Zé Beto pontapeou um fiscal de linha

EX-GUARDA-REDES PORTISTA SUSPENSO UM ANO DAS PROVAS EUROPEIAS

Passaram justamente dezoito anos sobre outro incidente lamentável que envolveu outro jogador português numa agressão, dessa vez a um fiscal de linha, na final da Taça das Taças, em Basileia (Suíça) entre a Juventus e o FC Porto. Falamos do já falecido ex-guarda-redes do FC Porto, Zé Beto, o qual, após o final do jogo, agastado com a actuação do trio de arbitragem que validara o segundo golo dos italianos precedido de falta (carga de Boniek sobre João Pinto) e fizera "vista grossa" a uma grande penalidade contra a Juventus, agrediu um dos fiscais de linha do alemão oriental Adolf Prokop, com um pontapé.

Tratando-se de um jogo das competições da UEFA, coube a este organismo a aplicação do castigo a Zé Beto: 1 ano de suspensão das competições europeias. O guarda-redes portista pôde assim jogar nas competições nacionais, mas ficou arredado do Euro 84, em França.

O enviado especial de Record à final de Basileia, António Jorge Almeida, descreveu assim a agressão de Zé Beto: "Mal o jogo terminou, quando o trio de arbitragem se dirigia para o local da entrega da Taça, Zé Beto entrou de pé em riste sobre o fiscal de linha que se intrometeu entre o jogador português e o árbitro. Agarrado de imediato pelos colegas, libertou-se e aplicou um pequeno pontapé no mesmo fiscal de linha. Novamente afastado pelos colegas, investiu uma terceira vez sobre o fiscal de linha e este enfiou o pau da bandeirola na barriga do guardião português, o qual, furioso, arrancou-lha da mão e lançou-a para longe."

No final do jogo, Zé Beto não fez "mea culpa". Eis as suas palavras: "Quando ia falar com o árbitro, o fiscal de linha virou-se e ficámos peito contra peito. Depois quis falar com ele e espetou-me a bandeirola no estômago. Se fosse uma faca tinha-me furado a barriga!"

UEFA teve mão mais pesada

A mão da UEFA foi muito mais pesada há dois anos para três jogadores portugueses do que a agora a da FIFA em relação a João Pinto. Nenhum deles agrediu o árbitro austríaco Gunter Benko (as imagens revelaram apenas alguns empurrões e impropérios), após este ter assinalado, por indicação do seu auxiliar, o eslovaco Igor Sramka, um polémico "penalty" contra Portugal, mas foram duramente castigados: Abel Xavier, com nove meses de suspensão das competições europeias; Nuno Gomes com oito meses; Paulo Bento com seis meses.

Posteriormente, veriam as penas reduzidas, após recorrerem da sentença, três meses no caso de Xavier, um mês nos de Nuno Gomes e Paulo Bento.

Receava-se que este precedente pudesse servir de agravante ao acto de João Pinto. Sem razão, pelos vistos.

Cuspir Veiga Trigo dá suspensão de 6 anos

Em Setembro de 1989, o árbitro português Veiga Trigo foi cuspido por um jogador finlandês, Souja Keijo, na sequência de uma grande penalidade que assinalou contra a equipa do Kuusysi Lahti. O jogo foi em Paris e opôs o PSG à equipa finlandesa, para a Taça UEFA O jogador foi punido com seis anos de suspensão. Recorreu, viu o castigo mantido e teve de pagar uma pesada multa.

Gesto obsceno vale 1 ano de suspensão

Escócia, Junho de 1989, meia-final entre a selecção anfitriã e Portugal, no Mundial de sub-16: o guardião português Paulo Santos baixou os calções à assistência, exibindo os seus "dotes". Só não foi detido pela polícia escocesa porque a FPF se responsabilizou pelo seu regresso imediato a Portugal. A FIFA aplicou-lhe um ano de suspensão de todas as provas.

Simulação de Rojas custou-lhe irradiação

Custou a irradiação ao guarda-redes chileno Rojas. O Brasil defrontava o Chile, na fase de qualificação para o Mundial 90, quando Rojas, tendo caído um foguete luminoso perto de si, simulou ter sido atingido [rebentando no rosto uma embalagem de sangue que trazia nos calções]. Os chilenos recusaram prosseguir o jogo.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.