Tudo o que foi dito por Frederico Varandas na entrevista ao Canal 11

Presidente do Sporting abordou a atualidade e futuro dos leões

Frederico Varandas concedeu uma entrevista ao Canal 11 onde falou da atualidade e futuro do Sporting. O presidente leonino explicou que já na próxima época quer um "plantel composto por entre um terço a metade dos jogadores formados no Sporting", elogiou Rúben Amorim e jovens como Matheus Nunes ou Tiago Tomás. 

O líder verde e branco falou nas saídas de dois membros da direção, no diferendo com o Sp. Braga por causa de Battaglia e das rescisões/acordos após o ataque de Alcochete. E apelou à redução de equipas na Liga NOS.

Veja a entrevista na íntegra em baixo:

Pandemia

"Tivemos neste primeiro fim-de-semana da Bundesliga inúmeros casos. Independentemente do número de semanas de preparação, qualquer equipa vai ter problemas quanto aos jogos de preparação. Tem de se pesar entre o risco de ganhar competitividade e o de contágio. Eu, como médico que esteve no combate à covid-19, acho que temos de começar a normalizar os processos de vida normal. O governo teve muito mérito nas primeiras medidas e está a ter muito mérito no desconfinamento. Quem disser o contrário, eu discordo. "

Sporting candidato ao título em 2020/21

"O objetivo que temos, sem mentir aos sócios, é estar na Champions League. Ponto final. Fizemos um trabalho de reestruturação. Obviamente este é o 'target' do Sporting. O Sporting vai lutar pelo título. Vou dizer que o Sporting vai ser campeão? Não vou dizer isso. Até 2022, o objetivo é estar na Champions League. Se tiver um Tiago Tomás, um Gonçalo Inácio ou um Nuno Mendes a jogarem na Liga dos Campeões valorizam três vezes mais do que na Liga Europa."

Contratar diretor-geral?

"Queremos sempre melhorar. O Hugo Viana teve se calhar o pior papel possível num clube que tem de vender e não tem capacidade para reforçar o plantel. Avalia-se a pessoa por isto e não a conjuntura que levou a isto. Estamos a olhar para a nossa estrutura. Estamos constantemente a querer melhorá-la. O Hugo é um grande ativo, a nível de competência e seriedade, sem dúvida alguma. É conhecedor da formação e dos treinadores. Tem uma disponibilidade e paixão muito grandes. Queremos formar também treinadores também. Há um envolvimento dele com todos os treinadores.

Miguel Quaresma foi fulcral na forma como pensou o modelo centrado no jogador. Ele e João Couto fizeram um trabalho espetacular. Tenho várias reuniões de trabalho semanalmente e observava que os treinadores do Sporting na formação tinham contrato de ano a ano. As pessoas olhavam para os títulos, se não éramos campeões os treinadores não prestavam. Vai embora. O treinador sente uma pressão enorme para ter sucesso imediato. Olhemos para o Cristiano Ronaldo, o melhor jogador que o Sporting formou até hoje. Quantos títulos ganhou na formação? Nenhum. É isto o que o Sporting tem de fazer. É o que a Academia tem de fazer. O objetivo do cozinheiro, do senhor que abre a cancela, de toda a gente na Academia é ver um jogador a chegar à equipa principal como foi o caso do Thierry Correia. Fez uma pré-época e foi vendido por 12 milhões de euros. Todo o funcionário da Academia tem de estar realizado por ele. Conciliar com títulos? Maravilha. Mas o objetivo é formar jogadores."

Formação

"Quando chegámos, Joelson, Nuno Mendes entre outros miúdos estavam soltinhos para assinar por outros clubes. Estavam na transição e isto investimento. Tivemos de aguentar o assédio de tubarões europeus. Assédio nacional? Aí, até hoje tem havido bom senso, não temos entrado numa guerra santa. Custa muito formar um jogador com 14 anos e por um milhão ou meio milhão levam o miúdo. "

Plantel 2020/21

"Queremos um plantel com 24 jogadores sendo que metade virá de Alcochete. Com o Battaglia para ensinar, com Acuña. Entre 8 a 12 serão formados na Academia. O que não podíamos ter é o que tínhamos quando chegámos, em que quase não havia jogadores formados. Renovar com Francisco Geraldes? Ainda tem contrato."

Matheus Pereira

"O prolongamento da opção foi com acordo nosso. Temos de ser solidários. Eu estou a sentir dificuldades. O WBA que está na Premier League mandou-nos uma carta a pedir um adiamento e vai receber mais de televisão que o nosso orçamento todo. Não o dou por vendido, só dou quando tiver o dinheiro na conta. Temos um acordo que vem de trás. Pediram um prolongamento. Como o WBA, há mais três clubes com incumprimentos connosco que não quero revelar, nacionais e estrangeiros."

Acuña

"É um dos jogadores que dá muita experiência aos miúdos. A jogar num sistema de três defesas, o Acuña é um dos melhores laterais do Mundo. É muitas vezes mal compreendido pela sua paixão e entrega. É um dos principais ativos do Sporting. É internacional argentino. Temos o melhor lateral-esquerdo sub-19 da Europa: Nuno Mendes. Já houve abordagens de grandes clubes europeus com propostas concretas."

Palhinha

"Empréstimo foi feito pela Comissão de Gestão. A decisão não passou por mim. Proposta concreta? Não é verdade. Ao Sporting não chegou. De proposta não há nada."

Mathieu

"Confesso que tenho uma relação especial com ele, é uma pessoa diferente. Não sei, a última conversa que tive, ainda que ele tenha dito uma coisa e tenha voltado atrás, mas a vontade dele é reformar-se. Quer retirar-se do futebol. Tem uma paixão pelo treino. Admito dar-lhe uma função de treinador. O Mathieu fala muito pouco, tem de falar mais. Não tenho dúvidas, por exemplo, que o João Pereira vai ser treinador, está agora na Turquia."

Cédric e Wilson Eduardo

"Wilson já foi meu jogador também. Vai tapar-me um Camacho ou um Plata? Cédric? Temos o Ristovski e o Rosier em quem acredito muito."

Adrien e João Mário

"Têm contrato, têm massas salariais muito elevadas. Vejo aquele grupo com muito futuro. Teremos de trazer experiência ao plantel. A estes miúdos não chega ser apenas miúdos. Quero reforçar e dar alegrias ao treinador. O Rúben Amorim já trabalhou com este grupo e está a trabalhar e demonstrou o que gostaria de ter. Veremos se é possível. Não há nenhum jogador intransferível. O Sporting tem seis miúdos a chegar à equipa A. Depois temos um Plata que foi contratado com 18 anos. O Camacho com 19, vamos ver estes miúdos. A margem de progressão é grande. Precisam de um Rúben Amorim para apostar neles."

Jesé e Bolasie

"Um Tiago Tomás estava preparado para ser titular do Sporting, ou para ajudar a equipa [no início da época]? Por exemplo. Tínhamos de ter jogadores para completar o plantel… Não há milagres. Eu não tinha estes miúdos. Se tivéssemos estes miúdos de 19 anos a chegar eu autopenalizava-me. O empréstimo é um sistema que não me agrada nem nunca me agradou. Fi-lo por necessidade. Não podemos esquecer o passado. Preparámo-nos no mercado para vender o nosso principal ativo que era o Bruno Fernandes por valores que acabámos por vender. Não conseguimos vender em agosto. Tínhamos obrigações financeiras que não podíamos incumprir e não o fizemos."

Rúben Semedo no Benfica?

"Desconforto? É um miúdo que passou muito mal na vida. É um ótimo miúdo ao contrário do que se disse. Enquanto foi profissional do Sporting deu sempre o seu melhor. São profissionais, o que acontecer, acontecerá. Regresso dele? Estamos muito concentrados neste final de campeonato, há uma energia muito positiva na Academia. Temos um treinador que sabe os jogadores com os quais pode contar. A capacidade do Sporting atacar o mercado vai estar muito limitada, mesmo a do futebol português vai estar. Por isso, temos de jogar com a prata da casa."


Rafael Leão

"Havia dois processos dele, um a correr na FIFA e outro no TAD. O da FIFA eles consideraram que não eram competentes para julgar o caso e colocam a responsabilidade no TAD. Ao fazerem isto, decisão com a qual não concordamos, ilibam o Lille da equação. Entendemos que o Lille tem responsabilidades na rescisão. Nós recorremos. O TAD condena o Rafael Leão a pagar 16,5 milhões de euros. Olhando para trás, quando muito se criticou o que o Sporting fez, vejo à data o Rafael muito mal aconselhado. Eu próprio, ainda não era presidente, falei com o pai dele. Pedi, por favor, para não rescindir. Ele era um dos maiores talentos. Voltar? Não estou a ver o AC Milan a libertá-lo. Não vamos estar à espera três ou quatro anos."

Modalidades


"Tem de haver a palavra ‘adaptação’ e não cortes. Irão sobreviver os que se adaptarem melhor à nova realidade. Não tenho duvida nenhuma que quando vemos o PIB que o FMI projeta, as empresas e famílias irão ressentir-se. Provavelmente os clubes também.  Neste momento, não temos sequer o orçamento da equipa de futebol na próxima época, na SAD. No clube será igual. Nem sei como é que vão ser as modalidades de pavilhão. Vamos poder jogar em setembro? Num pavilhão indoor? Não faço ideia. Há algo que qualquer sportinguista entenderia se eu dissesse o seguinte. O Adrien é da formação e o motor do Sporting que é o futebol… estamos a fazê-lo e temos de o fazer, apostar na formação.. O foco das modalidades tem de ser a formação. Tem de ser obrigatório. Não há hipótese de contratar só craques. Ou os nossos rivais também vão por este caminho ou ninguém se aguenta. Da nossa casa sabemos nós. O histórico das modalidades de há muitos anos era a formação, eu fui atleta de modalidades amadoras. Não nos podemos esquecer. É possível ser campeão so com a formação? É impossível. Nas modalidades dizemos que os objetivos das modalidades é a disputa de títulos. Temos grandes treinadores que vão ter um desafio. À imagem do futebol, a base tem de ser a formação."

Equipa B


"Vamos tê-la já este ano. Ainda não é oficial. Ainda não está consumado, apesar de já ter tido uma conversa com o presidente Fernando Gomes. Tínhamos planeado o regresso da equipa B em 2021/22. Mais uma vez, é fácil destruir mas construir é difícil. A equipa B é fundamental no processo da formação que é a última etapa. O treinador ainda não temos. Tem de ser completamente alinhado com o treinador da equipa A. Eu quero que o Rúben Amorim tenha uma palavra nessa escolha. A equipa B à imagem do que são as outras equipas da formação, o objetivo número um é formar jogadores.

Campo? Temos tudo em cima do joelho. Agora imaginem se não tivéssemos mudados dois campos relvados, um sintético… Têm de treinar. Acordo com algum clube? Vamos ver. Estávamos preparados para ter a equipa no ano seguinte. A pandemia e a reestruturação da 3.ª Liga abriu a porta e tem de ser agora. Tem uma agravante que é o covid-19. Temos de o fazer agora. São várias medidas em cima do joelho. Nas próximas semanas teremos novidades."

Tiago Tomás

"Foi um miúdo que estava nos sub-19, tem 17 anos e vai ser uma aposta séria do Rúben Amorim. Não pode jogar porque foi inscrito agora pela quipa principal. O campeonato parou em março e nestes meses o Tiago não estava inscrito. Nas 10 jornadas que faltam, se o Rúben entender, ele só poderá fazer cinco. Era um miúdo de que ouviu falar. Muitas vezes não estamos na cabeça dos treinadores. Eu fico descansado com o treinador. O Rúben não procura só o talento num jogador. Procura a fome de ganhar, não queremos jogadores acomodados. Alguns ao assinarem pelo Sporting sentem que chegaram ao auge da carreira. O Rúben não quer esse tipo de jogadores. Por vezes aparece um miúdo de 17 anos com muita fome que corre, que mete o pé. Depois tem de saber ouvir os mais velhos."

Formação e jovens no plantel

"Investir na Academia não é só mudar os relvados. Diretor de recrutamento, de unidade de performance, de scouting, de departamento clínico mudaram todos. Mudámos estes recursos humanos e vimos o que tínhamos em termos de formação. Tínhamos uma equipa de sub-23, uma equipa B que desceu de divisão e foi desativada. Um erro crasso. Na equipa sub-23 tínhamos Marcos Túlios, Paulinhos, jogadores com 22 anos e 23, ordenados pesados, que rendimento deram? Agora temos miúdos com talento. Fizemos um grupo de elite que idade têm? 15 e 16 anos. Podiam ajudar a equipa principal? É difícil. Então o que é que vamos fazer? Portanto, são juvenis e para o ano vão estar nos sub-23. O Tiago Tomás, o Eduardo Quaresma, o Nuno Mendes estão na equipa principal. Vamos chegar lá. Temos hoje um modelo de evolução centrado no jogador. Há um grupo de elite identificado, seja sub-13, sub-15 e sub-17. Estão catalogados como grupo de elite. Todo o staff, desde os recursos humanos, do pessoal da nutrição sabem quem são eles no grupo de elite. O objetivo é chegar à equipa principal. O Matheus Nunes foi contratado por nós em janeiro de 2019 e estava no Estoril B. Preparámos os miúdos e mesmo agora não é fácil, porque esses miúdos têm 17 anos.

No mercado de verão, o Sporting tinha capacidade para ir buscar jogadores de 12 milhões, de 10? Como FC Porto e Benfica fizeram? Não. Temos de ter um plantel composto por entre um terço a metade dos jogadores formados no Sporting. Isso vai verificar-se já no próximo ano. É uma das grandes apostas e eu posso ter uma visão e uma estratégia e esta é talvez a maior dificuldade de toda a máquina chamada treinador."

Rúben Amorim

"A minha visão de quem trabalhou com N treinadores, há uma peça fundamental que é o treinador. Hoje o treinador está altamente valorizado, não é só o jogador. Basta olhar para um Paulo Fonseca, Jesus, Jardim, Vítor Pereira, Villas-Boas… Há um pormenor muito importante que é o vencimento. É hoje muito difícil atrair um grande treinador português. Sei isso por experiencia própria.

Há dois treinadores que estão lá em cima depois de tudo o que eu tinha trabalhado até hoje: são Leonardo Jardim e Jorge Jesus. Hoje, posso dizer isto aqui sem dúvida alguma, o treinador do Sporting dificilmente em três a quatro anos não estará nos melhores clubes europeus. Não tenho a menor dúvida. Leonardo Jardim não conseguiu títulos e foi. Rúben Amorim com metodologia de treino, a liderança, o não ter medo de apostar na Juventude…

Em relação ao valor, eu vou dar um exemplo. O Sporting tem tem 50 por cento do passe de Matheus Nunes e pagou 500 mil euros por essa parte. Tem a hipótese de comprar mais 50 por cento por outros 500 mil euros. Temos todo interesse em comprar. Ele custou 500 mil. Do que eu já vi do Matheus Nunes, como está a treinar hoje com os colegas com Battaglia, Doumbia, Vietto… Não tenho dúvidas nenhumas que vai pagar o Rúben Amorim. Só ele vai pagar o Rúben Amorim. Eu, para acertar no treinador, tem de ser competente e completamente em sintonia com a aposta nos jovens."

Documento ‘regresso ao futuro’

"O que está no documento segue um plano estratégico mas está em execução desde setembro de 2018. Isso é importante. Porquê agora fazer este ponto de situação? Primeiro, queremos diminuir a assimetria de informação que existe entre clube e sócio. Esta pandemia criou-nos mais essa vontade. Obviamente, se sair de presidente e for para a posição de sócio, vejo todos estes cenários de que se fala, o CEO da Bundesliga a dizer que só daqui por dois anos é que o mercado vai normalizar. Provavelmente as gameboxes serão só vendidas a um quinto no próximo ano. O que é que isto vai comprometer? Quisemos fazer um ponto de situação de como estávamos e o que foi feito. É muito injusto quando uma equipa chega a um local e tem de gastar boa parte dos seus recursos em resultados invisíveis à maioria dos sócios. Muito do que foi feito foi o trabalho de alicerces. Hoje estou muito mais feliz. Reduzir custos foi um desafio, foi duro? Foi. Resolvemos o empréstimo obrigacionista, o problema de tesouraria. Conseguimos cumprir o fair-play financeiro. Conseguimos no meio disto vencer dois títulos no futebol. Conseguimos ainda vencer oito títulos europeus nas modalidades. Isto tudo em 20 meses."

Passivo

"Chegamos em setembro de 2018. Significa que tivemos de fazer uma medida no passivo face ao momento de tesouraria extremamente difícil e tendo o incumprimento do fair-play financeiro à porta, tivemos de aumentar propositadamente o passivo com a operação da titularização do contrato da NOS. Aumentamos transitoriamente o passivo numa medida de sobrevivência. Faz parte da estratégia. A partir daí, em três trimestres seguidos, reduzimos o passivo. À data de hoje, apresentamos cerca de 304 milhões de euros de passivo, um valor já inferior ao passivo de 2016/17. Estamos a reduzi-lo de forma consistente até à pandemia. Agora temos um problema chamado covid-19 que mexe com o Sporting e com todos os clubes. Isto foi delineado. Sofre a competitividade e sabemos que o segundo ano do mandato era o mais duro porque foi o ano em que tivemos de perder os ativos desportivos que valiam mais e não tínhamos os ativos da formação ainda prontos para integrar no plantel. Agora temos."

Proximidade com Vieira e Pinto da Costa


"Nessa reunião, falo em nome do Sporting mas também em nome do Benfica, do FC Porto e do futebol português. O papel fundamental que a FPF teve também. Tivemos uma reunião primeiramente em videoconferência onde nada se soube. Os três presidentes estiveram presentes com Fernando Gomes e Tiago Craveiro, em que expusemos as nossas preocupações do futebol português, produto e exportador de talento. A principal linha de receita vem de venda de jogadores. Fernando Gomes ouviu-nos e disse que seria de chegar ao primeiro-ministro. Tinhamos pedidos de todos os clubes da Primeira Liga para nos juntarmos e defendermos o futebol português. Foi o que fizemos. Passado uma passado, o presidente da FPF informa-nos que íriamos com ele e Tiago Craveiro ao primeiro-ministro onde estariam outros ministros. Foi pelos vistos um momento histórico. Infelizmente é um momento histórico e digo infelizmente por uma razão. Eu não tenho de ser amigo do presidente do FC Porto e do Benfica. Muito menos podemos esquecer as rivalidades, elas fazem parte do futebol. Do ponto de vista da industria, é uma loucura Benfica, Sporting e FC Porto não estarem alinhados, pelo menos 80% da visão do futebol português. Não estou a falar de rivalidade nem processos na justiça. Falo do ponto de vista empresarial e da indústria. Nenhuma indústria se não houver alinhamento na base… Houve uma necessidade. Aqui os clubes sentiram-se com as suas receitas completamente cativadas. E agora? O que posso dizer é que realmente o que levou Sporting, Benfica e FC Porto a estarem juntos naquela sala foi a necessidade de lutarem pela indústria do futebol português. Esta luta tem de ser contínua durante o ano, apesar das divergências."

"O Sporting tem de ser muito mais bem tratado em temas como a violência, a defesa do espectáculo, as reformas. Têm de haver reformas do quadro competitivo. Revejo-me no documento de Fernando Gomes. Acho que a 1ª Liga tem urgentemente de reduzir para 16 equipas. É mais à frente até. Playoff? Não acho que seja necessário. As equipas têm de ser muito mais protegidas, têm de aumentar a competitividade. Temos de ter menos equipas mas com melhores condições. Temos de ter pessoas que queiram pagar um bilhete mas têm de estar num estádio onde haja uma cadeira e não chova em cima deles, que não haja agressões e violência. Se os três grandes não estiverem alinhados nisto não se faz nenhuma reforma. Com muito boa intenção que tenha Liga e FPF. O futebol tem de ser de famílias e isto não há. Temos de valer mais. Como? Temos jogos com cinco mil pessoas e temos de ajudar esses clubes."

Contratação de Wang Jiahao

"Não veio por 2 milhões de euros. Veio no âmbito de uma parceria. Das três rescisões, a do Rui Patrício foi a mais difícil porque estávamos com a corda na garganta com o empréstimo obrigacionista e tínhamos de o conseguir fazer em dois meses. Na verdade, conseguimos 26,5 milhões de euros e o resto foi colmatado com a venda do Patrício. Nesse momento tínhamos um objetivo que era, e tendo em conta que o Patrício teve uma proposta antes da rescisão na ordem dos 18 milhões de euros, nós balizámos um acordo nesse preço, que seria normal para o Sporting. Foi um negócio muito complexo. O Sporting devia muito dinheiro à Gestifute. O Sporting na altura dizia que não. Havia valores a dever à Gestifute em relação ao Adrien, ao Patrício, havia valores do Sporting ao Rui Patrício… Nós conseguimos reduzir muitos milhões de dívida da Gestifute ao Sporting. O Rui abdicou de muito porque teria valor a receber. Foi uma negociação extremamente difícil. O Wang vem numa parceria do Wolves. Era um miúdo da formação chinesa, um dos principais acionistas do Wolves tem vários investimentos em Portugal. Não fomos iludidos. Era o miúdo mais talentoso e promissor. Nessa parceria, entendemos por o miúdo a rodar nos sub-23. Seria uma hipótese de mercado para a China. É um dos nossos objetivos de internacionalização no âmbito da formação. Era um produto com um talento chinês. De facto, não resultado. Desportivamente não conseguiu impor-se. Foi um negócio extremamente difícil. Safou-nos em tribunal porque se calhar, como os outros, teríamos perdido."

Competitividade no plantel

"Tivemos de o fazer [abrir mão dos melhores jogadores]. Fizemos a segunda maior venda do futebol português de sempre. Quem me dera a mim chegar aqui e dizer assim: tenho a solução para resolver um problema de tesouraria de 215 milhões e não vou perder competitividade desportiva. Não acredito que alguém seja sério e conseguisse fazer isto. Nós conseguimo-lo mas isto tem um preço. É fácil destruir, chegar aqui e perguntar porque é que paguei isto. A situação financeira do Sporting não me assustava na campanha eleitoral e à data de hoje o Sporting financeiramente está muito melhor do que em 2018. O empréstimo obrigacionista que outros passaram para a frente, que é uma péssimo sinal para o mercado e é grave, pagámo-lo nós. Aí, quando se olha para o Gelson, Patrício e Podence, que à data foram os negócios possíveis mas bons negócios, hoje vendo as rescisões do Rafael Leão e Rúben Ribeiro afinal não tenho dúvidas que afinal foram grandes negócios. Não é fácil chegar a um clube como o Wolverhampton, o At. Madrid e Olympiacos e chegavam dizendo que vamos a tribunal e ganhamos. Não, não! Conseguir chegar a este acordo não foi fácil. Acordos foram extremamente difíceis."

Contrato com a NOS

"Tivemos uma operação em relação ao contrato da NOS que foi a titularização do contrato em cerca de 65 milhões de euros, que foi uma operação que estava prevista na campanha eleitoral. Se repararem no nosso caderno eleitoral, do ponto de vista financeira cumprimos tudo o que prometemos. Falta apenas um item que estamos a negociar que é a segunda fase da reestruturação com os bancos, Novo Banco e Millenium. Essa operação de titularização foi de vida ou de morte para o Sporting, que faria com que o Sporting entrasse em cumprimento com o fair-play financeiro. Esta questão é muito importante porque o Sporting neste pagamento de consolidação financeira sofreu do ponto de vista de planeamento desportivo mas fizemo-lo para cumprir financeiramente. É assunto muito sério para o Sporting e cumprimo-lo. Estamos a falar de mais de 40 milhoes de euros de divida a clubes, etc. Essa medida foi um dos problemas que encontrámos, o mais premente, o défice de tesouraria de 215 milhões de euros. Este é um valor colossal. Conseguimo-lo à custa de antecipar receita de 65 milhões de euros, de chegar a acordo com Rui Patrício, Gelson e Podence, à custa de venda de ativos e tempos de relembrar que o Sporting, crescemos a ouvir isso, que o Sporting produzia muito bons jogadores mas vendia mal. Os rivais é que sabiam vender jogadores. Quando olhamos para esse prospeto, da qual a melhor qualidade é a transparência, olhamos para um passado. Eu gosto de factos e de números porque é o que fica na história. Nestes dois exercícios desde setembro de 2018 até ao último mercado de verão, entre receitas e venda líquidas de compras, o Sporting realizou mais do que no acumulado dos últimos 10 anos."

Sem transferências

"Se não houver mercado de transferências durante um ano vai ser difícil. Se não normalizar nos próximos dois a três anos vai ser extremamente complicado. Depende do investimento que vamos fazer na equipa A [para perceber o quanto poderíamos não vir a ganhar com o mercado]. Tínhamos um desequilíbrio financeiro muito acentuado quando chegámos. Corrigimos isso. Como disse, há um ano o clube colapsava e depois estaríamos ainda mais bem preparados para esta pandemia. Agora, o que assusta é que vamos acabar uma época à porta fechada. Isto já vai trazer custos."

Gameboxes

"Temos de respeitar os sócios que compraram gameboxes. Vai haver cinco jornadas que os sócios não vão puder ver. Na próxima época, não sabemos a lotação que o estádio pode ter. Pode ser um quarto, um quinto ou um sexto. Vamos fazer vários planos e ultima palavra será dos sócios."

Pandemia – Quanto desconta dos orçamentos?


"Essa é uma pergunta que a resposta hoje nenhum clube tem. Hoje é um desafio fazer um orçamento. Quando o fazemos estimamos receitas. Se nos disserem a nós, olhando para as linhas de receitas nos últimos anos é fácil: na venda de jogadores como será o mercado? Os orçamentos vão baixar, só não sabemos o quanto. O que posso dizer é que a pandemia… ninguém estava preparado para ela. Esta pandemia se tem sido há um ano o Sporting colapsava financeiramente. Neste momento o que é que há a fazer? Tivemos medidas de gestão a curto prazo. Foi um clube que se organizou muito rapidamente. Tomámos a decisão da administração ter cortes salariais de 50 por cento. Os jogadores da equipa de futebol profissional de 40 por cento, dos atletas das modalidades de 30 por cento e colocámos 86% dos nossos funcionários em layoff. A ajudar a isto há o planeamento de consolidação financeira que o Sporting tem desde setembro de 2018. Isto é extremamente importante. Em 18 meses, chegámos há ano e meio, reduzimos 18 milhões de euros na massa salarial da equipa principal. Ao mesmo tempo, canalizamos recursos para potenciar o que pode vir a produzir valor: a formação. Hoje estamos muito mais bem preparados. Temos um plantel onde 13 jogadores têm abaixo de 21 anos. Seis deles formados e identificados por nós há dois que agora estão na equipa principal."

Queixa da Sampdoria por causa de Bruno Fernandes

"Eu compreendo a visão. Imagine que Bruno Fernandes tivesse rescindido com o Sporting e iria para a Sampdoria, depois sendo vendido para o Man. United. Iam pagar alguma coisa ao Sporting?"

Relação com Sp. Braga e a situação de Battaglia

"Falei pessoalmente com Salvador, entendemos que é discutível, ele percebeu isso mesmo. Disse-me: ‘Eu entendo o seu ponto de vista, o seu departamento jurídico tem uma visão, o nosso tem outra’. O contrato que vigorava foi rescindido, o Sporting teve de pagar nova comissão, novo prémio de assinatura e novo contrato. Entendemo-lo assim. Entendemos que o departamento jurídico do Sp. Braga tenha outra visão."

Saída de dois elementos da direção

"O comunicado é de hoje mas é algo que o Conselho Diretivo estava preparado há dois meses. Estamos a viver a maior crise dos últimos 100 anos. O clube está a ser afetado mas também as empresas e as famílias. Estes dois elementos deram muito ao clube, são dois empresários, tal e qual como outros membros do Conselho Diretivo que não são remunerados. Nunca ganharam um tostão no clube. Se já é difícil conciliar as suas vidas profissionais com as obrigações no Sporting, esta pandemia virou o mundo deles e de quase todos nós. A meio de março, eles na reunião do CD alertaram para a dificuldades que estavam a ter. Um deles é CEO na hotelaria que está a ser muito fustigada, o Filipe Osório de Castro, de quem sou amigo há mais de 30 anos. O Rahim tem um grupo empresarial onde é administrador e os mercados onde atua estão a exigir a sua permanência quase fora de Portugal. Estas pessoas têm responsabilidades, têm administradores e sócios que exigem a sua presença num momento muito difícil. Eles tentaram. O Filipe não queria sair antes de terminar um projeto com a EDP onde vamos tornar muito mais eficiente a parte do Estádio e Academia a nível energético, também no pavilhão. Vamos ter um Sporting mais friendly, mais green e vamos ter uma poupança de cerca de 180 mil euros ao ano. O projeto será conhecido esta semana. Foi assinado há três dias. Estas pessoas tentaram ficar. Havia a possibilidade de ficarem apenas formalmente ligados mas isso não é a nossa forma de estar, nem lhes podíamos pedir isso. O CD exige aprovação de orçamentos e responsabilidades. Não fazendo parte no dia a dia não seria justo fazer isto. Sei o que lhes custar tomar essa decisão. Foram preparando a passagem das pastas. Não precisamos de mais ninguém."

21h59 - Começou a entrevista


O presidente do Sporting, Frederico Varandas, concede uma entrevista ao Canal 11 onde irá falar da atualidade do clube leonino e do futebol português. Acompanhe aqui tudo, em direto, a partir das 22h00!

35
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.