alternativas credíveis para as saídas

• Foto: Ricardo Jr

Primeira fase do defeso plenamente concretizada nos objetivos traçados pela SAD minhota. António Salvador queria, em primeira instância, fazer um ataque cirúrgico ao mercado, procurando desde logo cobrir os buracos que se abriram num grupo ganhador, em função das inevitáveis saídas de Jefferson, João Carlos Teixeira e André Horta. O trio de emprestados por cada um dos três grandes já tinha o seu destino traçado e, por via disso mesmo, a ideia foi trabalhar em antecipação para deixar a concorrência sem hipóteses de resposta e não é por mero acaso que, uma semana depois de terminar o campeonato, o Sp. Braga já tinha três reforços para as posições que ficaram deficitárias. No caso, Ailton, Eduardo e João Novais, trio já oficializado.

Ou seja, o equilíbrio do grupo está já amplamente garantido, numa ótica que teve sucesso de uma concorrência de dois elementos para cada posto no habitual 4x4x2 de Abel Ferreira.

Nesta primeira fase, aliás, a SAD não se limitou a cobrir as ausências, mas também se preocupou em resguardar o grupo de possíveis ataques, começando logo pela figura central do treinador, que viu o contrato melhorado, ampliado e quase o dobro da cláusula rescisória, que é agora de 12,5 milhões de euros. A mesma política foi seguida no caso de Paulinho, neste caso a ficar mesmo com o dobro da cláusula de rescisão (de 15 para 30 milhões de euros).

Por António Mendes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sp. Braga

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.