Conheça o progama de festas para a inauguração do Pavilhão João Rocha

Leões ultimam retoques na casa das modalidades

• Foto: Sporting CP

A partir de amanhã, o número 13 deixa de ser sinónimo de azar em Alvalade. Foi esse o período de tempo em que as modalidades do Sporting andaram com a ‘casa às costas’, depois da demolição da ‘Nave de Alvalade’, em janeiro de 2004. Coisa do passado. Treze anos depois, aquela que foi uma das principais bandeiras da direção presidida por Bruno de Carvalho está agora a ultimar os preparativos para a sua inauguração oficial: o Pavilhão João Rocha, nova casa das modalidades leoninas.

Um dia que, naturalmente, será preenchido a verde e branco. Amanhã, o pontapé de saída será dado pelas 16h30, com a inauguração das obras envolventes ao pavilhão. À apresentação dos dois campos de futebol de sete que ladeiam o espaço, segue-se a ‘Calçada da Fama’ [ver quadro] e, a rematar, a nova rotunda de ligação com o estádio, para onde foi realocada a estátua do leão, anteriormente na Academia, erigida pelo ex-presidente Sousa Cintra.

Depois, às 18h30, o Pavilhão João Rocha abrirá oficialmente portas. E logo com casa cheia, visto que o Sporting anunciou que os 3.000 convites (a lotação do recinto) à disposição esgotaram. Nas bancadas estarão representados sócios e adeptos, as claques e ainda grupos afetos aos leões, como os Stromp e os Cinquentenários, estando ainda prevista a colocação de público na quadra, onde também estará presente um palco.

A ponta do véu

A cerimónia de cariz institucional de amanhã será, ao que tudo indica, a primeira de três que estão em agenda. Isto porque, posteriormente, em data por definir, haverá espaço, por exemplo, ao descerramento do mural onde constam os nomes dos sócios que aderiram à ‘Missão Pavilhão’ e também ao espaço de apoio à Loja Verde e ao Museu Sporting.

Marcelo por confirmar

Para além de toda a direção do Sporting, os leões esperam contar com várias outras figuras institucionais na cerimónia. Nomes como Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República e do Núcleo Sportinguista da Assembleia da República, e Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, estão desde já confirmados pelos leões.

No entanto, a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, está em ‘suspenso’, devido à tragédia do recente incêndio em Pedrógão Grande, o que, recorde-se, levou a que os leões promovessem uma campanha de angariação de alimentos, recolhendo meia tonelada de fruta em apenas duas horas e meia.

A NOVA CASA

Trilho com pedras no sapato leonino

Após a colocação da primeira pedra, a 27 de março de 2015, surgiram algumas complicações contratuais, que levaram à rescisão do contrato da primeira empresa à qual foi entregue a execução do pavilhão. O processo sofreu atrasos e foram precisos 27 meses para completar o sonho dos leões.

Voleibol regressa em grande estilo

A época 2017/18 assinala a estreia do pavilhão, que coincide com o regresso do voleibol leonino, 22 anos depois da sua extinção. Este será apenas um de quatro desportos que irão utilizar a nova casa, para além do futsal, andebol e ainda o hóquei em patins. Assinale-se que o piso terá tabelas amovíveis para esta última modalidade.

Infraestrutura é recorde no país

Com 9.200 metros quadrados, entre os quais se inclui uma área de implantação de 4.600 metros quadrados, o Pavilhão João Rocha será o maior pavilhão desportivo de clubes sediado em Portugal. Recorde-se que este terá a particularidade de dispor de um painel central em forma de cubo no topo, com o logótipo do Sporting.

‘Missão Pavilhão’ foi peça chave

A obra ficou orçada em 9,62 milhões de euros, tendo uma contribuição decisiva da ‘Missão Pavilhão’, iniciativa que arrancou a 12 de abril de 2014 e visava a recolha de donativos. Contas feitas, 22.956 sportinguistas aderiram ao ‘chamamento’, razão pela qual houve 1.000 convites reservados para quem tenha participado.

AS ESTRELAS DO PASSADO E PRESENTE NO PAVILHÃO

Memória. Da rotunda onde foi colocada a estátua do leão até ao Pavilhão João Rocha, está o ‘passeio da fama leonino, com estrelas desenhadas no chão, a fazer lembrar... Hollywood. Uma delas é a de Damas , mítico guarda-redes e glória do Sporting, falecido em 2003

Reconhecimento. Contam-se outros nomes de relevo do passado leonino, tais como Hilário, Travassos, Azevedo e Joseph Szabo, técnico húngaro dos Cinco Violinos

Academia. Do passado ao presente, os leões honram os produtos da sua formação. No futebol, Rui Patrício, William, Adrien e João Mário terão uma estrela. Por outro lado, João Matos representa o futsal. Bessone Basto, polivalente atleta do clube, também lá está

Glória. Os leões recordam algumas conquistas europeias, como a Taça das Taças de 1964 (futebol) ou a Taça Challenge (andebol)

Incontornável. Aurélio Pereira, responsável pela ‘descoberta’ de alguns dos maiores talentos da Academia, como Ronaldo, não foi esquecido

Por Ricardo Granada
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.