Equipa do Sporting sem apoio das claques durante o jogo com o Feirense

Houve quem levasse um lençol para receber a equipa. Ao longo do jogo, nem um único cântico...

• Foto: Peter Spark / Movephoto

Os adeptos do Sporting que se deslocaram a Santa Maria da Feira, e não foram tantos quanto isso, mostraram a sua insatisfação, num momento que coincide com um ciclo de maus resultados (ontem terminado) e com o fim anunciado do protocolo com as claques. O protesto fez-se sentir antes e durante o encontro com o Feirense. A chegada do autocarro dos leões ao Estádio Marcolino de Castro não foi muito pacífica, e à sua espera a comitiva tinha cerca de uma dezena de adeptos, que criticaram a equipa.

O facto mais curioso acabou por ser um lençol que um adepto trazia, numa forma diferente de pedir a demissão, não só do treinador mas também da direção. O presidente Frederico Varandas, de resto, foi um dos mais visados pelos sportinguistas, que o acusaram de "se esconder" num momento em que o grupo atravessa uma fase complicada. A ira dos adeptos nunca chegou a passar das palavras, até porque a Polícia observava de perto os acontecimentos.

Silêncio e tarjas ao contrário

Durante o jogo, o público afeto ao Sporting esteve calado os 90 minutos. Quando a equipa subiu ao relvado houve uma pequena reação, misturada com alguns assobios. Aliás, aplausos só mesmo no fim. E tímidos. As tarjas da Juve Leo, Brigada, Diretivo e Torcida ficaram do avesso. "Respeitem os ultras", pediram os adeptos do Sporting.

Adeptos do Sporting com faixas do avesso em Santa Maria da Feira

Por Alexandre Moita e José Miguel Machado
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.