Julgamento do ataque à Academia: Rafael Leão diz que "agarrou nas suas coisas e foi para casa"

Decorre mais uma sessão no Tribunal de Monsanto

• Foto: Pedro Simões

17h20 - Na sexta-feira está previsto o depoimento de Frederico Varandas, atual presidente do Sporting e chefe do departamento médico dos leões à data do ataque à Academia de Alcochete.

16h50 - Termina o testemunho de Rafael Leão. A sessão prossegue com testemunhas abonatórias. 

16h48 - Miguel Fonseca nao aguenta e atira: "Ele está a chamar mentirosos aos colegas, pá!"

16h43 - Rafael Leão revela que nenhum jogador disse para não se falar com o presidente Bruno de Carvalho. Terão sido os jogadores todos a tomar a decisão na sala de jogos.

16h40 - Confusão entre a juíza Sílvia Pires e Miguel Fonseca, advogado de Bruno de Carvalho. Este questionou Rafael Leão sobre mensagens trocadas e sobre lhe terem sido oferecidos milhares de euros após a invasão. A questão não chegou a concretizar-se, pois a juíza interrompeu e proibiu Fonseca de voltar a fazer perguntas diretas à testemunha.

16h36 - O jogador de 20 anos morava na Academia à data do ataque, assume que ficou com medo após a invasão e que abandonou o local. "Depois do sucedido não fiquei na Academia, não consegui, não me senti bem, agarrei nas minhas coisas e fui para casa"

16h33 - Rafael Leão identifica Rúben Marques como o agressor do cinto e confirma notícia Record. Aparentemente terão andado juntos na mesma escola.

16h31 - Rafael Leão já está a ser ouvido por vídeochamada. Depois de descrever o início da invasão, o antigo jogador do Sporting diz que os invasores afirmaram, quando entraram no balneário: "filhos da p*** vamos matar-vos, vão morrer hoje".

15h31 - Miguel Fonseca, advogado de Bruno de Carvalho, discutiu com a juíza após a recusa das testemunhas em responder a algumas perguntas. O advogado questionou se seriam arguidos ou testemunhas. Juíza Sílvia Pires não autorizou perguntas de Miguel Fonseca sobre a candidatura de Varandas. Recorde-se que Silveira integrava a lista do agora presidente, mas saiu devido a um áudio polémico gravado numa conversa de whatsapp.

15h30 - Diogo Amaral Silva terá escrito no grupo, na altura do ataque, "saiam todos, saiam todos". Mas negou explicar. Pedro Silveira assumiu que foi adicionado ao grupo no dia 14, na véspera do ataque, mas garantiu que nunca foi à Academia.

15h27 - As duas testemunhas faziam parte do grupo de whatsapp 'Academia Amanhã'. Diogo Amaral Silva recusou responder a algumas perguntas sobre o grupo por ter receio de se auto-incriminar - como não é arguido tem direito a não responder a esse tipo de perguntas.

15h20 - Já foram ouvidos Diogo Amaral Silva e Pedro Silveira (Barbini), testemunhas de Fernando Mendes.

14h34 - Maioria dos arguidos já entrou no tribunal, de referir que Elton Camará (Aleluia) não está presente.

Prossegue esta quarta-feira, no Tribunal de Monsanto, o julgamento do ataque à Academia de Alcochete. Durante a manhã de hoje foram ouvidas testemunhas abonatórias, estando prevista para esta tarde a audição de Rafael Leão, atual jogador do AC Milan.

O tribunal tencionava também ouvir hoje Bas Dost e Doumbia, no entanto, o avançado holandês solicitou a remarcação da audição, por se encontrar doente, enquanto Doumbia não respondeu aos contactos.

4
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.