Jesus: «Tensão em defrontar V. Setúbal? Se dirigentes jogassem uns contra os outros...»

Treinador desvaloriza "questões administrativas"

A carregar o vídeo ...
Jesus não passava «uma imagem sequer» de Dortmund

O Sporting vai ao Bonfim defrontar o V. Setúbal para a 29.ª jornada da Liga NOS (sexta-feira, 20H30) e Jorge Jesus garante que não há qualquer 'tensão' neste encontro depois das "questões administrativas" entre as duas equipas com os 'casos Geraldes e Ryan Gauld' ou da eliminação da Taça da Liga aos pés dos sadinos.

"Tensão? Se os dirigentes fossem jogar uns contra os outros se calhar havia, mas como eles não jogam… O jogo vai ser feito por jogadores. Estas tensões de situações administrativas não passam pelos jogadores nem pelo jogo. A tensão que vai haver é que o Sporting quer ganhar e o Vitória também. O resto é a responsabilidade de uma e outra equipa. Essas situações paralelas não contam para o jogo", assumiu, esta quinta-feira, o técnico dos verde e brancos em conferência de imprensa de lançamento do encontro.

Sobre a equipa que vai encontrar amanhã no relvado, Jorge Jesus sabe bem o que irá encontrar. "Este ano, o nosso adversário já fez bons resultados nos confrontos diretos com os grandes, tanto com o Benfica como com o FC Porto. É sinal que é uma equipa que defende bem. Quando marca primeiro, torna-se perigosa porque depois faz muito anti-jogo e isso é um pormenor muito importante. O V. Setúbal é um adversário que acredita nas suas capacidades. O Sporting está a fazer um final de campeonato muito bom e iremos continuar a vencer. Queremos jogar com a qualidade com que jogámos neste último jogo no nosso estádio. Penso que vai ser um jogo competitivo e bem jogado e esperamos que sejamos nós a vencer o jogo".

Mas, afinal, o que é o antijogo para o treinador do Sporting? Depois de José Couceiro se ter pronunciado já ontem sobre o tema - recusa esse rótulo, considerando ser uma "tentativa que alguns clubes usam para justificar os insucessos" -, também o treinador dos leões tem a sua perspetiva.

"Nem sabia que o Zé já tinha falado nisso. Antijogo é não haver jogo (risos), o jogo está parado. Há algumas formas de se fazer antijogo, entre as quais aquela que se pode ver nas atitudes que os guarda-redes possam ter", concluiu.

Por Sofia Lobato
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0