Ataque à academia do Sporting: cronologia de um caso que chocou o futebol

Julgamento começa segunda-feira, no Tribunal de Monsanto

Cronologia dos acontecimentos sobre o ataque à Academia do Sporting, em Alcochete, ocorrido em 15 de maio de 2018, cujo julgamento arranca na segunda-feira:

5 de abril de 2018:

- O Sporting perde por 2-0 com o Atlético de Madrid, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, e o presidente do clube, Bruno de Carvalho, que não se deslocou a Madrid, utiliza o Facebook para criticar os jogadores.

6 de abril de 2018:

- A maioria dos jogadores divulga nas redes sociais um comunicado conjunto no qual mostra desagrado pelas críticas do presidente e lamenta a falta de apoio da direção. Bruno de Carvalho anuncia a suspensão dos jogadores que subscreveram o comunicado.

8 de abril de 2018:

- O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting (MAG), Jaime Marta Soares, considera "esgotadas as hipóteses de manutenção" de Bruno de Carvalho.

11 de abril de 2018:

- A direção do Sporting retira os processos disciplinares que tinham sido levantados aos futebolistas do plantel.

13 de maio de 2018:

- O Sporting é derrotado por 2-1 no estádio do Marítimo, na última jornada da I liga, e perde o segundo lugar para o Benfica e a possibilidade de disputar a Liga dos Campeões. Os jogadores são insultados à saída do Estádio dos Barreiros, no aeroporto do Funchal, e já à chegada da comitiva ao estádio José Alvalade, em Lisboa.

15 de maio de 2018:

- Durante o primeiro treino da equipa de futebol após a derrota na Madeira, cerca de 40 adeptos 'leoninos' encapuzados invadem a Academia de Alcochete e agridem vários jogadores, bem como então treinador, Jorge Jesus, e outros membros da equipa técnica.

16 de maio de 2018:

- A GNR efetua 23 detenções e apreende cinco viaturas na sequência da invasão à Academia do clube.

- Os futebolistas do Sporting reúnem-se com o sindicato dos jogadores e anunciam que vão disputar a final da Taça de Portugal, independentemente das medidas legais a tomar por cada um após as agressões de que foram alvo na Academia.

17 de maio de 2018:

- A MAG anuncia a demissão em bloco, o mesmo acontecendo com o presidente e vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), que deixa de ter quórum. Jaime Marta Soares e Álvaro Sobrinho, presidente da Holdimo, grupo empresarial detentor de 30% das ações da SAD, apelam à demissão de Bruno de Carvalho.

19 de maio de 2018:

- Bruno de Carvalho afirma que o "ato bárbaro" que aconteceu na Academia foi "involuntariamente" criado pelos próprios jogadores, quando dias antes fizeram "frente" a alguns membros das claques, e anuncia que não vai assistir à final da Taça de Portugal, por considerar que não estão reunidas as condições necessárias.

- Um dos líderes da Juventude Leonina, Nuno Mendes 'Mustafá', garante que não houve qualquer pedido, sugestão ou sequer aval de Bruno de Carvalho à claque para qualquer ação contra os futebolistas do Sporting.

21 de maio de 2018:

- O juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro decreta prisão preventiva para os 23 detidos na sequência das agressões na Academia, e o Sporting anuncia que reforçará as medidas de segurança em Alcochete e no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

24 de maio de 2018:

- O então diretor clínico do Sporting, Frederico Varandas, anuncia a demissão e mostra-se disponível para se apresentar como futura solução diretiva.

- O presidente demissionário da MAG agenda uma AG de destituição dos órgãos sociais para 23 de junho, e é designada uma Comissão de Fiscalização (CF) para exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), que perdeu quórum.

1 de junho de 2018:

- O Conselho Diretivo anuncia a substituição da MAG e respetivo presidente através da criação de uma Comissão Transitória (CT) da MAG. Marta Soares esclarece que não apresentou, formalmente, a demissão do cargo.

- A Holdimo, segunda maior acionista da SAD, faz saber que entregou em tribunal uma ação especial para destituir a administração liderada por Bruno de Carvalho.

- Os futebolistas Rui Patrício e Daniel Podence rescindem contrato unilateralmente, alegando justa causa.

5 de junho de 2018:

- O treinador Jorge Jesus, que tinha mais um ano de vínculo com o Sporting, assina um contrato de um ano, mais outro de opção, com os campeões sauditas do Al Hilal.

6 de junho de 2018:

- Quatro pessoas, entre as quais o ex-líder de claque Juventude Leonina Fernando Mendes, são detidas por suspeitas de comparticipação na invasão e agressões aos jogadores e equipa técnica. Também ficam em prisão preventiva.

11 de junho de 2018:

- Os futebolistas Gelson Martins, William Carvalho, Bas Dost e Bruno Fernandes rescindem os contratos, alegando justa causa.

13 de junho de 2018:

- A Comissão de Fiscalização designada pela MAG anuncia a suspensão preventiva dos membros do CD, que têm 10 dias úteis para o contraditório e estão impedidos de entrarem nas instalações do clube. A suspensão não tem efeito sobre a presidência da SAD. Na base da decisão está uma participação disciplinar subscrita por 21 associados e entregue em 04 de junho.

14 de junho de 2018:

- Os futebolistas Rúben Ribeiro, Battaglia e Rafael Leão apresentam pedidos de rescisão de contrato, aumentando para nove o número de jogadores que saem do clube.

- O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa considera ilegal a Comissão Transitória da MAG, nomeada pela direção, bem como as reuniões magnas por esta marcadas para 17 de junho e 21 de julho.

- Bruno de Carvalho reafirma que não se demite, considera que a AG de destituição marcada para 23 de junho está "ferida de legalidade", mas assegura que vai garantir os meios para a sua realização.

16 de junho de 2018:

- O presidente demissionário da MAG designa uma Comissão de Gestão (CG) para substituir o CD suspenso. Com 11 elementos e presidida por Artur Torres Pereira, que até 2017 foi vice-presidente de Bruno de Carvalho, a comissão integra, entre outros, José Sousa Cintra, antigo presidente 'leonino'.

18 de junho de 2018:

- O guarda-redes Rui Patrício assina contrato com o Wolverhampton, por quatro anos.

- Bruno de Carvalho fecha contrato, por três épocas, com o treinador de futebol sérvio Sinisa Mihajlovic, cinco dias antes de enfrentar uma AG para a sua destituição.

23 de junho de 2018:

- A destituição de Bruno de Carvalho é aprovada em Assembleia Geral com 71,36% dos votos e recebeu 28,64% de votos contra, e são marcadas eleições para 08 de setembro. O ex-presidente diz-se vítima de "golpada? e promete deixar de ser sócio.

24 de junho de 2018:

- Frederico Varandas, ex-diretor clínico do Sporting, anuncia que vai candidatar-se à presidência do clube.

- Sousa Cintra é nomeado pela CG para substituir temporariamente Bruno de Carvalho na presidência da SAD. Bruno de Carvalho ameaça impugnar AG e diz que quer ir a eleições.

27 de junho de 2018:

- Sousa Cintra anuncia a saída do treinador Sinisa Mihajlovic, que não chega a orientar a equipa.

- O empresário Fernando Tavares Pereira revela que vai candidatar-se à presidência do Sporting.

1 de julho de 2018:

- José Peseiro é nomeado treinador do Sporting, com contrato válido por um ano.

7 de julho de 2018:

- Bruno de Carvalho apresenta candidatura à presidência do Sporting, juntando-se a Frederico Varandas, Madeira Rodrigues e Dias Ferreira, quer já tinham anunciado intenção de ir a eleições.

9 de julho de 2018:

- Nove pessoas são detidas por suspeitas de participação no ataque às Academia e também ficam em prisão preventiva, aumentado para 36 o número de arguidos neste processo.

10 de julho de 2018:

Futebolista Bruno Fernandes recua depois de rescindir e permanece no Sporting com novo contrato, válido até 2023.

12 de julho de 2018:

Carlos Vieira, vice-presidente do Sporting na gestão de Bruno de Carvalho, assume a candidatura à presidência.

13 de julho de 2018:

- William Carvalho, um dos nove jogadores que rescindiram com o Sporting após os incidentes na Academia, assina contrato com o Betis.

18 de julho de 2018:

- João Benedito, antigo guarda-redes de futsal do Sporting, também apresenta candidatura.

21 de julho de 2018:

O avançado holandês Bas Dost volta atrás na decisão de rescindir a assina novo contrato por três anos.

25 de julho de 2018:

- Gelson Martins, um dos nove jogadores que rescindiram com o Sporting após os incidentes na Academia, assina contrato por seis anos com o Atlético de Madrid.

28 de julho de 2018:

- O argentino Rodrigo Battaglia, que tinha rescindido, decide permanecer no Sporting e assina novo contrato por cinco anos

29 de julho de 2018:

- O antigo banqueiro José Maria Ricciardi anuncia candidatura à presidência do clube.

2 de agosto de 2018:

- Bruno de Carvalho e Carlos Vieira são suspensos de sócios do Sporting por um ano e ficam impedido de se candidatar às eleições, mas o ex-presidente insiste em entregar candidatura

3 de agosto de 2018:

- O advogado Rui Jorge Rego candidata-se às eleições do Sporting.

8 de agosto de 2018:

- O avançado Rafael Leão, que rescindiu contrato na sequência do ataque à Academia, assina com o Lille, por cinco temporadas.

10 de agosto de 2018:

- A candidatura de Bruno de Carvalho é rejeitada pela Mesa da Assembleia Geral, ficando na corrida as listas de Frederico Varandas, José Maria Ricciardi, Pedro Madeira Rodrigues, João Benedito, Eugénio Dias Ferreira, Fernando Tavares Pereira e Rui Jorge Rego.

20 de agosto de 2018:

- Comissão de Gestão acusa Bruno de Carvalho de "tentativa de fraude", ao ter alegadamente pressionado bancos para impedir a movimentação de contas pelos atuais gestores.

25 de agosto de 2018:

- O treinador Sinisa Mihajlovic avançou com uma queixa contra o Sporting no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) de Lausana, Suíça, por despedimento sem justa causa, e exige uma indemnização de 11 milhões de euros.

4 de setembro de 2018:

- Pedro Madeira Rodrigues abdicou da corrida à presidência do Sporting para ocupar um lugar de vice-presidente na lista encabeçada por José Maria Ricciardi.

8 de setembro de 2018:

- Frederico Varandas foi eleito o 43.º presidente do Sporting, com, 42,3% dos votos.

9 de outubro de 2018:

- A GNR deteve mais duas pessoas no âmbito do processo sobre o ataque a jogadores e equipa técnica na Academia de Alcochete, entre eles o oficial de ligação do clube às claques, Bruno Jacinto. O número de arguidos sobe a 38, todos em prisão preventiva.

11 de outubro de 2018:

- Bruno de Carvalho apresentou-se voluntariamente no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e disponibilizou-se para prestar declarações no âmbito do inquérito ao ataque à Academia de Alcochete, na sequência de notícias que davam conta do seu alegado envolvimento nesta ação, mas não foi ouvido.

11 de novembro de 2018:

- Bruno de Carvalho e um dos líderes da claque Juventude Leonina, Nuno Mendes, conhecido por Mustafá, foram detidos no âmbito da investigação ao ataque da academia do clube.

12 de novembro de 2018:

- Bruno de Carvalho e Mustafá continuam detidos para serem presentes a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.

15 de novembro de 2018:

- O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Barreiro anuncia que o ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho e Mustafá saem em liberdade, sujeitos a apresentações diárias às autoridades e ao pagamento, cada um, de uma caução de 70.000 euros.

- Bruno de Carvalho saiu do TIC do Barreiro sem prestar declarações, enquanto Mustafá disse aos jornalistas que não é "traficante nem terrorista", mas presidente da Juve Leo.

- O presidente do Sporting, Frederico Varandas, é ouvido no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, no âmbito da investigação ao ataque à academia.

- Numa curta declaração aos jornalistas horas depois de ter deixado o TIC do Barreiro em liberdade, Bruno de Carvalho garantiu que a detenção "foi o pior momento" da sua vida e que passou a ser "uma pessoa diferente".

- Ministério Público deduz acusação, assinada pela procuradora Cândida Vilar, contra 44 arguidos, imputando-lhe dezenas de crimes de ameaça agravada, de ofensas à integridade física qualificada e de sequestro (crimes classificados como terrorismo, e agravados na pena).

21 de novembro

- O juiz de instrução criminal Carlos Delca mantém em prisão preventiva 38 dos 44 dos arguidos.

23 de novembro

- A Procuradoria-Geral da República anuncia a abertura de um inquérito disciplinar à procuradora Cândida Vilar, titular do processo da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, e um inquérito crime à divulgação de áudios de interrogatórios a arguidos.

14 de dezembro

- O Ministério Público não recorreu da medida de coação aplicada a Bruno de Carvalho no processo da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, apresentando recurso quanto a Nuno Mendes, conhecido por 'Mustrafá', líder da claque Juventude Leonina.

2019

4 de janeiro

- O Tribunal de Instrução Criminal do Barreiro declarou a especial complexidade do processo da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, pedida pelo Ministério Público, o que, consequentemente, dilatou o prazo de prisão preventiva dos arguidos.

24 de janeiro

- Um dos suspeitos do ataque à academia do Sporting, em Alcochete, em maio de 2018, foi detido em Angola, disse à agência Lusa fonte judicial, acrescentado tratar-se de Alano Silva, 'braço direito' do líder da claque Juventude Leonina. Deverá ser julgado em Angola.

4 de março

- O TIC do Barreiro adiou o início da fase instrutória, prevista começar em 06 de março, porque um dos advogados pediu o afastamento do juiz de instrução criminal Carlos Delca. O processo pertence ao TIC do Barreiro, mas, por questões de logística, a instrução, fase facultativa requerida por vários arguidos e que visa decidir se o processo segue e em que moldes para julgamento, vai decorrer no Campus da Justiça, em Lisboa.

19 de março

- O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) indeferiu o recurso de um advogado que pedia o afastamento (escusa) do juiz Carlos Delca do processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete.

28 de março

- O TRL indeferiu o segundo recurso entregue por outro advogado de defesa que pedia o afastamento do juiz Carlos Delca do processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete.

13 de maio

- O juiz Carlos Delca adia pela segunda vez o início da fase de instrução, prevista começar neste dia, devido à apresentação de um terceiro pedido de afastamento do juiz, apresentado por mais um advogado.

17 de maio

- O Tribunal da Relação de Lisboa ordena a prisão preventiva do líder da claque Juventude Leonina, conhecido por Mustafá, dando assim provimento ao recurso da procuradora Cândida Vilar, apresentado após o juiz Carlos Delca ter aplicado ao arguido, em novembro de 2018, a medida de coação de apresentações diárias às autoridades e pagamento de uma caução de 70.000 euros.

- Mustafá entrega-se no posto da GNR da Charneca de Caparica, Concelho de Almada, depois de ter sido ordenada a sua prisão preventiva, no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting.

22 de maio

- A Claque Juventude Leonina anuncia no Facebook que Fernando Mendes, ex-líder desta claque e preso preventivamente no âmbito do processo da invasão à Academia de Alcochete, precisa de um transplante de medula óssea.

24 de maio

- O Tribunal da Relação de Lisboa indefere o terceiro recurso que pedia o afastamento do juiz Carlos Delca do processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete.

- A procuradora Cândida Vilar pede a libertação de Fernando Mendes, ex-líder da claque Juventude Leonina e preso preventivamente no âmbito do processo da invasão à Academia de Alcochete, por razões de saúde.

6 de junho

- O Supremo Tribunal de Justiça indefere o pedido de libertação imediata ('habeas corpus') de Nuno Vieira Mendes (Mustafá), que assim se mantém em prisão preventiva no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting.

2 de julho

- Início da fase de instrução que visa decidir se o processo segue e em que moldes para julgamento. Nesta sessão foram interrogados quatro dos arguidos.

3 de julho

- Interrogatório ao antigo presidente do Sporting e arguido Bruno de Carvalho, no âmbito da instrução, durante o qual disse ao juiz Carlos Delca que, em diversas ocasiões, elementos das claques do clube entravam na academia para falar com os futebolistas, mesmo sem a sua autorização.

5 de julho

- O antigo presidente da claque Juve Leo Fernando Mendes, que estava em prisão preventiva, sai em liberdade, após o juiz Carlos Delca dar provimento ao requerimento apresentado pela procuradora Cândida Vilar, no qual pedia que este arguido seja posto em liberdade, com base num problema de saúde grave.

6 de julho

- O ex-presidente do Sporting Bruno do Carvalho viu neste dia confirmada a sua expulsão de sócio do clube, em Assembleia Geral, com 69,37% dos votos favoráveis à sua expulsão.

10 de julho

- A procuradora do Ministério Público, Cândida Vilar, manteve na íntegra, durante o debate instrutório, a acusação ao ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho e aos restantes 43 arguidos no processo, por considerar que a matéria de prova se mantém. Os advogados dos arguidos pediram, por seu lado, a nulidade da acusação.

1 de agosto

- O juiz de instrução criminal Carlos Delca (pronuncia) leva a julgamento os 44 arguidos nos exatos termos da acusação do Ministério Público, no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete, distrito de Setúbal, em 15 de maio de 2018.

- Na decisão instrutória, o juiz Carlos Delca determina ainda que todos os arguidos que se mantinham em prisão preventiva passem para prisão domiciliária, exceto o líder da claque Juventude Leonina, 'Mustafá', que continua em prisão preventiva.

- Após saber que vai a julgamento no âmbito do processo do ataque à Academia do Sporting, Bruno de Carvalho escreve que quem "propositadamente permite" que alguém seja "enxovalhado, caluniado e difamado, é criminoso" e "cobarde".

2 de agosto

- O Tribunal da Relação de Lisboa indefere o quarto pedido de afastamento do juiz Carlos Delca do processo do ataque à academia de futebol do Sporting, depois de já ter sido proferida a decisão instrutória.

11 de agosto

- Fonte judicial avança à agência Lusa que o início do julgamento do processo do ataque à academia de futebol do Sporting, em Alcochete, com 44 arguidos, entre os quais o ex-presidente Bruno de Carvalho, está agendado para 18 de novembro, no Tribunal de Monsanto, em Lisboa. O julgamento, que pertence ao Tribunal de Almada, realiza-se no Tribunal de Monsanto por "questões de logística e de segurança".

18 de agosto

- Previsto início do julgamento no Tribunal de Monsanto, estando agendadas sessões até abril de 2020, sempre com três sessões por semana, exceto em janeiro, mês em que haverá duas sessões semanais.

Por Lusa
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.