Depois de meia hora de terror na Academia do Sporting, em Alcochete, os grupo de cerca de 50 adeptos, que terá agredido jogadores e equipa técnica, partiu-se: uns abandonaram as instalações pela entrada principal, outros saltaram a vedação. Uns "6 ou 7", porém, mantiveram-se dentro da Academia. Alguns minutos após a fuga da maioria, o segurança que se encontrava na portaria recebeu uma chamada de Ricardo Vaz, elemento do Gabinete de Apoio aos jogadores, dizendo-lhe para "deixar entrar nas instalações um veículo de marca BMW de cor azul(…), sendo que essa viatura foi buscar os líderes das claques".

Isto mesmo consta do depoimento prestado pelo segurança da empresa "2045", a que a Sábado teve acesso, na madrugada de 16 de Maio à GNR do Montijo. Ouvido como testemunha dos factos que ocorreram na tarde do dia 15, terça-feira, o segurança, porém, afirmou não ter retido a matrícula do carro que foi à Academia "resgatar" os tais líderes, afirmando apenas se recordar da letras "TT" na placa.

Autor: Carlos Rodrigues Lima