Bruno de Carvalho sofre mais uma derrota em tribunal

Indeferida providência cautelar contra decisões da antiga Comissão de Fiscalização do Sporting

• Foto: Lusa

Bruno de Carvalho perdeu a terceira providência cautelar na "guerra" jurídica que está a travar contra o Sporting. O antigo presidente pedia, nesta ação, a revogação das sanções disciplinares decididas pela Comissão de Fiscalização, nomeadamente, no seu caso concreto, a suspensão por um ano do estatuto de sócio, anunciada em agosto.

Além de Bruno de Carvalho, a providência cautelar rejeitada nas últimas horas foi movida por Alexandre Godinho, antigo vogal do Conselho Diretivo, e Trindade Barros, que fez parte da denominada Comissão Transitória da MAG, na fase final do mandato de BdC.

Os três acusavam a Comissão de Fiscalização de imparcialidade e perseguição mas o tribunal não atendeu aos argumentos dos ex-dirigentes e recusou a pretensão destes em anular as decisões do órgão que desempenhou, provisoriamente, as funções do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting (agora presidido por Joaquim Baltazar Pinto).

A Comissão de Fiscalização, recorde-se, era composta por Henrique Monteiro, João Duque, António Paulo Santos, Rita Garcia Pereira e Luís Pinto de Sousa, nomeados pelo antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Jaime Marta Soares.

Esta derrota de Bruno de Carvalho é a terceira no intervalo de um mês. O antecessor de Frederico Varandas já tinha visto chumbada, no final de setembro, uma providência cautelar que pretendia anular a deliberação da AG de destituição, realizada a 23 de junho, por alegadas irregularidades. No início de outubro, foi indeferida  outra providência cujo objetivo era promover a realização imediata de uma AG para apreciar recurso da suspensão de sócio do Sporting.

Por Vítor Almeida Gonçalves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.