Tribunal dá razão ao Braga no diferendo com o antigo diretor geral

Considera que despedimento de João Gomes foi lícito

João Gomes
João Gomes

O Tribunal de Matosinhos declarou lícito o despedimento de João Gomes por parte do Sp. Braga, avança o 'Jornal de Notícias".

O antigo diretor geral do clube arsenalista pedia uma indemnização de 367 mil euros por considerar que tinha sido despedimento sem justa causa.

A situação de litígio entre ambas as partes começou, recorde-se, em fevereiro, altura em que o Sp. Braga abriu um procedimento disciplinar a João Gomes por "factos muitos graves". 

Em tribunal, o presidente do Sp. Braga, António Salvador,  reiterou a posição tomada pelo clube em comunicado, voltando a apontar a existência de uma tentativa de extorsão por parte do antigo diretor-geral, que terá apresentado, num documento entregue em mãos no dia 8 de fevereiro, as suas condições para cessar amigavelmente as suas funções: 250 mil euros, um carro e subsídio de desemprego, caso contrário revelaria dados comprometedores relativos ao emblema arsenalista. 

João Gomes deu outra versão para a história. O ex-dirigente começou por garantir que a única carta que passou a António Salvador na dita reunião era de um grupo de sócios anónimos desagradados com o rumo do clube, fator que terá caído mal ao presidente bracarense e que terá motivado um convite à saída. 

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sp. Braga

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.