Palhinha revela pormenores da conversa de Fernando Mendes com Jorge Jesus após o ataque

A 13.ª sessão do julgamento do ataque à Academia prossegue no Tribunal de Monsanto

17h29 - Está concluída a 13.ª sessão do julgamento do ataque à Academia, no Tribunal de Monsanto. Haverá nova sessão amanhã, terça-feira.

17h21 - Jorge Jesus deverá ser ouvido em Tribunal no dia 6 de janeiro de 2020.

17h01 - Questionado sobre qual teria sido a reação de Bruno de Carvalho e de André Geraldes quando se soube do ataque à Academia, Gonçalo Rodrigues diz que foi "de surpresa". 

16h46 - Gonçalo Rodrigues afirmou que trabalhava com Francisco Geraldes e assumiu ter estado presente na reunião de dia 14, em que Bruno de Carvalho proferiu a frase "Independentemente do que acontecer amanhã quem estará comigo?", Gonçalo Rodrigues disse desconhecer em que contexto tal frase foi dita.

16h34 - Gonçalo Rodrigues, funcionário também envolvido no 'Cashball', já presta declarações no Tribunal de Monsanto.

16h28 - João Palhinha admitiu ter tido pesadelos durante alguns dias com tudo aquilo que se passou no ataque à Academia e que, de certa forma, deixou de se sentir seguro no clube.

15h57- Segundo conta o médio, quando finalmente conseguiu sair do balneário, atrás de William Carvalho viu vários adeptos a fugirem, uns na direção da entrada principal, outros na direção da vedação. Foi nessa altura que presenciou a conversa entre Jorge Jesus, William Carvalho e Fernando Mendes.

15h30 - João Palhinha recorda as acusações dirigidas a Rui Patrício e William Carvalho, durante a invasão do balneário: "que só queriam ganhar dinheiro, que queriam sair do clube à força toda, que eram uma vergonha". O jogador, atualmente emprestado ao Sp. Braga, refere ainda que estavam vários indivíduos à porta do balneário que impediam os jogadores de sair durante as agressões.

15h28 - O futebolista diz que na reunião da véspera do ataque, Bruno de Carvalho censurou o comportamento de Acuña e Battaglia no final do jogo da Madeira. "Houve um momento tenso entre o presidente, o William e o Rui Patrício".

15h11 - João Palhinha refere que "na conversa, posterior à invasão, Fernando Mendes disse a Jorge Jesus que não era nada daquilo que eles queriam fazer. Pediu desculpa pelo que tinha acontecido", recorda, acrescentando: "Fernando Mendes estava acompanhado por um senhor de cor. Não me lembro do nome."

14h47 - "O Fredy Montero estava ao meu lado e vi-o levar uma chapada. O Battaglia e o Acuña também levaram. O Rui Patrício levou um murro no peito. Um indivíduo de cara tapada virou-se para mim e disse-me para eu despir o equipamento do Sporting. Viraram-se mais para o William, o Rui, o Acuña e o Battaglia. Ao Battaglia e ao Acuña eram 3 ou 4 que estavam a tentar agarrá-los. Em relação ao Rui era só um de cara tapada", explica João Palhinha.

14h28 - João Palhinha já está a ser ouvido, por videoconferência. 

14h - Gonçalo Rodrigues já chegou ao Tribunal de Monsanto.  

João Palhinha, jogador do Sporting emprestado ao Braga, será ouvido, por videoconferência a partir de Braga, esta tarde. Será também ouvido Gonçalo Rodrigues, que na altura do ataque era coordenador do gabinete de apoio ao atleta.

11h21 - Terminou a audição de José Laranjeira. A sessão retoma às 14 horas.

De referir ainda que o arguido Aleluia foi dispensado por estar, alegadamente, doente.

11h20 - Questionado pelo advogado de Bruno de Carvalho sobre se, durante o minuto de conversa, viu alguém do staff médico a tentar auxiliar Bas Dost, designadamente Frederico Varandas ou Virgílio Abreu. José Laranjeira foi taxativo: 'Não!'

11h19 - Admite ter visto Bas Dost com um ferimento na cabeça a vir da zona do balneário e ter falado com ele durante um minuto:
'Pereguntei-lhe como é que ele estava'

11h04 - José Laranjeira refere que Jorge Jesus terá saído a correr atrás de um dos invasores e terá dito: 'agarra esse, agarra esse!'

10h58 - Um dos advogados exibe imagens de vídeo da invasão e faz uma pergunta, a testemunha vê as imagens e aponta, mas a conversa é impercetível.

10h33 - A testemunha recorda-se de Bruno de Carvalho ter dito, na reunião, 'amanhã estamos lá todos, na academia'.

10h31 - José Laranjeira refere que esteve presente na reunião da véspera do ataque, assume que foi nessa reunião que ficou definido o horário do treino, mas não consegue precisar se foi Bruno de Carvalho a definir esse horário. "Pensei que a parte da manhã serviria para oficializar a saída do treinador", diz. 

10h23 - A testemunha, antigo diretor de scouting do Sporting, admite ter estado no balneário, já depois de ter terminado a invasão. "Vi fumo, estava muita confusão lá dentro, coisas no chão, era um cenário fora do normal. Caixotes de lixo, tudo derrubado"
 
10h16 - José Laranjeira já está a responder às perguntas da juíza.  

10h15 - Começou a 13.ª sessão do julgamento ao ataque à Academia de Alcochete. 

9h31 - O antigo diretor de scouting do Sporting, José Laranjeira, que é o primeiro a ser ouvido esta segunda-feira, já está no Tribunal de Monsanto. Chegou mais cedo, e andou à procura da porta de entrada, que ainda estava fechada. 

Na sessão de hoje são ouvidos: José Laranjeira (antigo diretor de scouting); João Palhinha, futebolista que atualmente está emprestado ao Sp. Braga, e Gonçalo Rodrigues (funcionário também envolvido no 'Cashball').

Recorde aqui o que foi dito da 12.ª sessão.

Bom Dia! Seja bem vindo a mais uma sessão do julgamento do ataque à Academia de Alcochete, que terá lugar, como é hábito, no tribunal de Monsanto.

20
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.