Caso Rojo: acórdão do TAS diz que "Doyen venceu quase na totalidade"

Decisão foi publicada nesta terça-feira pelo Football Leaks

O site Football Leaks publicou nesta terça-feira o acórdão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) que condenou o Sporting a pagar à Doyen Sports mais de 12 milhões de euros pela transferência de Marcos Rojo para o Manchester United.

Trata-se de um extenso documento, com 83 páginas, onde os juízes consideram que os argumentos da Doyen "venceram quase na totalidade". Por isso, condenaram o Sporting a pagar à empresa o equivalente a 75 por cento dos 20 milhões de euros do negócio (os leões tinham pago antes 4,5 milhões), mais três quartos do salário anual de Nani, que o TAS considerou ser também parte do negócio.

Além disso, o Sporting teve ainda que pagar 90 por cento das custas do processo no tribunal, ficando os restantes 10 por cento por conta da Doyen, que "chamou inúmeros especialistas e testemunhas, atrasando excecionalmente os procedimentos". E os leões terão ainda de pagar 40 mil francos suíços (36 mil euros) à Doyen para ajudar a pagar os honorários dos seus advogados.

No mesmo processo, o clube de Alvalade exigia 13 milhões de euros à Doyen - 10 por quebra dos acordos de partilha dos passes, mais 3 por danos de imagem ao clube - mas o TAS considerou que nada disso ficou provado. "O Sr. Carlos Vieira, CFO do Sporting, não foi capaz de responder à questão feita pelo painel sobre quais foram os danos materiais causados pela Doyen ao Sporting e como chegou aos valores de 10 milhões e 3 milhões de euros. Além disso, o Sporting não provou nenhuma quebra de contrato ou relação de causa-efeito em relação aos danos invocados", refere o documento.

Por Sérgio Krithinas
56
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.