Varandas abre o livro no balanço dos 100 dias iniciais: «Não ladro mas se tiver que morder, mordo»

Presidente do Sporting falou ao canal do clube sobre todos os temas da atualidade do clube

• Foto: Lusa

Frederico Varandas concedeu uma entrevista à Sporting TV onde abordou a atualidade do clube, no âmbito dos primeiros 100 dias na liderança. O presidente leonino elogiou Keizer e atribuiu à estrutura verde e branca uma percentagem da responsabilidade pelo sucesso inicial do holandês.

Falou dos processos de rescisões, das alterações na Academia, das claques, da situação de Sturaro e também das questões financeiras, sublinhando a mudança de mentalidade no clube e entre os adeptos.

LEIA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

Próximos 100 dias

Varandas: "Gosto muito do otimismo que hoje os sportinguistas têm. A esta equipa nada tira o sono. Sabemos o que foi feito mas queremos mais. Hoje há um entusiasmo grande junto das modalidades e no futebol só dependemos de nós. Mas é preciso ter calma. Com inteligência é possível chegar lá, mas com calma. Há mais para além do futebol, modalidades e quero dar um abraço ao Nuno Pinto, um momento difícil que acredito que ele vai superar. E desejar um feliz Natal a todos os sportinguistas."

Loja Verde de regresso ao estádio

Varandas: "Inaugurámos a semana passada. Foi um erro transferi-la para o Pav. João Rocha. Existe também no Rossio, que tem de ser dinamizada. Sobre ações de inclusão, o Sporting é um clube com responsabilidade social e tem de dar o exemplo. Quero um Sporting integrado na sociedade. Mês de fevereiro é crítico em falta de sangue. Dar ainda apoio a sem-abrigo. E isto não é para fazer apenas em dezembro. Fizemos um périplo junto de várias comunidades: ismaili, judaica, hindu...

Medidas junto dos núcleos

Varandas: "Muitas coisas feitas e muitas por fazer. Na campanha vi a dimensão do Sporting nos núcleos que visitei e senti que o Sporting é Sporting Clube de Portugal. No site já existe uma página para cada núcleo; foi criada uma plataforma dos núcleos, onde os sócios podem ver a situação de quotas, fazer-se sócios e em janeiro vamos ter bilhética nessa plataforma, para bilhetes em Alvalade e João Rocha, a preços dos núcleos. Queremos descentralizar o Sporting de Lisboa. No próximo ato eleitoral teremos voto eletrónico. É uma garantia."

E-Toupeira, Cashball e ataque à Academia. Como acompanha?

Varandas: "Confio no Estado de Direito, onde o Sporting vive. Estou a seguir todos os processos com muita atenção. Somos parte interessada ou envolvida. Herdámos situações difíceis mas esta direção promete que nunca teremos a vergonha de ter a PJ a entrar no Sporting. Isso interessa muito aos sportinguistas. Confio na justiça e garanto que com esta equipa nunca haverá PJ dentro do estádio, pavilhão ou em buscas."

Sporting TV - há espírito livre e direito à opinião?

Varandas: "Isto vem do estilo de comunicação, que tem desagradado muita gente que estava habituada a outra coisa. Estamos aqui para fazer e quando entenderemos falar, falaremos. Não é preciso estar sempre a fazer barulho e não é por estar calado que se defende pior. Não ladro mas se tiver que morder, mordo. Este é o nosso estilo de comunicação. Revejo-me nesta Sporting TV. Hoje não há cartilhas para nenhum comentador. Isso é algo indigesto e horrível. Quero que os comentadores digam o que acham livremente. Nesta Sporting TV jamais se vai editar imagens ou editar o passado. Ninguém vai dar lições de democracia a este Sporting."

Protoloco é para ser revisto?

Varandas: "Não quero acabar com as claques. Eu era da Juve Leo e pagava o bilhete da claque. Estão a existir reuniões civilizadas entre reunião e claques e vamos chegar a acordo que deixe o Sporting satisfeito, não é a mim. Existe espaço para adeptos, sócios e claques. O que temos todos é de estar imbuídos do mesmo espírito. Se o Sporting está satisfeito? Há coisas que já mudaram, há coisas que estão a mudar mas não é correto estar a falar porque estamos a negociar."

Relação com as claques

Varandas: "Interessa-me é a relação desses grupos com o Sporting."

Presenças na FPF e outros órgãos

Varandas: "Hoje estive em duas reuniões, na Cimeira dos Presidentes e numa da FPF. Todos os presidentes já perceberam qual é o fio condutor desta direção. Todos perceberam a nossa forma de estar. Tenho tido ótimo feedback das relações com os clubes e Liga. Com a FPF já tivemos mais do que um encontro e temos uma relação boa, construtiva. Sporting não recebe um jogo da Seleção há 3 anos e tenho quase a certeza que nesta fase de apuramento voltaremos a receber um jogo. Temos de ter as melhores relações institucionais possíveis mas nunca abdicando dos nossos valores. Liga e FPF sabem que têm no Sporting um verdadeiro aliado. Isto é um negócio e podem contar com o Sporting para valorizar ao máximo o produto. Mas isso exige seriedade e transparência. É assim que o Sporting será sempre, dentro e fora de casa. Por isso exigimos isso a todos os nossos rivais e instituições."

Expulsões de Trindade Barros e Elsa Judas

Varandas: "Mais importante que a leitura dos resultados é dizer que esta direção respeita os estatutos do Sporting. Esses sócios foram suspensos e dois expulsos e recorreram da decisão do Conselho Fiscal. Por isso foram a AG dos sócios, não foi a direção que a convocou. Esta direção não faz caça às bruxas."

Rescisões: Daniel Podence e Rafael Leão

Varandas: "Não sei se os clubes terão capacidade para fazer um bom acordo e se assim não acontecer, vamos ter de ir até às últimas consequências. É um dado adquirido, está mais do que preparado. Podemos, se houver condições para bom acordo, parar a meio".

Rescisões: Situação de Gelson

Varandas: "Estão a decorrer negociações. Acredito que até final de janeiro teremos o dossiê fechado. Com acordo, se for bem fechado"

Auditoria forense. Datas?

Varandas: "O que estava previsto é meados de janeiro. Penso que [a divugalção] dos resultados andará por fevereiro. Não tenho acompanhado muito, sinceramente. Preocupa-me o futuro e presente do Sporting. Não procuramos uma caça às bruxas. Há um virar de página que tem de ser feito, ninguém está acima do Sporting e a vida do Sporting tem de continuar. Um dia esta direção sairá e o Sporting vai continuar. Não admito que se prenda o Sporting ao passado. Sportinguistas querem é títulos."

Reestruturação financeira

Varandas: "Dissemos que o primeiro passo seria o EO, que está feito, agora é a reestruturação financeira. Já se inciou o processo."

Acreditava que o Empréstimo Obrigacionista (EO) podia não ter sucesso?

Varandas: "Não. Somos uma marca enorme. Fomos obrigados a fazer o EO naquela data por acontecimentos que todos sabem. Não podia ser em pior altura e condições mas fez-se."

Modalidades. Aposta continuará a ser alta?

Varandas: "Tem de ser assim. Renovámos com alguns jogadores mas há outras coisas já feitas. Foi implementando o Gabinete Estratégico das modalidades, altamente profissional. Aumentámos a venda em 22% de gameboxes nas modalidades. Aumentámos as assistências em 11 por cento no Pav. João Rocha. Criámos o dia de Sporting, em que começamos com várias modalidades durante o dia. Depois queremos uma Lion Zone, com espetáculos, à volta. É para ontem! Para o ano, teremos no andebol todos os escalões. Basquetebol está praticamente fechado e o treinador está por dias. Modalidades vão continuar a crescer. Judo não tem as condições de outras modalidades mas tem feito um trabalho a ir buscar atletas a bairros complicados, faz um grande trabalho social, e cria uma armada de grandes atletas que vencem os melhores da Europa. Sei a disparidade que há entre modalidades."

Estrutura da Academia está fechada?

Varandas: "Francisco Tavares já trabalha via email e deve chegar mais um coordenador técnico para a Academia. Vão chegar mais pessoas

Academia com Paulo Gomes e alargamento de Alcochete

Varandas: "Basta ir ao refeitório e nota-se a diferença. Não nos podemos esquecer que os miúdos precisam de regras e valores. Tudo o que preconizo para a formação, com mérito para Paulo Gomes e sua equipa, muito já foi feito em três meses. Muito está para fazer. Temos de formar o melhor possível mas temos de dar condições a quem trabalha para potenciar os jogadores. Já lançámos concurso para substituição de sintéticos com 10 anos. Os relvados da euqiupa principal têm 15 anos! Clubes como o Arsenal mudam de relvado todos os anos. Isto faz diferença. Vamos começar a mudar já em 2019. Vamos avançar com novos campos também. Academia está a rebentar pelas costuras. Tenho uma equipa feminina que treina num sintético em que eu não jogaria com os meus amigos à 5.ª feira. Hoje é equipa A, sub-23, feminino, etc. Está a ser feito e não são custos mas sim investimentos. É a nossa galinha dos ovos de ouro.

Situação de Sturaro

Varandas: "É mais uma pasta que herdámos. Quando vencemos as eleições foi-me perguntado como era, sobre a sua integração, e eu disse para esperar. Percebi que ele não joga há muitos meses e que a recuperação não foi boa, tendo de ser operado outra vez. É a minha área e sou muito exigente. Conheço os diretores clínicos desses clubes. Assumi a pasta, falei com o colega da Juventus e disse na altura, em novembro, que Sturaro só viria quando estivesse a 100% e passasse nos exames médicos. Não queremos fazer recuperações de jogadores para estarem aptos em 2019. Virá quando estiver bom... se estiver bom."

Aposta em Keizer teve a ver com formação?

Varandas: "Claro que sim, ele trabalhou com esta equipa do Ajax que despontou. Nenhum miúdo passa a ter experiência se não jogar."

Francisco Geraldes e Matheus Pereira vão voltar?

Varandas: "São possibilidades. Já há coisas definidas mas estamos a 18 e o mercado abre a 1. O segredo é a alma do negício. Janela de janeiro mas também de verão estão a ser trabalhadas."

Mercado de janeiro

Varandas: "Sporting estará atento ao mercado. É possível e já disse que acredito que o Sporting vai acabar por bater os seus rivais. Não pelo barulho mas pela competência. Vai fazê-lo. Mas mais importante que os reforços é aquele grupo que está aqui. Hoje fala-se nos números de Keizer mas veja-se o último jogo: não é fácil estar a perder por 2-0 aos 34', independentemente do adversário. Não se vence aquilo só com competência mas também com alma e acreditar, com a força do grupo. E virou-se para 5-2 e com mais tempo maior seria a diferença. Pela força que aquele grupo tem. Uma palavra especial àqueles adeptos. Sinto que finalmente acreditam naquela equipa. O que ouvi deste jogo das bancadas, a puxar pela equipa quando perdiam por 2-0, isto faz confusão no adversário. 'Eles deviam estar no tapete'. Esta confiança afeta o adversário. Portanto, a vitória é também da força dos adeptos.

Sporting luta pelo título?

Varandas: "Pessoas pediam-me que só não queriam ficar abaixo do terceiro lugar. Hoje dá-me satisfação as pessoas dizerem que acreditam. Isto é reconfortante. Em 100 dias, temos uma equipa em que os sportinguistas acreditam, que pode ser campeã. É contra todas as probabilidades e manuais, não temos as mesmas condições e preparação dos outros, mas eu acredito."

Saída de Peseiro foi surpresa?

Varandas: "Seria a pessoa mais feliz se tivesse continuado com ele até final da época, era sinal que tinha corrido bem. Mas o dever do Sporting é um clube com exigência. O Sporting tem de dominar 32 jogos por ano no mínimo. Pode até não ganhar mas tem de ser favorito e mandar. Agradeço a Peseiro tudo o que fez mas não era aquilo que o Sporting precisava neste momento. Admito que isto cause frustração. Se foram dias complicados para mim? Não. Nem estou arrependido. Foi uma decisão altamente tranquila e segura. Vem de trás, vem do que vi e senti, da minha experiência.

Keizer é aposta ganha?

Varandas: "Escolha define muito o que é esta direção. Não pode haver algo que dê mais força a quem tenha de decidir do que ter independência. Não tivemos de agradar a nenhuma fação. Quando se decide com independência, sem ter a preocupação de tomar decisões por causa do mandato e de eleições. Para mim a aposta não teve risco nenhum. E disse isto antes de ele fazer o primeiro jogo. Assenta em quatro fatores, como disse antes. Era a opção que me dava mais tranquilidade. Muito se fala dele hoje e merece, é um grande treinador, um grande senhor. Nem ele próprio acreditava que ia correr assim tão facilmente. Não é fácil chegar a meio sem ter feito pré-época. O sucesso que está a ter como nosso timoneiro vem da estrutura do Sporting. No dia em que ele der uma entrevista, jamais esquecerá esta equipa à volta dele. Beto e Hugo Viana têm feito um trabalho fantástico, discretos, a trabalhar. De um profissionalismo e competência fantásticos. Mas não só: secretários-técnicos, toda a parte logística à volta, departamento médico, Unidade de Performance já implementada. Quando lancei o nome dele muita gente ficou em pânico. Vamos pensar pelas nossas cabeças. Há algum tempo que reparei em Keizer, no futebol do Ajax. Depois, houve oportunidade de o conhecer melhor. Sou uma pessoa racional mas sigo sempre o mesmo instinto. Em conversas com ele, vi como as equipas dele jogavam, a forma como lidera um grupo, trocámos informações sobre jogadores e a sua forma de ser. Todas as peças para ter o mínimo risco possível. E depois tínhamos uma estrutura preparada para receber Keizer. Dificilmente trocava esta estrutura por qualquer outro clube, e não falo apenas de Portugal. Sei o que quero para um treinador, para um grupo, para o departamento médico, etc. Tive a sorte de conseguir trazer estas pessoas e não é preciso ter muito dinheiro."

Balanço dos primeiros 100 dias


Varandas: "Foram 100 dias intensos, de muito trabalho sério e honesto. Acreditava que estaríamos como estamos há 100 dias. De uma forma geral, fazendo um exame global considero que o primeiro objetivo foi atingido: saudável. Hoje, o Sporting está saudável, nos funcionários, na área do futebol, modalidades e um Sporting que voltou a ser notícia pelos bons motivos e não por coisas tóxicas. Hoje a minha equipa sente-se feliz pelo facto de o orgulho ter sido devolvido aos sportinguistas. O Sporting já não é motivo de chacota. Se foi fácil? Não era fácil. As pessoas cobram de domingo a domingo e eu sabia da exigência. Ao mesmo tempo que era preciso fazer reestruturações sérias no futebol, gerir um plantel e um treinador que não tinha sido escolhido pela minha equipa... tudo isto e ter resultados não era fácil, mas sabíamos que era possível. Não estão ainda como queremos mas está a correr como queremos. Futebol do Sporting está em alta mas ainda temos de melhorar."

--------------------------------------------

Frederico Varandas cumpre esta segunda-feira 100 dias à frente dos destinos do Sporting e, para assinalar a efeméride, concede uma entrevista à Sporting TV, onde irá analisar a atualidade leonina. Siga em direto, a partir das 21h30.

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0