Fernando Mendes e a conversa com JJ, o pedido do Sporting e até rabiscos nos bancos: a 8.ª sessão do julgamento do Ataque à Academia

Como decorreu a sessão

17h52 - Quarta-feira, 9.º dia do julgamento, serão ouvidas três testemunhas que integravam a equipa técnica de Jorge Jesus: os adjuntos Raul José e Miguel Quaresma e o ainda o treinador de guarda-redes, Nélson Pereira. 

17h50 - Arguido Nuno Torres pede autorização para na quarta-feira se deslocar à direção geral de serviços prisionais em Almada a fim de diligência agendada para as 10h - requerimento colocado pela advogada.

17h47 - Terminou a sessão no Tribunal de Monsanto.

17h31 - Cintrão afirmou que habitualmente era Jorge Jesus que decidia a hora do treino, mas não soube confirmar se isso tinha sucedido para o dia do ataque.

17h29 - Questionado por Sandra Martins, advogada de Fernando Mendes, Cintrão revelou como Fernando Mendes estava tranquilo enquanto falava com Jorge Jesus em Alcochete, já após o ataque. Cintrão diz que William também estava presente nessa conversa. 

16h41 - Procuradora terminou perguntas a Cintrão. Esclareceu que só soube a hora do treino de dia 15 na noite da véspera, através de um contacto feito por Vasco Fernandes.

16h40 - Sobre a reunião com staff na véspera do ataque, Cintrão confirma a existência e a célebre pergunta de BdC: aconteça o que acontecer, amanhã estarão comigo? E confirma o que disseram outras testemunhas: "toda a gente ficou convencida que aquilo teria a ver com Jorge Jesus."

16h11 - Cintrão diz que perguntou a Fernando Mendes o que se tinha passado e o que ex-líder da Juve Léo respondeu: "Não sei o que se passou. Não tenho nada a ver com isso. Estou aqui de cara descoberta."

16h00 - Recorda-se de haver danos em carros, no de Nelson Pereira e no de Ricardo Gonçalves.

15h50 - O assessor de comunicaçãpo conta que só viu uma agressão, a Acuña. Um 'chapadão' na parte traseira do pescoço. Diz que o argentino não reagiu.

15h37 - Cintrão descreve o que viu. Estava entre o campo 2 e 3 com o repórter de imagem. Viu os encapuzados a entrar num dos campos e a ouvi-os dizerem: "Eles não estão aqui no campo, vamos aos balneários."

15h36 - Entretanto, Bruno de Carvalho ainda não voltou do almoço.

15h35 - Paulo Cintrão começa a falar.

15h34 - Rocha Quintal, advogado de Mustafa (Nuno Vieira Mendes), pediu alteração da medida de coação do seu constituinte, que se encontra em prisão preventiva.

15h32 - A juíza informa que a decisão sobre o requerimento pedido pelo Sporting só será comunicada na sexta feira. Vão ser consultados os advogados de defesa, que também arrolaram os jogadores como testemunhas. 

15h28 - Vai testemunhar Paulo Cintrão, assessor de comunicação do Sporting.

15h28 - Mais um pequeno arrufo entre a oficial de justiça e o Bruno Monteiro. Agora porque os réus terão escrito as suas iniciais nos bancos onde estão sentados...

15h28 - Recomeça a sessão.

13h39 - Um dos arguidos revolta-se com discussão e atira: "Estamos aqui todos à espera do chibo"

13h37 - A oficial de justiça Bárbara Martins acusa Nuno Torres de a chamar mentirosa. Estão a discutir. A situação vem de ontem e prende-se com o facto de o arguido aparentemente se ter sentido mal e não ter justificado a falta.

13h36 - Juíza decide depois de almoço. A sessão retoma às 15 horas.

13h34 - Estamos a falar de Maximiano, Ristovski, Coates, Acuña, Mathieu, Battaglia, Wendel e Bruno Fernandes. Se não for permitida a videoconferência, o Sporting pede para que os arguidos sejam afastados da sala.

13h34 - São entregues requerimentos subscritos por cada um dos jogadores para que possam testemunhar por videoconferência. Não se vislumbram razões para que a sua presença física seja fundamental para se descortinar a verdade, argumenta o causídico. Não querem estar próximo dos invasores, até porque a entrada em tribunal é feita pelo mesmo local.

13h27 - Todas as testemunhas (jogadores do Sporting) vieram nos autos declarar procedimento criminal contra os arguidos, todos presenciaram em primeira mão os factos descritos.

13h26 - Miguel Coutinho, advogado do Sporting, entrega um requerimento.

13h16 - Miguel A. Fonseca interroga Manuel Fernandes.

13h14 - Amândio Madaleno questiona-o sobre o ataque e Manuel Fernandes responde: "Espero nunca mais ver uma coisas destas no Sporting. Penso que as pessoas não queriam que isto tomasse estas proporções."

13h09 - Bruno de Carvalho chama agora o advogado. Miguel A. Fonseca deve ser dos próximos a interrogar Manuel Fernandes.

12h46 - Quando questionado pela advogada Maria João Matos, Manuel Fernandes desvaloriza todo o ataque a Alcochete, revela que ainda dormiu entre chegar a casa e o regresso para prestar depoimento.

12h33 - Miguel Coutinho, advogado do Sporting, coloca agora questões a Manuel Fernandes.

12h30 - Nessa reunião, Bruno de Carvalho criticou Manuel Fernandes por não o defender no canal de televisão onde é comentador desportivo.

12h22 - A testemunha confirma reunião na véspera da invasão. Diz que na segunda-feira Bruno de Carvalho esteve em três reuniões. Com os treinadores, depois com os jogadores e a seguir com a restante estrutura. "Recordo-me da frase da reunião que me marcou. Falei com os meus colegas e todos pensamos que o treinador seria despedido", diz. A frase do então presidente, segundo Manuel Fernandes, foi: "Amanhã estaremos na Academia às 16h e, aconteça o que acontecer, vocês estarão comigo?"

12h15 - Manuel Fernandes pediu a Jorge Jesus para ir para casa porque não estava a sentir-se bem. Voltou a Alcochete quando se apercebeu que era preciso prestar depoimento.

12h03 - Manuel Fernandes recorda ainda que quem lhe disse que não era nada com ele levava um cinto na mão.

11h58 - A testemunha, que está a ser interrogada pela procuradora Fernanda Matias, conta que viu pelo menos quatro pessoas de cara tapada dentro do balneário, havia muitos adeptos cá fora. Conta que viu William a dialogar com um invasor no balneário.

11h55 - Manuel Fernandes aponta na planta onde estava Bas Dost.

11h50 - "Acho que não entraram todos. Alguns ficaram lá fora, mas não tenho a certeza", explica o antigo jogador leonino. "Vi o Bas Dost com sangue na cabeça, deitado no chão. Estava com alguém que devia ser do posto médico. O Bas Dost estava a chorar. Foi mesmo à entrada do balneário. Havia adeptos no balneário e muitos no corredor."

11h49 - Manuel Fernandes diz que ouviu um estrondo, foi ver o que se passava e disseram-lhe: "Desvia-te Manel, isto não é contigo."

11h36 - Manuel Fernandes, que integrava a estrutura do futebol à data dos factos, começa a testemunhar.

11h15 - E sobre o vídeo de Varandas no balneário, a juíza disse: "A testemunha não está aqui para comentar filmes, mas sim esclarecer factos."

11h13 - A juíza Silvia Pires irrita-se com Miguel Fonseca, o advogado de Bruno de Carvalho, por demorar a contextualizar as perguntas e não se limitar aos factos. "Mais uma vez, limitemo-nos aos factos e não em soundbytes!"

11h02 - Estão presentes 24 arguidos.

10h38 - Tendo em conta a cadeia de acontecimentos, conversas entre adeptos e jogadores, no estacionamento do estádio dos Barreiros, aeroporto da Madeira, garagem do estádio José Alvalade e o telefonema de Bruno Jacinto: "Nunca me passou pela cabeça que pudesse haver uma invasão. Fiquei preocupado porque a visita não foi tratada ou planeada nos moldes habituais", confessa Ricardo Gonçalves.

10h17 - Miguel Fonseca, advogado de Bruno de Carvalho, questiona Ricardo Gonçalves sobre o jogo na Madeira, frente ao Marítimo.

10h07 - Os arguidos entram na sala. Fernando Mendes senta-se junto a Nuno Torres (que conduzia o BMW que foi buscar o outro grupo à Academia).

10h00 - Para amanhã está previsto serem ouvidos Raul José, Miguel Quaresma e Nelson Pereira.

9h45 - Estão a chegar mais arguidos.

9h41 - Bruno de Carvalho acaba de chegar, na companhia do advogado, Miguel Fonseca. O antigo presidente do Sporting não responde às perguntas dos jornalistas.

9h40 - Fernando Mendes, ex-líder da Juventude Leonina, também está presente. Leia aqui as declarações que proferiu à entrada.

9h36 - Chegou Ricardo Gonçalves, diretor de operações e segurança do Sporting, que vai continuar a prestar testemunho.

9h34 - Bruno de Carvalho, um dos 44 arguidos no âmbito deste processo, tinha pedido dispensa das sessões mas compareceu na última. Recorde aqui tudo o que aconteceu no Tribunal de Monsanto segunda-feira.

9h32 - Manuel Fernanes já chegou a Monsanto mas não quer falar aos jornalistas.

9h20 - Para hoje está previsto serem ouvidos Ricardo Gonçalves, chefe de segurança do Sporting (que regressa depois de já ter estado no tribunal na segunda-feira), Manuel Fernandes e Paulo Cintrão. 

- Bom dia, seja bem-vindo ao direto de mais uma sessão no julgamento do ataque à Academia de Alcochete, um processo que decorre no Tribunal de Monsanto.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.