O juiz que decretou esta quinta-feira a providência cautelar para impedir a realização de uma Assembleia Geral do Sporting, convocada pela comissão transitória, para dia 17 foi claro ao determinar "suspensão imediata das Assembleias Gerais do Sporting Clube de Portugal convocadas pela "Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral" para o dia 17 de Junho de 2018 e para o dia 21 de Julho de 2018, ambas a decorrer nas instalações do Pavilhão João Rocha, sito na Rua Francisco Stromp, em Lisboa", de acordo com o texto da decisão, a que a SÁBADO teve acesso.

Segundo o documento, o magistrado judicial que aceitou o pedido de Jaime Marta Soares, deixa uma ameaça ao membros da comissão: "Mais ordeno a intimação de todos os requeridos SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, ELSA TIAGO JUDAS, BERNARDO TRINDADE BARROS e YASSIN NADIR NOBRE a não realizar as Assembleias Gerais referidas na alínea anterior, sob pena de incorrerem na pena aplicável ao crime de desobediência qualificada por infringirem a providência cautelar decretada".


Autor: Carlos Rodrigues Lima/Sábado