Nuno Saraiva: «Não podemos alienar aquele a quem devemos o facto de hoje ainda termos Sporting»

Diretor de comunicação aborda 'ameaça' de saída de Bruno de Carvalho

A carregar o vídeo ...
O momento em que Bruno de Carvalho admite a hipótese de se demitir

Nuno Saraiva saiu este domingo em defesa de Bruno de Carvalho, um dia depois do presidente do Sporting ter aberto a porta para uma eventual saída da presidência dos leões.

"É certo que não há insubstituíveis. Mas, com franqueza, não podemos, em nenhuma circunstância, alienar aquele a quem devemos o facto de hoje ainda termos e sermos Sporting Clube de Portugal!", escreveu num longo post partilhado na sua página pessoal de Facebook e não naquela a que costuma recorrer enquanto diretor de comunicação dos leões.

Elencando o que Bruno de Carvalho tem levado a cabo nos verde-e-brancos desde que chegou à direção em março de 2013 - "depois de 2 anos de exílio forçado", escreveu -, Nuno Saraiva sublinha o facto de "ao longo destes 5 anos, sem quaisquer hesitações, Bruno de Carvalho tem-se batido pela defesa intransigente dos superiores interesses do Sporting e pela verdade desportiva em todas as suas dimensões, denunciando todos os esquemas e compadrios que, ao longo dos anos, foram destruindo o futebol português - vouchers, emails, jogos para perder, etc.".

"É tempo de, de uma vez por todas, deixarmos de ter complexos, e nos mobilizarmos de forma militante pela defesa do Sporting. É tempo de, de uma vez por todas, percebermos as razões do porquê de hoje, o Sporting ser ouvido, respeitado e temido, nos planos nacional e internacional", concluiu.

Leia a mensagem na íntegra:

"Quando, em 23 de março de 2013, Bruno de Carvalho chegou à presidência do Sporting CP - depois de 2 anos de exílio forçado -, estávamos em 12° lugar no campeonato de futebol e aquilo que se discutia era "quando é que vamos fechar as portas".

Hoje, passados 5 anos, chegamos invictos à 20a Jornada da Liga, um feito que não era alcançado desde os tempos de Malcolm Allison, em 1982, e que nos conduziu à conquista do título de Campeão Nacional.

Hoje, ao contrário de 2013, o Sporting CP está financeiramente estabilizado e tem uma Direcção e um Presidente que podem orgulhar-se - e orgulhar-nos a todos nós - de serem os únicos a terem um mandato totalmente positivo, seja no Clube ou na SAD, graças a uma reestruturação financeira que salvou o Sporting da falência. Ao mesmo tempo, garantiram o melhor contrato de direitos televisivos da história do futebol português. Depois de décadas de promessas vãs de vários presidentes, Bruno de Carvalho assumiu o compromisso de construir um Pavilhão para as nossas modalidades, devolvendo-as à casa a que pertencem, e cumpriu. Avançou para a Cidade Sporting e começou a dotar o Clube de património que, ao longo de décadas, foi sendo alienado. Devolveu-nos o orgulho de sermos Sporting Clube de Portugal, resgatando-nos à resignação a que estávamos votados e ao enxovalho constante a que nos julgávamos condenados.

Passámos de 35 para 55 modalidades, entrámos no top-3 dos Clubes com mais associados no mundo inteiro, conquistámos títulos nacionais e europeus (5 a partir de hoje com a dobradinha nos europeus de corta-mato), reforçando o nosso estatuto de Maior Potência Desportiva Nacional, e, com Bruno de Carvalho, ultrapassámos a visão do nosso fundador, e somos hoje um Clube tão grande como os maiores do mundo.

Ao longo destes 5 anos, sem quaisquer hesitações, Bruno de Carvalho tem-se batido pela defesa intransigente dos superiores interesses do Sporting CP e pela verdade desportiva em todas as suas dimensões, denunciando todos os esquemas e compadrios que, ao longo dos anos, foram destruindo o futebol português - vouchers, emails, jogos para perder, etc. - e tiveram como vítima principal o nosso Sporting CP. O futebol deve-lhe a militância pela introdução do VAR e tantas outras alterações que contribuiram para maior verdade desportiva.

Se outras razões não houvessem, estas são mais do que suficientes para que, todos nós, reconheçamos o trabalho de excelência que o Presidente do Sporting Clube de Portugal e a sua equipa têm desenvolvido e nos mobilizemos pelo muito que ainda há por fazer.

É tempo de, de uma vez por todas, deixarmos de ter complexos, e nos mobilizarmos de forma militante pela defesa do Sporting Clube de Portugal. É tempo de, de uma vez por todas, percebermos as razões do porquê de hoje, o Sporting Clube de Portugal ser ouvido, respeitado e temido, nos planos nacional e internacional.

É certo que não há insubstituíveis. Mas, com franqueza, não podemos, em nenhuma circunstância, alienar aquele a quem devemos o facto de hoje ainda termos e sermos Sporting Clube de Portugal!"

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.