Bas Dost vai fazer tudo para ir a jogo com o Aves, já depois de amanhã. O ponta-de-lança do Sporting foi um dos jogadores mais afetados com a invasão dos adeptos radicais à Academia de Alcochete e neste momento ainda se encontra debilitado, em especial nas pernas (onde também foi agredido), mas está disposto a sacrificar-se pela equipa e pelos sportinguistas. Na cabeça, sabe o nosso jornal, o holandês foi suturado com sete pontos, depois das agressões de que foi alvo dentro do balneário do Sporting, que acabaram por se tornar virais um pouco por tudo o Mundo pela expressão das marcas de violência.

Para já, o goleador encontra-se naturalmente em convalescença, e também em tratamento, mas a decisão já está tomada. E a menos que seja mesmo impossível jogar, Bas Dost está na disposição de se sacrificar pela equipa.

Como explicou ontem nas redes sociais, e ainda que não manifeste esse desejo publicamente, a sua posição é motivada pela reação do grupo de trabalho aos incidentes na Academia de Alcochete, mas também devido a todo o carinho recebido dos adeptos – "dos verdadeiros adeptos" dos leões – nas últimas horas. Vencer mais um troféu, depois da conquista da Taça CTT (ainda em janeiro), acaba por ser outro aliciante, mas não o mais importante.

"Ainda estou chocado com este ato de violência contra a nossa equipa nesta terça-feira, feito por elementos criminosos. Mas estou feliz pela reação dos verdadeiros adeptos do Sporting, aos quais quero agradecer por todo o apoio fantástico. Isso significou muito para mim. Além do mais, estou orgulhoso pela forma como a minha equipa lidou com esta situação difícil. Isto mostra a força do nosso grupo. Estou muito orgulhoso por esta equipa. Vamos enfrentar isto juntos", escreveu o ponta-de-lança holandês, de 28 anos, num comunicado difundido ontem pela Stars and Friends Iberia, a empresa que gere a sua carreira há já alguns anos.

Hipótese de sair em cima da mesa

Tal como muitos jogadores do plantel, Bas Dost equaciona sair do Sporting no final da época. Apesar de se sentir bastante bem em Portugal, onde reside com a família, o ponta-de-lança holandês ficou naturalmente perturbado com tudo o que aconteceu na Academia de Alcochete e, por isso, equaciona deixar Alvalade depois da Taça de Portugal, último jogo dos leões esta temporada. Neste caso, a rescisão unilateral por justa causa é a hipótese em cima da mesa, pois Bas Dost tem mais dois anos de contrato (cláusula de rescisão fixada em 60 M€). Nesta altura, porém, nada está decidido, até porque o foco está na Taça de Portugal frente ao Aves e na hipótese de conquistar mais um troféu.

Autor: Alexandre Moita