Bruno de Carvalho não compareceu na conferência de imprensa marcada depois de ter sida anunciada a sua suspensão imediata. No auditório Artur Agostinho estiveram Elsa Judas, presidente da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, Bernardo Trindade Barros, vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral, e Fernando Correia, porta voz de BdC.

Fernando Correia frisou que Bruno de Carvalho continua a ser "sócio e presidente do Conselho Diretivo".

Elsa Judas considerou que a suspensão esta quarta-feira anunciada não tem suporte jurídico. "Esta decisão tinha apenas um objetivo, que era suspender Bruno de Carvalho com um processo disciplinar, não se sabe bem, nem como. Estas decisões da Comissão de Fiscalização são ilegítimas"

"O que se pretende não é dar a voz aos sócios. Quem manda são os sócios. Quem manda é a AG e não a Mesa. É a eles que tem de ser dada a primeira palavra. Percebeu-se que se Bruno de Carvalho for a eleições ganha. A AG de dia 23 está ferida de irregularidades do princípio ao fim", continuou, frisando que a a "AG de dia 17 vai realizar-se".

Trindade Barros reforçou: "A nossa principal preocupação é a defesa dos interesses do Sporting. Os sócios são soberanos".

"Não estamos aqui contra ninguém. Não estamos a proteger os interesses de Bruno de Carvalho. Golpadas é que não", referiu.

"Desde 17 de maio que a Mesa está cegamente focada na destituição do único orgão que estava em funcionamento", continuou.

"O tribunal não legitimou o ex-presidente da Mesa", garantiu Trindade Barros.

Elsa Judas assegurou que não foi por receio que Bruno de Carvalho falhou a conferência de imprensa. 

"Ninguém pode entrar aqui com a polícia e retirar o presidente sem ter uma decisão legitimada. Estão aqui as pessoas mais aptas para responder às questões. Se Bruno de Carvalho tem medo? Isso é piada".

A este propósito, Fernando Correia disse: "Bruno de Carvalho não veio ainda hoje, pode vir logo, amanhã. Vem às instalações do clube quando quiser."