Comissão de Gestão responde a Dias Ferreira e nega favorecimentos no contrato de catering

Comissão disse ainda que não lhe cabe assumir responsabilidades pela saída de membros seus para candidaturas

• Foto: Ricardo Ponte

A Comissão de Gestão (CG) do Sporting emitiu um comunicado a responder a Dias Ferreira, onde nega quaisquer favorecimentos no concurso para a atribuição dos serviços de catering, frisando que a renovação do contrato com a 'Casa do Marquês', empresa do qual é sócio José Eduardo - responsável do futebol da lista de José Maria Ricciardi - se deveu ao atraso em todo o processo e na sequência de proposta dos serviços internos, após relatório destes mesmos serviços que acompanhavam o concurso.

No comunicado, a Comissão refere que "das sete empresas consultadas apenas uma tinha realizado a vistoria técnica, procedimento indispensável à apresentação final de propostas." Tendo em conta o atraso, " ficou evidente que seria difícil tomar uma decisão em tempo útil, dado que a empresa vencedora do referido concurso tinha como obrigação estar em condições de iniciar a prestação dos serviços no início da época 2018/19."

Tendo em conta a informação disponível, e "sob proposta dos serviços internos, a Comissão de Gestão propôs à empresa Casa do Marquês no dia 12 de Julho a prorrogação do contrato para a época desportiva 2018/19, o que a empresa, embora manifestasse reservas à continuação da prestação dos serviços, acabou por aceitar."

A Comissão sublinha que, com, esta decisão, garantiu a "continuidade, sem rupturas, do serviço de catering na nova época, permitindo que o Conselho Directivo a eleger na eleições de 8 de Setembro disponha de tempo suficiente para elaborar um novo cadernos de encargos, se assim o entender."

A carta que Dias Ferreira enviou à Comissão de Gestão do Sporting

Saída de elementos da CG para outras candidaturas

Ainda em resposta a Dias Ferreira, que pediu explicações à Comissão de Gestão depois de dois antigos membros deste órgão terem integrado candidaturas para estas eleições do Sporting, Artur Torres Pereira, líder da CG, frisou em comunicado que "sendo as pessoas livres de tomarem as decisões que entendem, estou certo que compreende que não cabe à Comissão de Gestão assumir as responsabilidades de terceiros nem ao seu Presidente proceder a julgamentos comportamentais ou a 'condenações' ou 'absolvições' públicas."

Ao mesmo tempo, Torres Pereira deixou uma promessa: "Posso assegurar-lhe que a Comissão de Gestão, qualquer que seja a sua composição, manterá durante o período de campanha eleitoral a mesma rigorosa imparcialidade que manteve no período imediatamente anterior."

Comunicado da Comissão de Gestão relativamente ao concurso de catering

1. Quando a CG tomou posse em 16 de junho, decorriam os procedimentos de um concurso aberto pelo anterior Conselho Diretivo para os fornecimentos dos serviços de "catering", cuja concessão terminou na época desportiva 2017/18. Das sete empresas consultadas apenas uma tinha realizado a vistoria técnica, procedimento indispensável à apresentação final de propostas.

2. Face ao evidente atraso de todo o processo, iniciado em 12 de junho, ficou evidente que seria difícil tomar uma decisão em tempo útil, dado que a empresa vencedora do referido concurso tinha como obrigação estar em condições de iniciar a prestação dos serviços no início da época 2018/19.

3. Face ao exposto, a Comissão de Gestão decidiu pedir um relatório aos serviços internos que acompanhavam o concurso em causa. Nesse relatório, entregue a 9 de Julho, fica claro que seria impossível finalizar o concurso a tempo de iniciar a nova época desportiva com estabilidade no fornecimento do serviço de "catering" no estádio de Alvalade.

4. Face a esta informação e sob proposta dos serviços internos, a Comissão de Gestão propôs à empresa " Casa do Marquês" no dia 12 de Julho a prorrogação do contrato para a época desportiva 2018/19, o que a empresa, embora manifestasse reservas à continuação da prestação dos serviços, acabou por aceitar.

5. Desta forma a Comissão de Gestão assegurou a continuidade, sem rupturas, do serviço de "catering" na nova época, permitindo que o Conselho Directivo a eleger na eleições de 8 de Setembro disponha de tempo suficiente para elaborar um novo cadernos de encargos, se assim o entender e, lançar nesse caso um novo concurso, ou concluir o concurso que estava em curso.

6. Fica assim claro que a Comissão de Gestão decidiu em defesa dos superiores interesses do Sporting e não para favorecer um fornecedor em particular e muito menos um membro de uma candidatura, situação que, aliás, nem sequer era conhecida à data em que estes factos ocorreram.

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0