Record

Bas Dost: «O Sporting já demonstrou que vai continuar vivo, aconteça o que acontecer»

Avançado quer retribuir carinho dos adeptos com títulos

• Foto: Vítor Chi
Bas Dost abordou na entrevista à Sporting TV o novo treinador, os métodos, os objetivos e aquilo que espera alcançar ao serviço dos leões. O avançado já leva uma sequência de quatro jogos seguidos a marcar. "Se a equipa jogar bem, eu vou marcar golos e as coisas vão continuar a funcionar", referiu.

"O Sporting está vivo, felizmente. Já demonstrou que vai continuar vivo, aconteça o que acontecer no clube. A forma como jogámos contra o Rio Ave deixa-nos a todos felizes, mas também o momento que o clube atravessa."
 
Em três jogos de Marcel Keizer, a equipa regista 13 golos marcados, 3 sofridos, 3 vitórias. "Todos estão felizes agora. Há um pensamento muito positivo. Mas, para mim, é muito importante manter a calma. Temos de ver o quadro completo. É muito bom perceber que as coisas estão a correr bem. Ele está a fazer um bom trabalho, um início muito bom, mas são apenas duas semanas. É preciso continuar. E creio que ele dirá exatamente o mesmo. Mas neste momento todos estão felizes."

Bas Dost já conhecia Keizer. "Conheci-o quando joguei no Heerenveen. Ele estagiou lá. Esteve no clube uma semana, a ver os treinos. Falei com ele nessa altura, já lá vão 7 ou 8 anos. É muito curioso que ele agora seja o meu treinador. Quer jogar futebol, treinamos todos os dias para manter a bola, toda a gente quer a bola, mas ele aposta em um dois toques, jogadas rápidas. Se a perderes há que pressionar diretamente, para não dar ao oponente a oportunidade de criar algo."

O avançado mostra-se disponível para ajudar o técnico e o seu adjunto no que for preciso. "Eles têm muito em que pensar, mas falo com eles em holandês e tento ajudar. Eles são crescidos e não precisam da minha ajuda. Penso que eles vão gostar de Portugal, eu também gosto do país. Levei um mês para dizer bom dia, ele conseguiu, aprende rápido."

O holandês lembra que é preciso "treinar antes de mostrar no relvado". "Precisamos de tempo. Na Taça de Portugal na primeira parte não jogámos bem, mas precisamos de tempo para nos adaptarmos."

E que lhe pede o novo treinador? Bas Dost lembra o amarelo que viu no jogo com o Rio Ave. "Não quer cartões amarelos, de certeza. Não é isso que ele me pede. Não vejo muitos cartões amarelos. Nesse lance, estava ‘morto’, não conseguia defender, por isso só havia uma opção para o travar. Mas isso não quer dizer que esteja a trabalhar mais agora. Com Peseiro e com Jesus também trabalhava muito. Não tem a ver com o facto de ser um novo treinador.  Claro que ele espera que eu trabalhe muito mas o que eu acho é que os treinadores sempre esperaram o mesmo de mim. Nesse sentido, nada mudou para mim."

A confiança está alta? "É um processo de grupo, todos sentem isso. As vitórias ajudam, quando se ganha por 6-1 da Liga Europa volta-se com bom feeling. E depois, poucos ganham 3-1 ao Rio Ave fora."

Depois há os 'miúdos', como Jovane Cabral, que também precisam de espaço para crescer. "É o que se quer, que eles cresçam. Jovane está fantástico este ano, foi um golaço este último que marcou. Quando vi rematar com o pé esquerdo pensei 'o que está ele a fazer'? É um bom exemplo, os miúdos estão a chegar."

Bas Dost tem uma relação especial com os adeptos do Sporting, que quer manter. "São uma das razões por que se fica neste clube. Estive em clubes em que quando jogava fora não via os adeptos. Mas eles aqui ouvem-se, sempre. Claro que se perdermos criticam, mas é normal, não há problema. Os adeptos do Sporting são uma das razões por que fiquei. Eles estiveram sempre lá, não são campeões há muito tempo, mas é de respeitar o facto de continuarem a vir ao estádio e a serem positivos. Vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para lhes dar títulos. No 1º treino que fiz vi qualidade na equipa. Joguei no Wolfsburgo, com bons jogadores, mas aqui temsos internacionais da Argentina, de Portugal... Só dependemos de nós. Se continuarmos como equipa conquistaremos muitas coisas."

Perguntas para respostas rápidas:

Defesa difícil que encontrou
"Boateng"

O que pensa quando a bola está a chegar
"É instintivo, se pensar muito a coisa não sai bem. Não há que pensar, é automático."

O que faz antes dos jogos
"Ouço música, é um momento para mim. Antes disso estou com o grupo."

Fotos depois do jogos
"Peço ao Paulo Cintrão para me mandar fotos depois dos jogos, principalmente dos que ganhamos."

Iceberg ou Exterminator. Que alcunha prefere?
"Exterminator. Soa melhor."

O tipo mais engraçado no balneário
"O Jefferson, o Acuña... Temos muitos 'idiotas' (risos). No bom sentido, claro."

DJ do balneário
"O Acuña e o Coates. Ouvem música sul americana mas gosto."

O número 100 o que significa para si
"É especial, não ligo muito a números, mas estou orgulhoso."

Sporting tem grande espaço no seu coração?
"Tenho 29 anos e joguei dois anos e meio cá. Tenho esperança que vamos conquistar algo em grande. Vai ser sempre o meu clube"

Música dos AC/DC em sua honra
"Ganhou vida própria, como posso não gostar? Quero ouvir mais vezes."

Promessa aos adeptos
"Podem esperar que vou dar tudo o que estiver ao meu alcance para levar o Sporting a um alto nível e mostrar que estou feliz por poder jogar aqui. Continuem a ir aos jogos e a apoiar-nos, por favor"
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas