A decisão tomada pelos jogadores leoninos de marcarem presença no Jamor foi bastante ponderada e, sabe Record, não teve, numa primeira fase, recetividade por parte de todos os jogadores do plantel. Havia um extenso grupo que não queria ir ao Jamor e que já estava mais do que preparado para rumar às respetivas cidades/países.

No entanto, a intervenção do capitão Rui Patrício e dos experientes Fábio Coentrão e Bas Dost – um dos mais fustigados pelos acontecimento de Alcochete – acabou por possibilitar que se chegasse a um entendimento entre todos. Aliás, sabe o nosso jornal, foram mesmo as palavras do holandês que ‘quebraram’ a resistência de alguns jogadores: Bas Dost terá alertado para o facto de ser o atleta em "piores condições" depois das agressões em Alcochete, pediu que os jogadores levassem o "trabalho até ao fim" e que não iriam ser os "três dias que faltam a estragar a união do grupo". Patrício apelou ao profissionalismo de todos, referiu que os adeptos (os "verdadeiros") merecem que o clube seja representado no Jamor. No fim, a união acabou por fazer a força: o leão estará no Jamor. Depois... logo se vê.