Stellar segurou Acuña: saiba o que se passou para o argentino decidir ficar

Sociedade demoveu jogador de avançar para a rescisão unilateral do contrato

• Foto: Filipe Farinha

A Stellar Group, empresa de agenciamento de jogadores, teve um papel crucial na decisão de Marcos Acuña em permanecer no Sporting. Ao que o nosso jornal sabe, foi mesmo a sociedade a demover o jogador de avançar para a rescisão unilateral por justa causa com os leões, como era a sua intenção desde os incidentes em Alcochete.

A Stellar Group, com sede em Inglaterra e vários representantes em Portugal, foi um dos parceiros negociais da SAD do Sporting na transferência de Marcos Acuña do Racing Avellaneda para Alvalade, no verão, e agora atuou na defesa dos seus interesses. No fundo, a empresa impediu que o jogador, transferido para o Sporting por um montante próximo dos 10 milhões de euros, deixasse o clube a custo zero, pois uma decisão dessas iria ser prejudicial à própria Stellar Group que, como todas as agências de representação, espera retorno dos investimentos efetuados.

A hipotética saída de Acuña do Sporting por justa causa permitiria ao internacional argentino de 26 anos decidir o seu futuro livremente, mas sem gerar qualquer mais-valia para as partes envolvidas no negócio, ou seja, o clube e a Stellar Group. Assim, tendo contrato assinado, o caso muda totalmente de figura, já que a saída fica dependente de uma negociação que, pelo menos em teoria, vai sempre proporcionar retorno financeiro. A presença de Acuña no Campeonato do Mundo também poderá ser importante na valorização do seu passe.

A juntar a tudo isto, apurou Record, Acuña terá também recebido uma propriedade, situado na zona de Alcochete, no valor de 500 mil euros.

Entre ficar ou sair por uma boa proposta

A decisão de continuar nos leões pode não significar, de todo, a sua permanência no plantel. Ao que foi possível apurar, por agora o jogador está concentrado no Mundial, mas depois da prova na Rússia está recetivo a todos os cenários. Por um lado, Acuña pode ficar; mas por outro está igualmente recetivo a sair dos verdes e brancos, mediante uma boa proposta. O argentino era um dos jogadores que a SAD do Sporting admitia transferir (isto antes das rescisões), agora resta saber se mantém a intenção.

No olho do furacão na Madeira

Acuña ficou ligado aos incidentes no final do jogo com o Marítimo. Após a derrota na Madeira, o argentino ‘picou-se’, ainda no relvado, com uma franja de elementos da claque Juve Leo. Atitude que não passou de um despique verbal, mas o suficiente para que, horas depois, fosse ‘apertado’ no aeroporto. Foi aí que o ex-líder da Juve Leo, Fernando Mendes, garantiu que iria terça-feira à Academia ter "uma conversa" com o extremo, a propósito do sucedido.

Chegado ao dia, a ameaça consumou-se e o seu nome foi um dos mais visados pelos invasores. Aliás, no balneário, onde foi esmurrado, ainda ouviu a frase ‘nós sabemos onde moras’, ameaça que revelou no auto feito no posto da Guarda Nacional Republicana e que, como Record noticiou, o levou a reunir toda a documentação necessária para apresentar a rescisão. Apesar de ter estado no olho do furacão, à última da hora Acuña resolveu dar um passo atrás...

Por Alexandre Moita e Ricardo Granada
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0