Rúben Amorim após estreia no Sporting: jogo "estranho", a mais-valia de Wendel e elogios a Chico

Treinador analisa o triunfo sobre o Aves

• Foto: Miguel Barreira

A análise de Rúben Amorim ao triunfo caseiro (2-0) do Sporting sobre o Aves, naquela que foi a sua estreia no comando técnico dos leões.

Análise ao jogo
"Jogo estranho com as duas expulsões e muitas paragens. Não deu para perceber muita coisa da equipa por isso e até a equipa se sentiu estranha. Jogo não tem muita história, fizemos dois golos e fomos justos vencedores. Agora é trabalhar, que precisamos muito."

As imagens que mostram as reações de Rúben Amorim na estreia pelo Sporting
Ambiente em Alvalade?
"Estava muito focado no jogo. Os jogadores sentem um pouco o ambiente, o que é normal. Já tive fases assim e é normal os jogadores não estarem tão felizes a jogar com este ambiente. Cabe principalmente ao treinador mudar isso."

Jogadores têm fome?
"Jogo foi atípico e tivemos apenas dois dias de trabalho. Vamos dar tempo ao tempo. Dêem tempo aos jogadores e ao treinador. Há muito por fazer e estamos focados nisso. Espero que não haja mais mudanças (risos). Futebol é mesmo assim, tudo é mais rápido agora e as pessoas querem tudo para amanhã. Não há tempo para se viver um projeto mas é assim. A vida de um treinador é ganhar. Estamos no momento em que temos de ganhar. Os jogadores vão trabalhar comigo e os responsáveis desta exibição são os jogadores e não eu."

O resumo do Sporting-Aves: golos, casos e outros lances
Esquema favorece Wendel?
"Arrependido de não ter outro ponta de lança no banco? Não. Não é por ter lá muitos que vai melhorar o jogo. Na nossa maneira de jogar basta apenas um avançado e outros a dar largura. Sobre Wendel, já o apreciava quando jogava contra ele. É muito rápido a transportar a bola e este sistema favorece-o. Tem uma característica muito boa para este sistema, que é transportar a bola para a frente."

Meta do terceiro lugar é concretizável?
"Importante é esquecer toda a gente: adversários, opinião pública... estar a meter pressão... os jogadores não têm de pensar nisso. É um jogo de cada vez e faremos metas quando o processo estiver mais estabilizado. Passo a passo vamos construindo uma equipa que será forte no futuro."

O que explica o rendimento fora e em casa?
"Não tive tempo ainda para sentir isso. É-me indiferente jogar em casa ou fora e tentarei incutir isso nos jogadores. Que os jogadores pensem apenas que é uma bola e um lance."

Francisco Geraldes esteve bem?
"É um jogador criativo. Se jogará mais ou não depende da semana que ele tiver. Fiquei muito satisfeito porque entrou com muita vontade. É mais um a contribuir para a ideia do grupo. Mas há muito a melhorar nesta equipa."

10
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0