Frederico Varandas: «Não podemos pactuar com a escumalha que faz o incitamento ao ódio»

Presidente do Sporting pede ao governo ações concretas sobre a violência no desporto

Frederico Varandas reuniu-se esta quarta-feira no Ministério da Administração Interna, com o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, e com o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, com vista a debater a violência no desporto e pedir medidas concretas por parte da tutela relativamente a pessoas que "são um cancro no desporto português".

"O Sporting é aliado corajoso nesta luta contra este tipo de pessoas, porque vamos estar sempre do lado da elevação de um desporto que é muito querido neste país. Não podemos pactuar com escumalha que faz incitamento à violencia, ao ódio, que imita sons de um 'very light' a celebrar um homicídio ou que atira tochas para cima de atletas. Essa escumalha não pode ter espaço nos recintos desportivos", avisou Varandas, à saída da reunião.

"O Estado Português está perfeitamente consciente e alinhado com a maneira do Sporting pensar. Hoje já existe alguma coisa em termos legislativos e eu, como presidente do Sporting, quero exigir mais, que as penas saiam mais depressa porque estas pessoas afastam e são um cancro no desporto potuguês. Não podem ter espaço no desporto", acrescenta o líder leonino.

Depois, Varandas recordou o ataque a Alcochete. "Alcochete foi uma tragédia, o Sporting foi o clube que mais sofreu recentemente com isto. Temos de aprender a lição e mudarmos isto. No pós-Alcochete, vejam só nos últimos meses os episódios que houve. Leixões, Guimarães, Benfica... Isto é o dia a dia, está a tornar-se vulgar."

O presidente do Sporting foi depois confrontado com a posição dos outros clubes. "O Estado português  está solidário com o Sporting, quero acreditar que vamos agir. Vamos fazer esta luta, sozinhos ou acompanhados. Desejaria que o Sporting não a fizesse sozinho", frisou, acrescetando: "Independentemente das rivalidades, há coisas superiores. O Sporting é um peão de um negócio que é o futebol, que tem de ser muito bem cuidado. É preciso ter coragem. É preciso arrumar a casa internamente."

As multas que os clubes pagam pelo mau comportamento dos seus adeptos foi um dos temas que Varandas abordou com os governantes. "Uma das nossas preocupações é que não podem ser o clubes a pagar estas multas. Há grupos com comportamentos incorretos e são os clubes que pagam, exigimos uma responsabilidade individual. Temos de idenficar, nós podemos identificar 90 por cento dos acontecimentos. Ponham os olhos na Premier League."

E prosseguiu: "O Sporting é punido duplamente porque os adeptos atiram tochas para o nosso relvado e para os nossos atletas! Isto é o expoente máximo de como tudo está invertido. O futebol tem de ser um espaço para as famílias e Alvalade vai ser um estádio onde as famílias vão sentir-se confortáveis. Para mim é inqualificável ver grupos em Alvalade que não festejam um golo, que criam instabilidade. Isto é apoiar? Uma claque existe por amor ao clube."

Quando questionado sobre se a relação da direção com as claques do Sporting tem volta, responde: "Dou a garantia aos sócios que para o ano o estádio de Alvalade vai ser confortável para as pessoas trazerem os netos e os filhos. Serão bem-vindos os grupos que apoiem o seu clube sem pedir nada em troca."

30
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.