O futuro dos leões em debate

confira todos os detalhes

O futuro dos leões em debate
O futuro dos leões em debate

Mais um dia de decisões no universo leonino, com o debate entre os 5 candidatos às eleições do Sporting. Godinho Lopes, Pedro Baltazar, Bruno de Carvalho, Dias Ferreira e Abrantes Mendes vão discutir as suas ideias para o futuro do emblema de Alvalade na RTPN e você fica a saber tudo no Record Online.

Godinho Lopes foi o primeiro a falar e explicou as suas ideias no debate realizado esta segunda-feira, na RTPN. O candidato que conta com Domingos Paciência para orientar o Sporting na próxima temporada, mostrou-se confiante.

“No último debate mostrámos grande dignidade. Não vou aceitar nem tolerar que digam qualquer mentira hoje. Quem vai decidir as eleições são os sportinguistas. Pretendo responder a todas dúvidas do sócios. Tenho uma equipa mais preparada. Vim para ganhar. Quem decide são os sócios", explicou nas alegações iniciais.

O candidato Dias Ferreira, que conta com Frank Rijkaard como técnico para a próxima temporada, também foi direto ao assunto.

“Não me preocupa essa pseudo-sondagem. Queria agarrar nas palavras do Godinho Lopes, para dizer que não referi qualquer mentira. Saúdo esse apelo a um debate sério. Como sportinguistas podemos discordar. Não se senti a vítima Engenheiro Godinho Lopes. O senhor não quer mudar. Quero lutar contra isso. Quero saber o que o senhor Godinho Lopes quer mudar”, questionou.

Abrantes Mendes foi um dos 5 candidatos presentes no debate eleitoral da RTPN. E começou por atacar a recente sondagem feita às eleições leoninas.

“Dá vontade de rir, reparei que vinham garotos e que votavam mais do que uma vez, por isso não sei se é sondagem ou montagem. É importante atender ao modo desigual como as candidaturas tem sido tratadas. O meu amigo Dias Ferreira afastou-se de um programa de TV, para ser imparcial nestas eleições. Desde há vários anos que tenho assumido um papel frontal contra quem está no poder no Sporting. O meu discurso já tem um reconhecimento”, iniciou.

No pontapé de saída do candidato da lista B no debate da RTPN, Pedro Baltazar começou por desconsiderar os resultados da sondagem divulgada esta segunda-feira.

"Esta sondagem não tem o mínimo de credibilidade. Há coisas mais importantes para falar hoje. Estamos fartos de perder com o Benfica e o FC Porto por causa dos 13 anos de Projeto Roquette. É preciso uma mudança rápida e feita por pessoas com competência. Temos um projeto empresarial sem mácula. Vou exigir uma auditoria, uma auditoria bem feita, quero saber como passámos de um passivo de 27 para 283 milhões de euros em 6 anos é isto que é preciso dizer ao Sporting. Temos de gerir o clube da forma como João Rocha o geriu. Investi 12 anos no Sporting estou disposto a investir mais. Serei um presidente não remunerado, serei remunerado com vitórias”, explicou.

Bruno de Carvalho iniciou a sua participação no debate da RTP N, entre os 5 candidatos à presidência do Sporting, comentando as mais recentes sondagens que lhe dão uma percentagem de votos.

“Não me surpreendeu a sondagem, nem deixou de surpreender. Não estou preocupado com sondagens. Os sócios devem perceber que dia 26 é um dia fundamental para o futuro do clube e não se devem deixar ir pelas sondagens. Sei que as sondagens provocaram algum desespero a muita gente, mas a mim não me provocou nada. Somos a candidatura com ideias e soluções. O último debate correu muito bem, tenho é pena que a seguir a lista do senhor Godinho Lopes tenha feito uma campanha de baixo nível contra mim. Tenho servido mais o clube eu que qualquer uma das outras candidaturas. Só me atacam pela parte das minhas empresas e não do clube”, disse.

Godinho Lopes abordou depois a questão treinador: “Não vou deixar passar nada em claro. Pedro Baltazar, pretendo fazer uma auditoria. Não tenho nenhum problema quanto a isso. As auditorias devem ser feitas. Quantos anos é que deu da sua vida ao Sporting, Bruno de Carvalho? Gostava de perceber quem é que tem andado na tribuna no estádio. Teve a lata de dizer que fui falar com o Martin O’Neil. Não falei com ele, nem a minha lista.

Sobre o treinador, Domingos Paciência, foi direto ao assunto: “Disse desde a primeira hora que o treinador estava escolhido, pelo Lúis Duque e Carlos Freitas. Estou habituado a honrar compromissos. É um excelente treinador. Freitas conhece-o muito bem. Respeito as pessoas e os clubes para onde elas trabalham.”

Pedro Baltazar tem Zico "na manga" e defendeu a escolha: "Zico é a melhor escolha que o Sporting pode fazer, é a nossa escolha desde a primeira hora. É uma personagem do futebol e é com Frank Rijkaard o único treinador apresentado com títulos. Zico vai ajudar-nos a trazer os holofotes a Alvalade. Tem um modelo de futebol alegre e está entusiasmadíssimo com a vinda para Portugal e vai fazer do Sporting clube vencedor, com um título em 3 anos."

E atacou Godinho Lopes: "Domingos não é a sua primeira escolha. Scolari disse-vos que não."

Abrantes Mendes não revela o nome do “seu” treinador e não está preocupado com isso, uma vez que defende uma filosofia eleitoral diferente: “Não escolhi para não ser acusado de nada, mas tenho três nomes na minha cabeça. Espero chegar a presidente do Sporting, quem vai mandar no Sporting sou eu e o conselho diretivo. Não escolhi o treinador para ser diferente, porque não sei mentir. Aliás, se não tiver o treinador no dia 26, não vou apresentar. Até posso dizer que me ofereceram o Marco van Basten.”

“Não faz sentido apresentar jogadores sem ter treinador primeiro. Os projetos é que são importantes”, reiterou depois.

Bruno Carvalho defendeu o técnico escolhido por si, depois dos outros candidatos terem avaliado Marco van Basten como um treinador sem qualidade para o Sporting.

“Marco van Basten deve estar contente de saber que foi oferecido ao Godinho Lopes e ao Abrantes Mendes. Van Basten é muito mais que um ex-jogador famoso. Trabalhou nas bases do Ajax e quando esteve na Holanda praticou aquele que era considerado no site da UEFA o futebol mais bonito a par da Espanha”, referiu o candidato da Lista C, insistindo que Godinho Lopes negociou com o escocês Martin 0’Neill.

Bruno de Carvalho respondeu ainda às acusações de Godinho Lopes, depois deste dizer que não ia deixar passar as mesmas mentiras do primeiro debate realizado entre todos os candidatos: “Só não apresentou o Domingos Paciência porque não sabe se ele lhe dará a vitória ou não. Já se percebeu neste momento quem tem a credibilidade e quem não tem”.

Dias Ferreira fez depois a sua abordagem ao tema: “É normal nas eleições apresentarem-se jogadores. Deve-se começar pelo treinador. Quando defini o modelo que queria para o Sporting, quis seguir o estilo do Barcelona. Temos que aproveitar a formação, o que não temos conseguido fazer, não há que esconder isso. Temos que escolher um modelo e depois escolher um treinador desenvolve-lo."

"A mim ainda ninguém me atacou de nada. Futre não é candidato, sou eu. Ele trabalha comigo. Futre deu-me confiança. Podia ter acontecido Rijkaard não querer ser anunciado. Ele recusou-se a ser apresentado como um circo cheio de pessoas, por isso é que não quis vir a uma conferência de imprensa de apresentação. Há pessoas que não se querem confundir com determinadas coisas. Não estou preocupado em perder votos para A ou B. Estou preocupado é em arranjar pessoas que ajudem o Sporting", declarou.

Pedro Baltazar que ser o homem da "mudança credível". E critica a escolha de Bruno de Carvalho para orientar o Sporting: "Van Basten conseguiu a incrível proeza de fazer com que o Ajax não fosse à Liga dos Campeões. A minha escolha é muito melhor e fala português."

"Sou um homem da mudança credível, conhecemos o Sporting muito bem, de fundo e tivemos observadores neste 3 ou 4 anos no futebol do Sporting", explicou.

Depois criticou lista de Godinho Lopes: "82 por cento da lista de Godinho Lopes tem pessoas que tiveram lugares noutras candidaturas."

Godinho Lopes aproveitou depois para elogiar Moniz Pereira: “A pessoa que tenho que representa a continuidade é Moniz Pereira, património do Sporting. Orgulho-me que os sócios continuem a apoiar o Sporting. Estou completamente em desacaordo do fosso criado entre os sócios e o clube. É inadmissível. Tenho visitado nucleos e percebo que há muito afastamento dos sócios. É fundamental que os sócios sintam que fazem parte do clube. Faço parte do momento em que o Sporting andava na frente. Faço parte do momento em que ganhámos dois campeonatos e não andava a reboque de ninguém. Não fomos capazes de criar uma relação de afectividade com os sócios. Primeira medida vai ser preocupar-me com a comunicação e alterar os estatutos."

Abrantes Mendes dedicou-se depois a falar da propalada rotura: "Vou ser franco, nunca vi os candidatos. Eu dei a cara, até posso perder, mas não tenho medo de ir a luta. Por isso agora sinto-me lisonjeado, que me tenham feito justiça ao reclamar mudança, ao longo de anos venho já reclamando esta mudança. Quem falou em devolver o Sporting aos sportinguistas em 1999? Fui eu!"

"Mais importante que o treinador ou jogadores, um plano que faa a auto-suficiência do Sporting. Temos que ter os pés bem assentes no chão", garantiu.

Dias Ferreira fechou a primeira parte do debate com uma ideia: “Não tenho vergonha de assumir que estive com o tal projeto de continuidade. Mas quando era pequeno também acreditava no Pai Natal. E apercebi-me em 2005 que tinha de vender tudo!”

Bruno de Carvalho prosseguiu falando do treinador de outra lista e comparando o caso de Van Basten com Rijkaard

“O Rijkaard também não teve sucesso no último clube por onde passou (Galatasaray) e não é por isso que digo se é bom ou se é mau. Por iniciativa dos sportinguistas estiveram 800 pessoas para receber o Marco Van Basten. Finalmente voltamos a ver os sportinguistas unidos”, disse.

“Tenho um programa claro para o Sporting, quer para o futebol, para os núcleos e para outras atividades e os outros candidatos têm aproveitado isso desde o início”, explicou.

Carvalho questionou ainda a paixão futebolística de Pedro Baltazar: “Você percebe de futebol só porque tem sete satélites e quatro plasmas em casa?”

E terminou a primeira parte do debate da RTP N enumerando os elementos da continuidade da lista de Godinho Lopes: Rogério Alves, Nobre Guedes, entre outros...

Questionado sobre se ter investido do seu dinheiro no clube lhe dá vantagem, Pedro Baltazar foi claro: "Vejo isso como uma vantagem e acho que todos os Sporting vêem o meu entusiasmo. Investi 7,5 milhões de euros ao longo destes 13 anos e penso que é preciso ter recursos para servir o Sporting e não para servir-se do Sporting. Se o clube necessitar eu posso investir mais do meu capital, não capital de origem esquisita.”

Pedro Baltazar é credor do Sporting em 5 milhões de euros: "Quem vencer, se quiser investir os 5 milhões eu deixo-os ficar. O Sporting precisa de "investidores com menos peso e de mais perto de Portugal, com credibilidade atestada."

"A candidatura de Bruno de Carvalho suscita-me a maior das dúvidas. Traz 50 milhões e ainda quer ser remunerado?”, rematou.

Abrantes Mendes abordou depois as relações com a banca: ”Há uma coisa que tenho que enaltecer. O problema do Portugal está resolvido. Só ouço falar em milhões nesta campanha. Fico contente porque assim devemos ir ter com José Sócrates e dar estes milhões para resolver o PEC. Não podemos ter ilusões."

"O Sporting tem uma situação dramática que preciso de se resolver. Há Soluções credíveis. O Sporting tem a banca como credor. Há margem para renegociar a divida. Não me parece bem que um elemento da banca esteja na lista de Godinho Lopes. O Sporting merece o respeito institucional. Tomos somos sportinguistas e temos que lutar para o mesmo sítio. Eu sou do Sporting com frontalidade. Digo o que me vai na alma", garantiu depois.

Na segunda parte do programa Bruno de Carvalho falou sobre o seu fundo de investimento russo de 50 milhões de euros, que diz ter: "Até agora temos sido a única candidatura que temos apresentado programa e soluções. O que eu disse era que tinha a garantia de trazer os 50 milhões, que fossem essenciais para o nosso modelo de negócio."

“Mas porque é que os 50 milhões são um milagre? Porque é que não são fáceis de arranjar? O Sporting nunca conseguiu fazer isso porque nunca tentou. Dizia-se que eu era novo demais só porque Pedro Baltazar com 51 anos tinha que se esforçar muito para conseguir um milhão. Nós vamos ter um contrato com os investidores, que se vai regular por todos os parâmetros que já tive oportunidade em referir antes”, terminou dando o exemplo do fundo do Benfica como aquilo que quer implementar no Sporting", retorquiu.

Godinho Lopes não perdeu a oportunidade de atirar algumas farpas: “Critico o fundo de investimento de Bruno de Carvalho. Os jogadores devem ser primeiro contratados pelo Sporting e não pelo fundo. Aprenda qualquer coisa Bruno de Carvalho. O problema do Sporting é viver do dia seguinte. Quem não tiver credibilidade não conseguirá levantar dinheiro. Tenho mais credibilidade. Não fechei empresas nem tenho dívidas. Não critico a gestão de cada candidato. Pensei que o objetivo do debate era esclarecer os sportinguistas. O problema do fundo tem haver com o momento. A minha grande preocupação é que o Sporting consiga viver no futuro."

Dias Ferreira utilizou depois o seu tempo de antena para pedir vitórias: “Vendemos tudo e agora o que temos? Até admito que o Sporting perca a maioria. Não me pronuncio sobre a credibilidade das pessoas. Não as conheço. O Sporting tem que ganhar no imediato. Os sócios não perdoam se o Sporting não ganhar."

Abrantes Mendes tem ideias definidas sobre a gestão financeira e explicou-as na RTPN: "Tenho chamado a atenção para o bom senso e equilíbrio na gestão financeira. Temos que evitar o desperdício e ter uma gestão rigorosa e credível das nossas contas. O investimento tem que ser seletivo. Precisamos de captar investidores e para isso necessário credibilidade e confiança."

"Sempre me ensinaram princípios básicos de boa gestão e preciso, em primeiro lugar, de ter pessoas motivadas. O Sporting já vendeu em ativos 125 milheõs, e mesmo assim temos quase 300 milhões de dívida. Não pode ser!", atirou.

Na questão das relações com FC Porto e Benfica, Pedro Baltazar é pela cisão: "Temos de vencer o Benfica e FC Porto e habituar-nos a vencê-los. É o que eu sinto como adepto e em termos estratégicos como presidente. Temos de construir uma equipa de futebol que vença o Benfica e FC Porto. O clube deve estar equidistantes dos dois, temos de ter essa força. Penso que é por causa disso que estamos onde estamos, temos de voltar a ser o grande de Portugal e rapidamente."

Quanto à posição do Sporting na Liga, Pedro Baltazar foi peremptório: "O clube tem de estar presente na Liga em funções executivas. O Sporting vai tentar ficar com a presidência da Liga."

O calendário também foi abordado pelo candidato que acredita que deve haver "mais clássicos, mais jornadas, playoffs. Temos uma liga que compete com outras ligas em termos de transmissões televisivas, com outras ligas que têm mais investimentos. Temos de sair deste fosso."

Godinho Lopes seguiu caminho para o passivo: "O passivo financeiro do Sporting não é de 300 milhões. São 180. Considero que o Sporting deve preocupar-se consigo. Concerteza que tenho investidores. A banca tem que estar sentada do outro lado. Tenho as pessoas certas para colocar o Sporting no topo nacional. É importante garantir a independência da arbitragem. O representante entre a liga e os árbitros é Luís Duque, que tem experiência. Dias Ferreira não tem condições para ser presidente do Sporting."

Dias Ferreira garante que já respondeu ao FC Porto: “Eu e o Paulo Bento é que respondemos ao FC Porto e Benfica. Não havia um corpo social que lhe respondesse. Isso é função do presidente. Godinho Lopes não percebe de futebol. Isto é um clube para dar vitórias no futebol e nas modalidades. Um clube que tenha alegria.”

Bruno de Carvalho explicou ainda qual será a sua relação com os outros dois grandes de Portugal (FC Porto e Benfica), caso vença as eleições à presidência do Sporting: "Desde que o Benfica o FC Porto compreendam que o Sporting vai lutar pelo seu lugar, que é a liderança do futebol português, a relação vai ser de respeito. Vou querer fazer com que o Sporting seja respeitado, porque não podemos continuar a ser desrespeitados por todos, como por exemplo pelas arbitragens."

“O Sporting tem que ocupar e estar presente, ter uma voz ativa, nos órgãos da Liga. Temos na nossa lista uma pessoa que foi vice da Federação, do conselho arbitragem, da A.F. Coimbra,...”, finalizou.

Na alegação final, Godinho Lopes falou aos sócios leoninos: "Quero dizer que este não é o momento para falar de nada sobre os atuais jogadores. Temos que apoiar a equipa até ao final da temporada. Não vou despedir o José Couceiro. Quem nos separa não é o Sporting, são os que estão lá fora. Gostava de me dirigir aos sócios: gostava que viessem votar em massa dia 26. O que está em causa é o futuro do Sporting."

Bruno de Carvalho finalizou a sua participação no debate da RTP N deixando a sua opinião sobre o atual plantel do Sporting.

“É preciso reforçar a equipa, mas é preciso ainda mais é dar força para que a equipa consiga cumprir os objetivos esta época. Queremos um novo ciclo que termine com este afastamento dos sócios, adeptos e família leonina”.

“Tenho pena que Godinho Lopes não critique as declarações de Luís Duque que disse que o plantel precisava de uma vassourada. Continuamos numa campanha de falácias.”

Na alegação final, Dias Ferreira foi claro: “Há decisões nas quais o presidente tem de dar a cara. É preciso mudar. Quem não quiser mudar sabe em quem há de votar: na continuidade. A continuidade está à vista. Quem quiser mudar sabem em que podem votar.”

Abrantes Mendes rematou a sua participação com alusões ao respeito que tem faltado pelos demais ao Sporting: “É evidente que há desrespeito pelo Sporting. Em Portugal não existem apenas dois clubes. O Sporting precisa de se afirmar no futebol nacional. O problema no Sporting ao longo dos anos é não conseguir impor a sua opinião. Temos de ter cuidado.”

“Quem tem de dizer os jogadores que ficam ou vão sair é o treinador e o diretor desportivo. Precisamos de ordem, disciplina e trabalho. O presidente tem que ser forte, dar um murro na mesa, quando há incompetência e interesses estabelecidos. Trabalho, rigor, honestidade e sportinguismo. Esta é a receita!”

Quanto ao futuro do atual plantel, Pedro Baltazar é da opinião, tal como o seu treinador Zico, que este "vale mais do que os resultados que tem vindo a realizar. Há falta de liderança, falta de ambiente. Temos de estar unidos e estou convicto que vamos conquistar o 3.º lugar."

Nas alegações finais, dirigiu-se aos sportinguistas: "Estamos perante um dos momentos mais negros do Sporting Clube de Portugal. Está em jogo continuar com o modelo do Projeto Roquette, ou então vamos para o desconhecido como aquando na presidência de Jorge Gonçalves, e aí vote Bruno de Carvalho. Ou então escolham um presidente do futebol, como nos tempos de João Rocha e aí votem Pedro Baltazar."

168
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.