Enfermeiro repreendido por fazer suturas tratou de Bas Dost: «Ninguém se chegou à frente...»

Carlos Mota, ex-enfermeiro do Sporting, prestou depoimento no âmbito do julgamento do ataque â Academia de Alcochete

• Foto: SportTV

Carlos Mota era enfermeiro do Sporting à data do ataque à Academia de Alcochete e esta manhã, no âmbito do julgamento que decorre no Tribunal de Monsanto, recordou o que aconteceu, contando que foi ele quem suturou Bas Dost com 6 pontos na cabeça, mesmo não tendo autorização para o fazer. 

"Não vi a agressão a Bas Dost. Fui eu que o suturei, ninguém se punha à frente... No meu primeiro ano no Sporting posso dizer que fui repreendido por ter feito uma sutura na Academia porque achavam que tinha de esperar uma hora que chegasse um médico de Lisboa", explicou o enfermeiro, no exterior do tribunal. "Fui repreendido dizendo eles que era um ato médico."

Os jornalistas perguntaram-lhe se Frederico Varandas - agora presidente do clube, à altura médico do Sporting - não estava local. "Também estava", confirmou. "Não faço a mínima ideia por que ninguém se chegou à frente. Sei que o homem [Bas Dost] estava ali a sangrar, a chorar, deitado, e eu propus-me suturá-lo." 

Terá sido este um dos momentos mais difíceis da sua carreira? "Em termos mediáticos talvez. Estou na enfermagem para servir e fazer bem a quem necessita, e não à procura de me servir seja de quem for, seja do Sporting ou quem for, como muitas pessoas que estão lá", referiu, recordando o sucedido "com tristeza". "Sou sportinguista desde que nasci, os meus filhos e netos são sportinguistas, e é muito triste que alguém se tenha aproveitado destas situações para denegrir e continuar a dar cabo do Sporting."

Quando lhe perguntam se se referia a Bruno de Carvalho respondeu prontamente: "Não, ele era presidente na altura e eu respeitava-o por isso."

Então quem ganhou com isto, perguntaram-lhe. "Quem ganhou", respondeu, sem avançar nomes. 

Carlos Mota lembrou também o momento em que Bruno de Carvalho chegou a Alcochete depois do ataque: "Falei com ele. Estava com um semblante triste. Disse-lhe que era uma vergonha para o Sporting o que tinha acontecido e ele respondeu-me, zangado, 'também tu Mota achas que eu encomendei...' E eu disse-lhe: 'Não acho nada, só acho que é uma vergonha para o Sporting!"

O enfermeiro adiantou ainda que foi agredido, que teve de receber assistência hospitalar, mas que não teve medo. Sobre Bas Dost, explicou ainda que o avançado apenas "chorava". "Não dizia nada, nem que lhe doía."

9
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.