Sp. Braga fala em "acontecimentos estranhos" e ataca arbitragens dentro e fora de portas

Newsletter semanal do clube minhoto visa ainda as transmissões televisivas das competições europeias

• Foto: José Gageiro/Movephoto

O Sp. Braga teceu esta terça-feira duras críticas às arbitragens e fala em "acontecimentos estranhos" nas provas nacionais e europeias. Através da newsletter semanal, os minhotos começam por apontar o dedo ao trabalho do árbitro no jogo com a Roma, da 1.ª mão dos 16avos de final da Liga Europa.

"O primeiro amarelo mostrado a Ricardo Esgaio - e que contribui para a sua expulsão na segunda parte - é para lá de absurdo" e "o penálti não assinalado por abalroamento a Sporar dentro da área é tão evidente que pode até ser considerado um atentado à verdade desportiva" escrevem os responsáveis arsenalistas, centrando depois atenções nas arbitragens dos jogos da Liga NOS. "Basta olharmos para o nosso campeonato e encontramos, todas as jornadas, inclusivamente nesta, inquietantes exemplos de uma dualidade de critérios gritante e por demais incompreensível", justificam.

No final, o Sp. Braga critica ainda as transmissões televisivas dos das competições europeias, face a Benfica e FC Porto, naquilo que considera ser "uma questão demonstrativa de uma pequenez atroz".
 

Leia o texto na íntegra:

"Força, resiliência, solidariedade, reação, resistência, (muita) qualidade e (muita) ambição. Esta foi uma semana de profundas confirmações no SC Braga.

Assistimos em dois atos à plena afirmação da verdadeira alma Gverreira que transborda da nossa equipa principal. Frente à Roma, resistimos estoicamente a uma arbitragem extremamente penalizadora e que colocou em causa as nossas ambições nesta competição. O primeiro amarelo mostrado ao Ricardo Esgaio - e que contribui para a sua expulsão na 2ª parte - é para lá de absurdo; o penálti não assinalado por abalroamento a Sporar dentro da área é tão evidente que pode até ser considerado um atentado à verdade desportiva.

Mas, atenção que estes ‘acontecimentos estranhos’ não acontecem apenas nos encontros europeus. Basta olharmos para o nosso campeonato e encontramos, todas as jornadas, inclusivamente nesta, inquietantes exemplos de uma dualidade de critérios gritante e por demais incompreensível.

Que não haja a mínima dúvida: o SC Braga viu-se impedido, por razões do foro disciplinar, de viajar para Itália com a eliminatória completamente em aberto. Ainda assim, e apesar das dificuldades que sabemos que nos esperam, continuamos a acreditar. Porque um verdadeiro Gverreiro nunca desiste. Nunca!

No segundo ato desta saga de confirmações, assistimos a um verdadeiro recital de qualidade por parte da nossa equipa. 10 jogos nos últimos 30 dias? Pouco importa quando o coração e a qualidade de jogo se exprimem com este brilho. Diante do Tondela, o SC Braga mostrou o porquê de ser unanimemente considerado uma das equipas que melhor futebol pratica em Portugal. Da defesa ao ataque, os nossos jogadores fizeram uma exibição plena, recheada de momentos verdadeiramente inspiradores e que culminaram num resultado expressivo.

Como é várias vezes repetido pelo mister Carlos Carvalhal, não olhamos para os pontos nem para as classificações, nem para o que está para lá do próximo jogo. Por isso, passo a passo; dia a dia; jogo a jogo. Continuaremos a trilhar o nosso caminho com a humildade que nos caracteriza e a ambição que nos norteia. 

Fora das quatro linhas, lá longe no sítio onde a bola não é redonda e a relva não é verde, continuamos a assistir a fenómenos pouco condizentes com o profissionalismo e a qualidade que as equipas do nosso campeonato mereciam ter. O que distingue o percurso europeu do FC Porto, do Benfica e do SC Braga? Um simples detalhe: o facto de os dois primeiros, um em sete e o outro em oito oportunidades, terem visto os seus jogos serem transmitidos em canal aberto... sempre! Ao mesmo tempo, a nossa equipa valeu-se da Sport TV e dos bons profissionais que fazem parte daquela casa.

Não sendo novo nem algo verificado apenas esta época, o tema merece uma profunda reflexão. Porque, por muito que se diga que as audiências é que definem critérios de transmissão (e até esta é uma questão demonstrativa de uma pequenez atroz), não é eticamente aceitável nem desportivamente justo que apenas três equipas recebam toda a atenção mediática, enquanto as restantes são olhadas como meros figurantes.

Igualmente importante, a confirmação de cariz solidário. O SC Braga, enquanto entidade de referência nacional e internacional, voltou a dizer ‘presente’ nestes tempos de incerteza que vivemos, doando uma carrinha de 22 lugares à Irmandade de São Bento da Porta Aberta. Porque, no final do dia, seremos sempre muito mais do que um Clube. Temos consciência da responsabilidade social que carregamos e temos como objetivo aproximarmo-nos mais e mais da nossa região, da nossa cidade, das nossas gentes.

Por último, uma palavra de coragem a Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol do FC Porto e da Seleção Nacional, que está a disputar o jogo mais importante da sua vida. Desta vez, estamos todos em frente à baliza, prontos para defendermos este derradeiro livre de 7 metros. Muita força, Quintana!"

Por Record
14
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sp. Braga

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.