Julgamento do ataque a Alcochete: tudo o que aconteceu na 5.ª sessão

Contou com a presença de 20 dos 44 arguidos

• Foto: João Miguel Rodrigues

16h50 - Domingos Monteiro foi arguido levado pela PSP para a esquadra para ser identificado, por desobediência. 

16h10 - O arguido foi levado para a esquadra para ser identificado, a advogada não conseguiu falar com ele. Não foi dada ordem de detenção.

16h06 - Um dos arguidos ia a sair do tribunal e foi detido pela PSP. A advogada Sandra Martins voltou la para dentro para perceber o que se passar.

15h50 - Termina o interrogatório e a sessão. Quinta-feira serão ouvidos Fábio Castro (militar da GNR) de manhã e Rui Falcão (porteiro da Academia) à tarde

15h44 - Paulo Santos (advogado Guilherme Oliveira) interroga-o sobre questões relativas a GOA. O causídico tenta estabelecer uma proximidade entre o adepto comum e um membro de uma claque ou dos casuals. O superintendente explica que tudo depende da motivação do adepto em si. A juíza acaba por interromper discussão por considerar que já se estavam a repetir as perguntas.

15h42 - O superintendente diz que não sabe, mas que essa informação foi recolhida pelos agentes da UMID. "Não foi um spotter em concreto, foi o conjunto das pessoas que trabalham na unidade".

15h40 - Advogada Sandra Martins dá os parabéns ao superintendente (era intendente à data dos factos) e questiona-o sobre o poder que tinham Fernando Mendes ou Togo Silva à altura dos factos.

15h37 - O requerimento de Miguel Matias, que pedia as listas dos adeptos, foi deferido 

15h33 - Luís Moreira diz que a PSP costuma receber listas de GOA incompletas quando as pede às entidades competentes.

15h30 - O superintendente lê a folha e diz que não vê em lado nenhum que a PSP admitiu as listas e fica furioso com acusação feita por Miguel Matias. Diz que não admite este tipo de acusações.

15h20 - Miguel Matias volta a falar e questionar sobre a lista de adeptos que o superintendente diz não ter. O advogado diz que a PSP tem os registos de 2007 até 2016 - folha 1517 dos autos.

15h19 - Sobre o desconhecimento da PSP em relação aos membros das claques, com quatro claques muito próximas, o superintendente ia começar a responder e foi impedido por a juíza desvalorizar a relevância da questão.

15h17 - Agora a juíza tentar evitar mais diálogo entre Paulo Camoesas e a testemunha.

15h15 - Paulo Camoesas (advogado de Bruno Jacinto) questiona sobre a ligação dos arguidos à Juve Leo. E juíza não deixa responder, por considerar que o assunto está clarificado. Mas o superintendente afinal responde e explica que mesmo não tendo uma lista, a PSP pode identificar os suspeitos devido ao conhecimento dos agentes que acompanham os GOA por todo o país ao longo do ano.

15h08 - Miguel Fonseca, advogado de Bruno de Carvalho, questiona a testemunha. Pergunta-lhe sobre a entrada dos adeptos nos estádios e a juíza Silva Pires irrita-se, por o advogado estar a colocar uma questão fora do contexto do julgamento. Ameaça tirar o som do microfone e diz ao superintendente para não responder à pergunta.

14h56 - O superintendente garante que investigação não esteve a cargo da PSP, apenas a recolha de informação. "O caso ocorreu na área de abrangência da GNR" justificou.

14h51 - Miguel Matias requer ao IPDJ a listagem completa dos adeptos à data dos factos e pretende saber se os dados foram fornecidos às autoridades.

14h48 - Miguel Matias pergunta se há uma lista do IPDJ. O superintendente esclarece que a lei obriga a isso sempre que as autoridades solicitam.

14h47 - Miguel Matias, advogado de Afonso Ferreira, questiona o superintendente se esses adeptos são todos membros da Juve Leo. Luís Moreira responde que lhe foi reportado que todos fazem parte ou identificam-se como simpatizantes ou apoiantes da claque.

14h42 - O superintendente diz que o trabalho de investigação foi feito pelos agentes que estão no terreno a acompanhar os adeptos por todo o lado e que tem confiança no trabalho realizado.

14h39 - Está a ser ouvido Luís Moreira, superintendente da PSP.

14h38 - A maioria dos jogadores não está disponível para prstar depoimento, devido aos compromissos da equipa na próxima semana. Joga com o Gil vicente duas vezes, domingo para o campeonato e quarta-feira para a Taça da Liga.

11h15 - Termina a sessão. Será retomada às 14h30.

11h07 - Advogados argumentam que nem todos os arguidos entraram no balneário e a juíza responde que não há imagens disso.

10h59 - O arguido Nuno Torres é chamado à atenção pela PSP por ter ido falar com Elton Camará (Aleluia).

10h40 - Entretanto ficou a saber-se quem serão as testemunhas notificadas para as próximas sessões e vários jogadores do Sporting vão a Monsanto prestar declarações.

- Segunda-feira (dia 2 de dezembro) de manhã será ouvido Ricardo Gonçalves, coordenador da segurança da academia à data dos factos; à tarde Wendel e Manuel Fernandes.

- Terça-feira (dia 3 de dezembro) de manhã José Laranjeiro (antigo elemento da equipa de scouting do Sporting, que está agora no Rio Ave) e Mathieu; à tarde Acuña e Battaglia.

- Quarta-feira (dia 4 de dezembro) de manhã Maximiano e Coates, à tarde Ristovski e Bruno Fernandes.

- Segunda-feira (dia 9 de dezembro) Raul José e Miguel Quaresma, antigos membros da equipa técnica de Jorge Jesus, que ainda estão no Sporting.

10h35 - O militar é dispensado. Serão agora visionadas imagens aéreas da Academia.

10h23 - O militar explica que participou nas buscas à habitação do arguido Sérgio Santos, que vivia num quarto alugado. Procuravam roupa idêntica à identificada na invasão à academia; foi apreendido cocaína, 930 euros em dinheiro, artigos da Juve Leo, bilhetes e telemóveis.

10h22 - Prepara-se para falar Hugo Portela, cabo da GNR de Almada - investigação criminal.

10h22 - O militar é dispensado, os restants advogados não querem fazer perguntas à testemunha.

10h21 - O militar é confrontado com a apreensão de uma faca de cozinha por parte da advogada Ana Luz. Renato Andrade diz que a faca estava no quarto de Celso Cordeiro, por isso foi apreendida.

10h11 - Começa a ser ouvido um militar da GNR, Renato Andrade, de Almada. Participou nas busca domiciliária ao arguido Celso Cordeiro.

10h10 - A juíza decidiu dispensar mais um arguido de comparecer nas sessões, Guilherme de Sousa Gata, por motovos profissionais. Estão presentes 20 dos 44 arguidos.

9h41 - Alguns arguidos e respetivos advogados entram no tribunal.

Mau tempo em Monsanto
9h22 - Os advogados dos arguidos começam a chegar a Monsanto. Está muito mau tempo, chove copiosamente.

- Esta terça-feira vão ser ouvidos mais dois militares da GNR e dois elementos da PSP.

- São 44 os arguidos no âmbito deste processo, muitos pediram dispensa, como foi o caso de Bruno de Carvalho. Na sessão de ontem esteve pela primeira vez Fernando Mendes, ex-líder da Juventude Leonina que se encontra com um grave problema de saúde e que também pediu dispensa.

- Bom dia, seja bem-vindo à 5.ª sessão do julgamento do ataque à Academia de Alcochete, que tem lugar no Trubunal de Monsanto.

Por Luís Mota
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.