Gudelj: «Uma das minhas principais qualidades é o remate de meia distância»

Sérvio assume preferência pela posição oito e diz que oitenta por cento dos golos foram de fora da área

• Foto: DR Record

Nemanja Gudelj foi o último reforço a ser apresentado e ainda não jogou com a camisola verde e branca, mas explica que uma das suas grandes virtudes é o remate. "Nunca gosto de falar sobre mim, mas costumo sublinhar o quanto trabalho dentro de campo para ajudar os meus companheiros. Sou um jogador forte, que chuta à baliza, porque uma das minhas melhores qualidades é o remate de meia distância. Oitenta por cento dos meus golos foram marcados de fora da área", reconheceu o sérvio, em entrevista ao 'Jornal Sporting', revelando preferência pela posição 'oito'.

"Posso correr mais jogando aí, enquanto que como 'seis' preciso de segurar a defesa quando a equipa está a atacar, já que sou um dos primeiros obstáculos no momento de perda da bola. A 'oito' participo mais ofensivamente e defensivamente. E, claro, permite-me rematar com maior regularidade. São esses motivos."

Ser lembrado pelo título

Gudelj, de 26 anos, ainda está a adaptar-se à nova realidade, mas revela já ser conhecedor das responsabilidades do Sporting. Por isso, não hesita em apontar a forma como pretende ser lembrado pelos adeptos. "Como um bom jogador, que ajudou a equipa a ser campeã. Não posso prometer nada, a não ser que vou dar o meu melhor", vincou o jogador, contratado ao Guangzhou Evergrande, deixando ainda elogios ao técnico José Peseiro e aos seus métodos de treino.

"Falei com ele quando ainda estava na China. Ele ligou-me. Conversámos para que pudesse conhecê-lo melhor e ao Sporting. Gosto do facto de saber o que quer e de fazer tudo o que pode para alcançar os seus objetivos. Também tenho gostado dos treinos, porque não são muito longos, mas são bastante intensos. A qualidade do treino é elevada", admitiu.

«Não é fácil cozinhar para mim

Nemanja Gudelj admitiu que desde tenra idade sonhou ser futebolista profissional. "Na escola, com quatro/cinco anos, o meu pai já era o meu ídolo. Adoro a rotina de ir todos os dias para os treinos da manhã e esse género de hábitos", explicou o sérvio, que mostra levar a sua profissão bem a sério. "Se sou bastante preocupado com a alimentação? Digamos que não é fácil cozinharem para mim", pormenorizou.

O médio ex-Guangzhou Evergrande, que revelou que no balneário é tratado por 'Némá' ou Gudjohnsen (por Jefferson), comparou ainda o Sporting ao Ajax. "Vê-se que há muitos bons jogadores de nível mundial que foram formados aqui. Não é coincidência", referiu.

Quando o pai virou seu... treinador

Gudelj iniciou a sua carreira no NAC Breda, da Holanda, e no clube foi mesmo treinado pelo seu pai, Nebojsa Gudelj, também ele antigo jogador de futebol. "Não é algo que aconteça todos os dias, mas sou suficientemente profissional para separar as coisas. Ao início confesso que era estranho chamar-lhe treinador dentro do campo. Depois, tornou-se normal. Nunca puderam dizer que jogava por culpa do meu pai, pois já tinha sido importante para o clube na época anterior. Atualmente, continua a ligar-me sempre depois dos jogos. Se não estiver lá, liga-me", explicou o médio, recordando as corridas com o pai na floresta, ainda muito novo. "Aprendi que nada cai do céu", confessou, agradecido.

Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0