Bruno de Carvalho: «Está a faltar aqui um ponta-de-lança»

Presidente reforça necessidade de ir ao mercado

• Foto: Filipe Farinha

A dois dias do arranque da temporada oficial, com a disputa da primeira jornada da Liga NOS, Bruno de Carvalho deu uma longuíssima entrevista à Sporting TV, na qual o primeiro tema de conversa acabou por ser aquele que mais mexe por estes tempos: o mercado. Uma altura do ano que o presidente leonino encara como 'complicada', que na sua ótica acabou por 'abalada' pela lesão do avançado lituano Lukas Spalvis.

"É uma parte do ano sempre complicada, uma parte onde há mercado, onde existe sempre alguma desestabilização da cabeça dos atletas, onde nós fazemos as últimas afinações. Mas já são algumas temporadas e vamo-nos habituando. Mas sim, é uma época de facto, onde o futebol não pode descansar um segundo", começa por admitir o treinador leonino.

Quanto ao mercado em si, e à forma de o atacar, BdC admite que a tal lesão grave de Spalvis lhe baralhou os planos. "Está a correr como nós prevíamos, mas talvez a lesão do Splavis tenha vindo aqui baralhar as contas. Estamos a falar de uma lesão complicada, seis meses de recuperação mais o tempo de adaptação, para além de ser um atleta novo, o que significa que ainda estava a assimilar os processos. Vamos ter de colmatar uma falha que vai durar quase a época toda. Nesse contexto, alterou um pouco aquilo que eram as nossas perspectivas, com a necessidade de colmatar essa lesão. De resto tudo como tínhamos idealizado, mas há que fazer essa recuperação, esse equilíbrio do plantel, porque está a faltar aqui um ponta-de-lança. E vamos resolver rapidamente, com certeza", assegurou o líder leonino.

Ainda sobre este tema, mais à frente na entrevista o presidente leonino deixou claro que a pré-temporada foi vista com tranquilidade, frisando que a preparação apenas mostrou a necessidade de adquirir um avançado - isto devido às saídas de dois jogadores e a lesão de um outro. "Tento viver isso um pouco mais à distância. A pré-temporada levantou alguma preocupação. De repente vimos a equipa que, na época passada, foi considerada a que melhor futebol praticava, que terminou a época numa forma tremenda, que, de facto, tem excelentes jogadores… De repente, verificamos alguma preocupação, excitação, porque agora já falta um defesa, um médio… Tirando o ponta-de-lança que, de facto, é evidente… O Sporting tem a saída de dois avançados e outro lesionado. É mais do que evidente a necessidade do Sporting ir buscar um avançado. Mas estamos a falar do plantel da equipa que melhor futebol praticou a época passada. Não vamos confundir a pré-temporada com o resto. Uma pré-temporada que eu assisti de perto, com treinos bidiários, com um calor que poucos seres-humanos aguentariam. Pelo menos, não foi fácil para mim e eu nem treino…! Jogos seguidos… As pessoas tentam tirar ilações daquilo que não é possível tirar ilações. Ninguém pense que ficamos satisfeitos com as derrotas, mas o nosso objetivo era fazermos uma pré-temporada na qual os adversários tivessem um grau de exigência tal, que pudéssemos começar o campeonato numa forma física e técnico/tática dentro daquilo que o treinador gostaria. Não queríamos ser os campeões da pré-época. Dou de barato toda a pré-temporada, para nos focarmos naquilo que são os nossos objetivos", frisou.

A gestão leonina

Neste âmbito, o presidente leonino admite que no desporto nada é simples, nomeadamente nas questões de mercado, mas assegura que a sua direção está apta para gerir essas situações. "No futebol, no desporto, nada é simples. Estamos a gerir uma entidade, mas é sobretudo a gestão de pessoas. A gestão de expectativas de mais de 3,5 milhões de pessoas, o que não é fácil, dos dirigentes, que são sempre ambiciosas, dos atletas. Fazer todo este equilíbrio não é fácil. Por isso é que se costuma dizer que há situações que são dores de cabeça. Mas isto é o desporto, sobretudo o futebol, porque acaba por ser aquele que mexe com valores superiores, mais pessoas, mais emoções. É a normalidade de quem está neste meio. Associar uma pré-temporada com uma época de mercado é complicado, associar um início de campeonato com o mercado é complicado. Já várias pessoas do futebol o disseram. É complicado fazer-se esta gestão. A conjugação das necessidades financeiras com as desportivas e da expectativa individual é complicada. Vão decorrer três jornadas até ao fecho do mercado, o que é complicado. É uma dor de cabeça, mas é também o nosso trabalho. Temos de gerir o equilíbrio entre a gestão das expectativas", explica.

"Felizmente, o Sporting atingiu um equilíbrio financeiro muito importante. Foi difícil, mas conseguimos. Mas também digo que facilmente se desequilibra. Manter a nossa ambição, mas essa vertente sob atenção. Os pés bem assentes no chão. A partir do momento em que começamos a fazer investimentos superiores, no futebol em particular, o aspecto desportivo assume preponderância total. Neste momento, os nossos objectivos desportivos são determinantes nas nossas decisões. Por vezes isso é entendido, outras vezes não é. Mas neste momento é determinante para o Sporting aquilo que são os seus objectivos desportivos", frisou.

Por António Bernardino
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0