Bruno de Carvalho enviou esta manhã uma nota à agência Lusa onde, além de revelar que vai processar o Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, comentadores e jornalistas por o terem "difamado e caluniado", após os atos de violência em Alcochete, garante também que não conta colocar o seu lugar à disposição.

"Neste momento, sinto-me com a mesma capacidade, força, prazer e honra em servir o clube que amo, não vendo qualquer motivo enquanto sportinguista para me afastar de um trabalho e de um rumo que está a ser seguido com sucesso nestes cinco anos", revelou o líder leonino.

Bruno de Carvalho formulou ainda três desejos: "quem cometeu este ato terrorista seja severamente punido, que quem cometeu atos 'criminosos' contra mim seja punido e que o Sporting Clube de Portugal consiga conquistar a 17.ª Taça de Portugal".

O presidente do Sporting explicou igualmente que não esteve, como tinha prometido, com os jogadores de futebol na terça-feira em Alcochete, por estar em reuniões com advogados, relacionadas com as notícias da existência de corrupção no andebol sportinguista.

Autor: Lusa