Bruno de Carvalho: «Estive quase para dizer aqui aos juízes que não podia falar...»

Presidente ironizou com castigo de que foi alvo pela FPF após prestar depoimento na Operação Fénix

A carregar o vídeo ...
Castigo? Bruno de Carvalho diz que acata tudo, mas...

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, voltou esta quinta-feira a comentar a suspensão de 113 dias que lhe foi aplicada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, para reafirmar a decisão de apresentar recurso, enfatizando que se trata do mais do "maior castigo depois do Apito Dourado", como dissera em entrevista à TVI.

À saída do Campus de Justiça, em Lisboa onde se deslocou para prestar depoimento no âmbito do processo resultante da Operação Fénix, Bruno de Carvalho, começou por ser irónico: "Vamos fazer o recurso. Estive quase para dizer aqui aos juízes que não podia falar, porque estava impedido, mas decidi cumprir o meu dever cívico, que era o de falar." 

"Isto porque, supostamente, não podia falar de nada e essa regra não faz sentido, como não faz sentido um castigo, quanto mais o maior castigo depois do Apito Dourado. Não faz sentido nenhum, mas isso já tinha transmitido ontem."

"Acato tudo, que remédio tenho eu senão acatar. Agora, desde que tenha a ver com as quatro linhas e áreas técnicas. Nunca deixarei de cumprir o mandato que os sportinguistas me deram, pois isso faz parte da Constituição, da lei, e ninguém me pode retirar o que me foi dado por eleições. Podem retirar-me do terreno de jogo, do banco [de suplentes], da área técnca, mas não me podem retirar o poder de representar em público, seja onde for, o Sporting", acrescentou o presidente dos leões.

Por António Espanhol
49
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.