Os 15 minutos de terror no balneário no dia mais negro da história do Sporting

Grupo formado por 60 vândalos invadiu a Academia e provocou o caos

Criminoso, terrorista, sem desculpa. O que se passou ontem em Alcochete ultrapassou todos os limites, e haverá certamente um Sporting antes e um depois de 15 de maio de 2018. Um grupo de 60 vândalos invadiu ontem o quartel-general, tendo agredido jogadores, treinadores e restante staff.

O clima de terror vivido na Academia começou às 16 horas, durou pouco mais de 15 minutos, mas provocou enormes danos materiais, físicos e, especialmente, psicológicos. Os radicais entraram na Academia munidos de facas, bastões e cintos. A resistência da segurança sportinguista foi nula ou praticamente inexistente. Por isso, a entrada nas instalações foi feita em modo-corrida, com cânticos ofensivos para tudo e todos (jornalistas incluídos) e resultou num balneário completamente destruído e em agressões que envergonham todos aqueles que se dizem sportinguistas.

Vídeo Record: Balneário do Sporting ficou neste estado

Violência gratuita

Jorge Jesus e os jogadores estavam nos respetivos balneários quando tudo aconteceu. Os alarmes dispararam e a surpresa transformou-se em terror. Bas Dost foi um dos mais fustigados [ver peça ao lado] , mas também Acuña (pontapeado no chão), Battaglia e Misic (ambos agredidos com um cinto), William e Montero (esbofeteados), entre outros, ficaram com marcas bem visíveis deste lamentável episódio. Além de tudo isto, Jorge Jesus ( levou uma cabeçada na cara), Mário Monteiro, Raúl José, Frederico Varandas e Manuel Fernandes também sofreram na pele a ira de hooligans que nada mais queriam do que provocar o caos. No meio de toda a convulsão, relógios desapareceram e alguns carros foram vandalizados.

A Polícia chegou meia hora depois dos acontecimentos, tomou conta das várias queixas-crime e passou mais de 6 horas a ouvir depoimentos (os quais foram completados posteriormente na esquadra da GNR do Montijo por todos os intervenientes presentes nos tumultos da Academia), a retirar impressões digitais e a tomar todas as diligências necessárias para perceber o que realmente se passou na tarde de ontem.

As imagens da destruição no balneário do Sporting e dos ferimentos de Bas Dost e Mário Monteiro

A ação da Polícia acabou por ser rápida e eficaz: foi feito um perímetro de segurança à volta da Academia e, em pouco menos de duas horas, foram detidas 21 pessoas, as quais foram levadas para o posto da GNR de Alcochete. Durante esta operação foram apreendidas barras de ferro, tochas e várias viaturas. Alguns dos vândalos foram presos, devido ao intenso cheiro a fumo.

Radicais da Juve

Fonte policial garantiu a Record que os radicais pertencem à Juve Leo, têm uma forte ligação ao antigo líder Fernando Mendes (o mesmo que se travou de razões com alguns jogadores no Aeroporto Cristiano Ronaldo), ter-se-ão encontrado à saída da Ponte Vasco da Gama e estacionaram os carros a uma distância assinalável da Academia, para evitarem as câmaras dos jornalistas e as próprias câmaras de segurança do recinto. A operação coordenada pelo comando distrital da GNR de Setúbal durou até bem perto das 23 horas, altura em que os últimos jogadores (acompanhados por Jorge Jesus) deixaram as instalações do clube leonino.


Falta de noção total e completa
A opinião de Alexandre Carvalho (editor)

Depois de um dia negro na história do Sporting – certamente um dos mais tristes nos quase 112 anos de vida do clube –, o discurso de Bruno de Carvalho chegou tarde e a más horas e aparentou uma falta de noção gritante em relação a tudo o que aconteceu em Alcochete. A tentativa frustrada de minimizar os danos foi inoportuna, os ataques ao secretário de Estado, ao IPDJ e à comunicação social descabidos e todo o discurso presidencial foi vazio de razão, conteúdo e pertinência. Ontem, e mais do que em todas as assembleias gerais inflamadas por declarações contra tudo e contra todos, exigia-se uma explicação cabal por parte de Bruno de Carvalho. Infelizmente, isto não aconteceu. Ontem não chegava repudiar, não chegava contestar, não eram precisas promessas. Ontem bastava que BdC deixasse cair a máscara de ditador e vestisse a de presidente.

Por Alexandre Carvalho e Alexandre Moita
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.